Mediações Comunicativas da Cultura Automotiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2019v45n2p409-427

Resumo

O propósito do presente artigo é dar maior dimensão epistemológica a uma pesquisa baseando-a na teoria barberiana da comunicação. Reunindo elementos de três mapas de mediações oferecidos por Jesús Martín-Barbero, os autores criam um mapa exclusivo para investigar o chamado jornalismo automotivo (especializado em veículos automotores), os automóveis e a mobilidade, ao qual dão o nome de Mediações Comunicativas da Cultura Automotiva. O projeto busca pistas para percorrer o caminho entre o mito da liberdade oferecida por um automóvel e o amplo conceito de mobilidade que se faz necessária dentro do parâmetro das grandes cidades que se pretendam sustentáveis e, em boa medida, já demandada pelo público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eugênio Bucci, USP

Professor Titular da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP). Membro do Conselho Científico-Cultural do Instituto de Estudos Avançados da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), do Conselho Administrativo do Colégio Santa Cruz de São Paulo e do Conselho Consultivo da Fundação OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), do Conselho Consultivo da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial), do Conselho Consultivo do Programa de Comunicação e Jornalismo do Insper, do Conselho Consultivo do Instituto Palavra Aberta, do Conselhos Editoriais das revistas Interesse Nacional (ISSN 1982-8497) e Pesquisa Fapesp. Escreve quinzenalmente na página 2 do jornal "O Estado de S. Paulo". Foi professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), entre 2010 e 2014, onde dirigiu o curso de Pós-Graduação em Jornalismo com Ênfase em Direção Editorial, de 2011 a 2013. Foi presidente da Radiobrás de 2003 a 2007. Na Editora Abril, foi diretor de redação das revistas Superinteressante e Quatro Rodas e Secretário Editorial. Ganhou o prêmio Luiz Beltrão de Ciências de Comunicação, na categoria Liderança Emergente (2011), o Prêmio Excelência Jornalística 2011, da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), o Prêmio Esso de Melhor Contribuição à Imprensa (2013) pela Revista de Jornalismo ESPM, o Prêmio Tese Destaque USP(2017) como orientador da melhor tese de doutorado em Ciências Sociais Aplicadas (O príncipe digital: estruturas de poder, liderança e hegemonia nas Redes Sociais, de Maíra Carneiro Bittencourt Maia). Foi o Jornalista Homenageado 2017 do Prêmio Especialistas - Negócios da Comunicação. Escreveu, entre outros livros, O Estado de Narciso (2015) e A Forma Bruta dos Protestos (2016), ambos pela Companhia das Letras.

Publicado

2019-12-12

Como Citar

QUINTANILHA, S. R.; BUCCI, E. Mediações Comunicativas da Cultura Automotiva. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 45, n. 2, 12 dez. 2019.