Meu amigo Nietzsche

leitura, educação e apropriação ampliada por diferentes mediações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2022v10id4829

Palavras-chave:

mediação da informação, apropriação da informação, leitura, curta metragem “Meu Amigo Nietzsche”

Resumo

Neste trabalho, pretende-se tecer um paralelo entre o filme de curta metragem “Meu Amigo Nietzsche”, de Fáuston da Silva, e as formas de mediação da informação usadas no filme para alcançar a apropriação dos conceitos da obra de Nietzsche “Assim falou Zaratustra”. O filme analisado foi gravado na Cidade Estrutural, periferia de Brasília, e conta a história de Lucas, um menino que segundo a sua educadora, apresenta déficit no aprendizado escolar. Este garoto encontra em um aterro sanitário o livro “Assim falou Zaratustra”, um dos mais complexos e alegóricos do filósofo alemão Friedrich Nietzsche. Por meio de etapas da mediação, o garoto vai conseguindo compreender as alegorias da obra, se apropriando do texto do filósofo Nietzsche, fazendo uma revolução na comunidade onde vive

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ellen Valotta Elias Borges, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).

https://orcid.org/0000-0002-7811-0256

 

Mariana Rodrigues Gomes de Mello, UNESP

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).

https://orcid.org/0000-0002-5925-8554

 

Daniel Martínez-Ávila, Universidade de León na Espanha

Doutor em Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid, Espanha.

https://orcid.org/0000-0003-2236-553X

 

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. de. Mediação da informação: um conceito atualizado. In: BORTOLIN, S.; SANTOS NETO, J. A. dos; SILVA, R. J. da (orgs.). Mediação oral da informação e da leitura. Londrina: ABECIN, p. 9-32, 2015.

BORGES, E. V. E. O texto além das palavras: uma visão ampliada da apropriação da informação por meio de textos literários. Brazilian Journal of Information Science, v. 10, n. 3, 2016. DOI: https://doi.org/10.36311/1981-1640.2016.v10n3.03.p15

CAIRO, C.B. O nascimento de um super-homem – linguagem e subjetividade em “Meu amigo Nietzsche”, 2013. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/lep/article/download/32247/17213. Acesso em: 31 ago. 2022.

FOUCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

FREIRE, A. M. A. A leitura do mundo e a leitura da palavra em Paulo Freire: Cad. CEDES, v. 35 n. 96, p. 291-298, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/CC0101-32622015723767

FREIRE, P. Professor sim, tia não: cartas a quem ousar ensinar. São Paulo: Olho d'Água, 1995.

GAMBASSI, G. M. "Meu amigo Nietzsche": os perigos da leitura crítica em um mundo conformado, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tla/a/G9npHW3s5xDXYtQPMwQKVJG/?format=html&lang=pt. Acesso em: 31 ago. 2022.

MARTÍN-BARBERO, J. De los medios a las mediaciones. Barcelona: Gustavo Gili, 1987.

MARTINS, M. H. O que é leitura. Porto Alegre: Brasiliense, 2003.

NIETZSCHE, F. W. A gaia Ciência. São Paulo: Escala, 2008.

NIETZSCHE, F. W. Assim Falou Zaratrusta. São Paulo: Nova Cultural, 2005.

OSBORNE, R. O livro da filosofia. São Paulo: Globo, 2012.

SILVA, F. da. Meu amigo Nietzsche, 2013. Disponível em:

https://www.youtube.com/watch?v=FroyMvgYfm0. Acesso em: 13 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2022-11-21

Como Citar

VALOTTA ELIAS BORGES, E.; RODRIGUES GOMES DE MELLO, M.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D. Meu amigo Nietzsche: leitura, educação e apropriação ampliada por diferentes mediações. Tríade: Comunicação, Cultura e Mídia, Sorocaba, SP, v. 10, n. 23, p. e022010, 2022. DOI: 10.22484/2318-5694.2022v10id4829. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/4829. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS - OUTRAS PERSPECTIVAS