CHAMADA ABERTA - Educação midiática

02-02-2024

Destacamos, entre os pesquisadores de educação midiática, David Buckingham, que escreveu o “Manifesto pela educação midiática”. Indo ao encontro da proposta de Buckingham, que consta na obra mencionada, reforçamos a ideia de que a educação midiática não implica em ensinar com as mídias ou através delas, mas ensinar sobre as mídias, sobre como elas funcionam. Consideramos esta concepção aliada ao fato de que não devemos, em pesquisas que envolvem as mídias, tratar dos sintomas, mas sim das causas, ou seja, não devemos nos preocupar, por exemplo, somente em criar mecanismos para avaliar se uma informação é verdadeira ou falsa, mas compreender porque as mídias se interessam por desinformação, ou porque as pessoas consomem desinformação. Deste modo, tais pesquisas poderiam, ainda considerando a perspectiva de Buckingham, se apoiar nos seguintes conceitos: 1) linguagem midiática; 2) representação, com foco na relação com a realidade; 3) processo de produção e 4) consumo midiático. Para cada um desses conceitos, cabem questões que podem ser exploradas.

Neste sentido, com esta chamada buscamos, de um lado, reflexões sobre como o estudante via educação midiática pode vir a regular o seu próprio uso das mídias, ou se tornar um consumidor informado, ou compreender os processos de produção, ou se tornar produtor, ainda que não alcance um nível profissional. De outro, buscamos experiências com educação midiática que tenham essas perspectivas como alvo, e que, portanto, contemplam os conceitos mencionados.