Tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista paulista

Palavras-chave: Questão social, Movimento estudantil, Imprensa, Invasão, Ocupação

Resumo

O objetivo deste trabalho foi verificar como a imprensa organiza a argumentação entre diferentes posições-sujeito materializadas no discurso sobre o movimento estudantil. Para tanto, foram analisadas sequências discursivas extraídas de matérias jornalísticas – publicadas na editoria de educação do jornal Folha de São Paulo – sobre as ocupações de escolas realizadas pelos estudantes secundaristas paulistas em 2015. No corpus foram identificadas duas designações diferentes e opostas: invasão e ocupação, que indicam o tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista e, num sentido lato, como as manifestações da questão social são abordadas. Constatou-se que a designação invasão, que remete à posição-sujeito do governo estadual, apoia-se no direito à posse/administração do estabelecimento educacional, enquanto a designação ocupação, que remete à posição-sujeito dos estudantes secundaristas, apoia-se no direito ao ensino público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanderlei de Castro Ezequiel, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP

Doutorando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP - Araraquara

Fernanda Stella Cavicchia, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP

Mestranda em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP - Araraquara

Maria Ribeiro do Valle, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" – UNESP

Professora livre-docente da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP - campus de Araraquara. 

Referências

AMARAL, Márcia F. Lugares de fala: um conceito para abordar o segmento popular da grande imprensa. Contracampo, n. 12, p. 103-114, 2005. Disponível em: http://periodicos.uff.br/contracampo/issue/view/1004. Acesso em: 2 maio 2019.

ANDRADE, Gislaine R. Expressões da questão social no contexto da escola pública: olhares sobre a gestão escolar. 2017. 179f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2017.

BRANDÃO, Helena H. N. Introdução à análise do discurso. 2. ed. São Paulo: Unicamp, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 24. ed. São Paulo: Saraiva, 2000.

BRITO, Luciana. Escolas de luta: a disputa entre projetos educacionais nas escolas ocupadas em São Paulo. Movimento: revista de educação. Niterói, ano 4, n. 6, p. 306-328, jan-jun. 2017. Disponível em: http://www.revistamovimento.uff.br/index.php/revistamovimento/article/view/314. Acesso em: 3 maio 2019.

CAMPOS, Antônia. M.; MEDEIROS, Jonas; RIBEIRO, Márcio. M. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

CATINI, Carolina. R.; MELLO, Gustavo M. C. Escolas de luta, educação política. Educação & Sociedade, v. 37, n. 137, p. 1177-1202, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v37n137/1678-4626-es-37-137-01177.pdf. Acesso em: 1 maio 2019.

CHAIA, Vera. Jornalismo e política: escândalos e relações de poder na câmara municipal de São Paulo. São Paulo: Hacker, 2004.

CHARAUDEAU, Patrik. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2012.

EZEQUIEL, Vanderlei de C. A mercantilização das questões sociais e o discurso da “ajuda”. 2005. 208f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Faculdade Cásper Líbero, 2005. Disponível em: https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/02/02-A-Mercantiliza%C3%A7%C3%A3o-das-quest%C3%B5es-sociais-e-o-espet%C3%A1culo-da-ajuda.pdf. Acesso em: 1 maio 2019.

EZEQUIEL, Vanderlei de C. Questões sociais e discurso político eleitoral. In: CHAIA, Vera; COELHO, Cláudio; CARVALHO, Rodrigo (orgs.). Mídia e política: estudos sobre a democracia e os meios de comunicação no Brasil. São Paulo: Anita Garibaldi, 2015. p. 95-109.

FIORIN, José Luiz. O regime de 1964: discurso e ideologia. São Paulo: Atual, 1988.

GALELLI, Cíntia Y.; BEDÊ, Luiza. Embates ideológicos em torno da palavra “diálogo” durante a implementação da reorganização escolar de 2015. Caleidoscópio, v. 15, n. 2, p. 284-294, 2017. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/article/view/cld.2017.152.06/6175. Acesso em: 3 maio 2019.

INDURSKY, Freda. Argumentação na mídia: do fio do discurso ao processo discursivo – um contraponto. Espaços de circulação da linguagem, Santa Maria, n. 27, p. 55-66, jul./dez. 2003.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em análise de discurso. Campinas: Editora Unicamp/Pontes, 1989.

MAINGUENEAU, Dominique. Termos-chave da análise do discurso. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

MELITO, Leandro. “O movimento secundarista é 100% horizontal”, defende aluno que ocupou colégio em SP. Empresa Brasil de comunicação. Disponível em: http://www.ebc.com.br/cidadania/2016/05/ocupacoes-nas-escolas-entenda-o-movimento-estudantessecundaristas. Acesso em: 3 maio 2016.

MONTEIRO, André. SP vai transferir mais de um milhão de alunos para dividir escolas por séries. Folha de S. Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/233990-sp-vai-transferir-mais-de-1-milhao-de-alunos-para-dividir-escolas-por-series.shtml. Acesso em: 3 set. 2016.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Ideologia e processo de seleção de notícias. In: MOTTA, Luiz Gonzaga (Org.). Imprensa e poder. Brasília: Unb/Imprensa Oficial do Estado, 2002.

NAVARRO, Cristiano; BRASILINO, Luís. Escolas de lua. Le monde diplomatique. Disponível em: https://diplomatique.org.br/escolas-de-luta/. Acesso em: 1 maio 2019.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Do sujeito na história e no símbolo. Escritos n. 4. Campinas: publicação do Laboratório de Estudos Urbanos Nudecri/LABERURB, p. 17-27, maio, 1999. Disponível em: https://www.labeurb.unicamp.br/portal/pages/pdf/escritos/Escritos4.pdf. Acesso em: 4 maio 2019.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 9. ed. Campinas: Pontes Editores, 2010.

PEREGRINO, Mônica D. Desigualdade numa escola em mudança: trajetórias e embates na escolarização pública de jovens pobres. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006. Disponível em: http://www.bdae.org.br/dspace/bitstream/123456789/703/1/tese.pdf. Acesso em: 1 maio 2019.

SILVA, Luiz Martins. Imprensa e cidadania: possibilidade e contradições. In: MOTTA, Luiz Gonzaga (org.) Imprensa e poder. Brasília: Unb/Imprensa Oficial do Estado, 2002.

TELLES, Vera da Silva. Direitos sociais: afinal de que se trata? Belo Horizonte: UFMG, 2006.

VALLE, Maria R. O diálogo é a violência: movimento estudantil e ditadura militar no Brasil. Campinas: Unicamp, 2016.

YAZBEK, Maria C. Classes subalternas e assistência social. São Paulo: Cortez, 1993.

Publicado
2019-08-06
Como Citar
EZEQUIEL, V.; CAVICCHIA, F.; VALLE, M. Tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista paulista. REU - Revista de Estudos Universitários, v. 45, n. 1, p. 107-128, 6 ago. 2019.