Tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista paulista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2019v45n1p107-128

Resumo

O objetivo deste trabalho foi verificar como a imprensa organiza a argumentação entre diferentes posições-sujeito materializadas no discurso sobre o movimento estudantil. Para tanto, foram analisadas sequências discursivas extraídas de matérias jornalísticas – publicadas na editoria de educação do jornal Folha de São Paulo – sobre as ocupações de escolas realizadas pelos estudantes secundaristas paulistas em 2015. No corpus foram identificadas duas designações diferentes e opostas: invasão e ocupação, que indicam o tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista e, num sentido lato, como as manifestações da questão social são abordadas. Constatou-se que a designação invasão, que remete à posição-sujeito do governo estadual, apoia-se no direito à posse/administração do estabelecimento educacional, enquanto a designação ocupação, que remete à posição-sujeito dos estudantes secundaristas, apoia-se no direito ao ensino público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanderlei de Castro Ezequiel, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP

Doutorando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP - Araraquara

Fernanda Stella Cavicchia, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP

Mestranda em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP - Araraquara

Maria Ribeiro do Valle, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" – UNESP

Professora livre-docente da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP - campus de Araraquara. 

Publicado

2019-08-06

Como Citar

EZEQUIEL, V. DE C.; CAVICCHIA, F. S.; VALLE, M. R. DO. Tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista paulista. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 45, n. 1, 6 ago. 2019.