A Pesquisa de Territorialidades Ambientais em Estudos Pós-Coloniais do Jornalismo na Amazônia

Palavras-chave: Territorialidade ambiental, Estudos pós-coloniais, Comunicação das minorias, Comunicação indígena, Jornalismo na Amazônia

Resumo

O conceito de territorialidade incide numa problemática metodológica e teórica antes mesmo de migrar aos campos da comunicação e do jornalismo. Os estudos pós-coloniais podem contribuir na percepção de conflitos identitários nele envolvidos, capazes de elucidar e legitimar os sentidos das lutas políticas, econômicas, sociais, culturais e ambientais comuns às territorialidades humanas e não humanas. Partiremos das discussões em torno do termo na geografia e no contexto amazônico, para, em seguida, ilustrar as representações de territorialidades ambientais na comunicação indígena, como forma de pesquisar os fatores e os contextos complexos, multivalentes e sobrepostos na cobertura jornalística de demandas de sujeitos minoritários por ocupação territorial na Amazônia brasileira. Pretendemos sugerir pautas e objetos de estudo a respeito das singularidades da temática na região, tendo em vista a coexistência da sua diversidade social, étnica e de ecossistemas naturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simão Farias Almeida, UFRR

Professor do Curso de Comunicação Social - Jornalismo da Univeridade Federal de Roraima (UFRR). Líder do Grupo de Pesquisa Mídia, conhecimento e meio ambiente: olhares da Amazônia (CNPq/UFRR). Doutor em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Pesquisador nas áreas de comunicação ambiental, cinema ambiental, jornalismo ambiental e mudanças climáticas.

Referências

BECKER, Bertha K. Amazônia. São Paulo: Ática, 1991.

COSTA, Rogério Haesbaert da. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

DI FELICE, Massimo; PEREIRA, Eliete S. Redes e ecologias comunicativas indígenas: as contribuições dos povos originários à Teoria da Comunicação. São Paulo: Paulus, 2017.

FREITAS, Marcílio de. Nuanças da sustentabilidade: visões fantásticas da Amazônia. In: FREITAS, Marcílio de [org.]. A ilusão da sustentabilidade. Manaus: Governo do Estado do Amazonas, 2003.

LAPOE, Victoria L.; LAPOE II, Benjamin Rex. Indian country: telling a story in a digital age. East Lansing: Michigan State University Press, 2017. E-book.

MARTIN-BARBERO, Jesús. Ofício de cartógrafo: travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

MORIN, Edgar. Terra-pátria. Porto Alegre: Sulina, 2003.

ORBE, Mark P. Constructing co-cultural theory: an explication of Culture, Power, and Communication. Thousand Oaks; London; New Delhi: Sage Publications, 1998.

PLUMWOOD, Val. Environmental culture: the ecological crisis of reason. New York: Routledge, 2002.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA. Projeto de criação do Programa de Pós-graduação em Comunicação. Boa Vista/RR, 2018.

SAQUET, Marcos Aurélio. Abordagens e concepções de território. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SOUSA, Cássio Noronha Inglez de; ALMEIDA, Fábio Vaz Ribeiro de [orgs.]. Gestão territorial em terras indígenas no Brasil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão; Unesco, 2015.

SPIVAK, Gayatri C. A critique of postcolonial reason: toward a history of the vanishing present. Cambridge: Harvard College, 1999.

Publicado
2019-12-12
Como Citar
FARIAS ALMEIDA, S. A Pesquisa de Territorialidades Ambientais em Estudos Pós-Coloniais do Jornalismo na Amazônia. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 45, n. 2, p. 387-408, 12 dez. 2019.