Entre a "mesmice" e o "ecletismo iluminado"

curadoria musical e o caráter político do consumo da música ao vivo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2018v6n13p116-129

Resumo

Com o desenvolvimento do segmento da música ao vivo, temos acompanhado a proliferação de festivais de música em vários mercados do mundo. Parte desses eventos, nos últimos anos, vêm sofrendo críticas constantes através da mídia musical pelo aspecto homogeneizante das curadorias e seleções artísticas que oferecem. O presente artigo tem como objetivo pensar questões políticas a partir das negociações do consumo musical e refletir sobre, até que ponto, o ecletismo musical também está relacionado a uma forma de elitismo cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor de Almeida Nobre Pires, UFAL

Doutor em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Professor na Universidade Federal de Alagoas – UFAL. 

 

Downloads

Publicado

2018-12-17

Como Citar

PIRES, V. de A. N. Entre a "mesmice" e o "ecletismo iluminado": curadoria musical e o caráter político do consumo da música ao vivo. Tríade: Comunicação, Cultura e Mídia, Sorocaba, SP, v. 6, n. 13, 2018. DOI: 10.22484/2318-5694.2018v6n13p116-129. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/3222. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS - OUTRAS PERSPECTIVAS