Quem fala sobre a crise da biodiversidade na grande imprensa?

Análise de conteúdo voltada à reflexão sobre educação ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2023v11id5253

Palavras-chave:

crise da biodiversidade, jornalismo ambiental, educação

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar o conteúdo da cobertura jornalística da Folha de S. Paulo em sua editoria ambiental, com foco especificamente na crise da biodiversidade, por meio de um corpus do tipo mês construído, entre abril e novembro de 2022. Constatou-se que textos incluídos na categoria “Crise da biodiversidade” equivaleram a aproximadamente 15% do corpus. O principal achado deste estudo diz respeito ao fato de essa categoria ser aquela em que os textos de jornalismo científico estão mais concentrados (considerando-se toda a editoria ambiental). Na perspectiva da educação ambiental, recomenda-se que os educadores escolares considerem a cobertura ambiental como fonte potencial de materiais didáticos complementares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Profeta, Universidade de São Paulo (USP) | Museu de Zoologia da USP (MZUSP)

Guilherme Profeta é bacharel em Comunicação Social: Jornalismo pela Universidade de Sorocaba (Uniso), especialista em Gestão Estratégica também pela Uniso, mestre em Divulgação Científica e Cultural (Linguística) pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), doutor em Educação pela Uniso e pós-doutorado pela Divisão de Difusão Cultural do Museu de Zoologia da USP (MZUSP). Conduziu em seu Mestrado o projeto de pesquisa intitulado Elementos narrativos na Ficção Científica e a aplicabilidade da narração em textos de divulgação: Um estudo baseado em 2001: Uma Odisseia no Espaço, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Em seu doutorado, conduziu o projeto Educação, alteridade e jornalismo em perspectiva etnográfica. No pós-doutorado no Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (USP), pesquisou sobre a interface museu-jornalismo na educação para a biodiversidade. No passado, atuou como coordenador de produção editorial e gerente de comunicação corporativa da Acesso Comunicação. Seus trabalhos literários foram publicados no Brasil e no exterior. Foi um dos dois autores internacionais selecionados para a coletânea Cow Creek Review de 2009/2010, publicada pela Pittsburg State University. É o autor do livro-reportagem em quadrinhos Projeto Hibakusha, publicado em 2020 na ocasião dos 75 anos do bombardeio atômico de Hiroshima, que faz parte do acervo do Museu Memorial da Paz (Hiroshima Peace Memorial Museum), no Japão. Atua como docente da graduação em Jornalismo da Uniso e também no programa de pós-graduação em Educação da mesma instituição. É um dos jornalistas à frente do projeto de divulgação científica Uniso Ciência/Science @ Uniso.

Downloads

Publicado

27-12-2023

Como Citar

PROFETA, Guilherme. Quem fala sobre a crise da biodiversidade na grande imprensa? Análise de conteúdo voltada à reflexão sobre educação ambiental. Tríade: Comunicação, Cultura e Mídia, Sorocaba, SP, v. 11, n. 24, p. e023018, 2023. DOI: 10.22484/2318-5694.2023v11id5253. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/5253. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS