Os valores-mesmos de Veja

  • Wagner Belmonte Faculdade de Paulus de Tecnologia e Comunicação – FAPCOM
Palavras-chave: Veja, Relação Brasil/Estados UNidos, Discurso

Resumo

Esta pesquisa investiga como o enunciador Veja apresenta a sociedade norte-americana como modelo a ser seguido e de que forma ela seleciona seus valores-mesmos. Os Mesmos são figuras enunciadas que reúnem as séries de paisagens socioculturais e políticas construídas pela mídia e homólogas à valorização média de seus públicos. Nos valores-mesmos estão as diretrizes do pensamento liberal norte-americano: capitalismo, liberalismo econômico e os pontos nodais liberdade e prosperidade. São afastadas do espaço dos valores-mesmos de Veja, por exemplo, as figuras do criminoso, sem-terra, árabe, do excluído e do miserável. O objetivo da pesquisa é compreender como a revista constrói, através dos pontos nodais, a ideia de que os EUA são um referencial para inspirar o Brasil como nação. Nossa tese é a de que o enunciador se apoia no espectro ideológico do liberalismo econômico para adotar posições conservadoras e tradicionais, sobretudo politicamente. Quanto à metodologia de pesquisa, ela se baseia na análise de discurso proposta por Laclau, Mouffe, Prado, e Charaudeau. A expectativa é que este trabalho contribua para aprofundar o debate sobre a forma como a relação Brasil-Estados Unidos é apresentada, às vésperas de o título completar 50 anos.

Referências

7 PERIGOS de dar uma banana para a Alca. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1824, 2003.
7 SOLUÇÕES contra o crime. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1928, 2005.
7 RAZÕES para votar NÃO. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1925, 2005.
A BRIGA pela faixa. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1106, 1989.
A FEBRE paralisante. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 870, 1985.
AGORA, o combate que decide a sorte do Brasil – presidente Collor ou presidente Lula. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1106, 1989.
A GUERRA ao turbante. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1020, 1988.
ALMANAQUE. Dinheiro. Cronologia. Folha Uol. 2009. Disponível em:< http://almanaque.folha.uol.com.br/dinheiro80.htm>. Acesso em: 14 de jul. 2015.
ARMAS – ter ou não ter? Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1603, 1999.
ASSALTOS, medos e autodefesa – O brasileiro se arma. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 822, 1984.
BELMONTE, Wagner. A construção da relação “Brasil – Estados Unidos” na revista Veja. 216. 408 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
BENETTI, Marcia. A ironia como estratégia discursiva da revista Veja. Líbero, São Paulo, Ano X, n. 20, 2007.
BRASIL peita os EUA na Alca – Coragem ou estupidez? Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1824, 2003.
CALDEIRA, Tereza. Regimes de visibilidades do outro. In: PRADO, José Luiz Aidar et al. A invenção do mesmo e do outro na mídia semanal. São Paulo: PUC-SP, 2008. 1 DVD hipermídia.
COLLOR de Mello – O caçador de marajás. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1020, 1988.
CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2009.
DE braços cruzados. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 868, 1885.
DEPOIS do referendo, vamos ao que interessa: 7 soluções testadas e aprovadas contra o crime. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1928, 2005.
ENTUSIASMO até o fim. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição nº 1145, 1990.
FERREIRA, Fabio Alves. Para entender a teoria do discurso de Ernesto Laclau. REVISTA ESPAÇO ACADÊMICO, Maringá, Ano XI, n. 127, 2011.
FHC encara a CUT. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1393, 1995.
FHC peita a CUT. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1394, 1995.
IKEHARA, Hideharu Carlos Ikehara. A reserva de mercado de informática no Brasil e seus resultados. REVISTA DE CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIPAR. Umuarama: 1997, v. 5, n. 18, 1997, p. 7-21.
LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonia e estratégia socialista – por uma política democrática radical. São Paulo: Intermeios, 2015.
MEDINA, Cremilda. Entrevista: o diálogo possível. São Paulo: Ática, 2008.
MEMÓRIAS de um editor. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 2324, 2013.
MERMET, Daniel. América Rebelde: uma entrevista com Noam Chomsk. Le monde diplomatique Brasil. 2007. Disponível em: < https://www.diplomatique.org.br/print.php?tipo=ar&id=2>. Acesso em: 12 de jul. 2015.
MUITO suor, pouca produção. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição nº 2250, 2012.
O GRANDE duelo no mundo comunista. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1968, 2006.
O PLANALTO sacou primeiro. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1396, 1995.
O TESTE das greves. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 870, 1985.
PRADO, José Luiz Aidar. Convocações biopolíticas dos dispositivos comunicacionais. São Paulo: EDUC: FAPESP, 2013.
PRADO, José Luiz Aidar. Linhas de fuga, da mídia semanal à hipermídia: é possível educar para as mídias? Intexto, Porto Alegre, v. 2, n. 15, 2006.
RAMALDES, Dalva; PRADO, José Luiz Aidar. O corpo do poder: estudo semiótico da figura de Lula na campanha presidencial de 1989 nas revistas semanais Veja e Istoé. BRAZILIAN JOURNALISM RESEARCH, Brasília, v. 1, n. 1, p. 167-189, 2008.
REBELIÃO na galáxia vermelha. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1968, 2006.
REFERENDO da fumaça. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 1925, 2005
ROBERTO Civita – (1936-2013). Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 2324, 2013.
ROBERTO Civita X Collor de Mello. Veja. São Paulo: Vejapontocom, 2007. Acesso em: 28 de jul. 2015.
SANTOS, Boaventura de Sousa. Entrevista da 2ª. Democracia convive com fascismo social. Folha Uol. 2001. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2105200102.htm>. Acesso em: 09 jul. 2015.
SANTOS, Boaventura de Sousa. O fascismo como regime social. Carta Maior. 2003. Disponível em: < http://www.cartamaior.com.br/colunaImprimir.cfm?cm_conteudo_idioma_id=19422 >. Acesso em: 10 jul. 2015.
SANTOS, Boaventura de Sousa. Os fascismos sociais. Folha Uol. 1998. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz06099808.htm>. Acesso em: 09 jul. 2015.
SINAIS de boa vontade. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 940, 1986.
TRONTI, Mario. A teoria política do individualismo possessivo: de Hobbes até Locke. In: Hegemonia e estratégia socialista – por uma política democrática radical. São Paulo: Intermeios, 2015.
UM linguista apaixonado pela política. Veja. São Paulo: Editora Abril, edição n. 357, 1975.
Publicado
2017-08-18
Como Citar
Belmonte, W. (2017). Os valores-mesmos de Veja. REU - Revista De Estudos Universitários, 43(1), 71-97. https://doi.org/https://doi.org/10.22484/2177-5788.2017v43n1p71-97