Faces e interfaces educomunicativas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2021v9n20p6-23

Resumo

A partir de trabalho que realizamos no âmbito do grupo de pesquisa MECOM, cujos resultados podem ser encontrados em: http://www2.eca.usp.br/mecom/, voltado a reconhecer e analisar questões postas nos vínculos comunicativo-educativos em escolas do ensino básico, retiramos algumas categorias a serem discutidas neste artigo. Fixamos, em particular, o conceito de interface enquanto núcleo para o qual convergem e do qual se expandem fatores que precisam ser considerados para avançar o debate sobre a educomunicação. Em síntese, procuramos expor e problematizar vetores estruturais e culturais cuja perscrutação é necessária quando se objetiva a tratar dos nexos da comunicação nos ambientes de ensino-aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Citelli

Pesquisador 1B do CNPq, é líder do grupo de pesquisa Mediações Educomunicativas (MECOM: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0118368098237653).  Foi chefe do Departamento de Comunicações e Artes-ECA-USP, coordenador do PPGCOM-USP, membro do comitê de avaliação da CAPES e do comitê assessor de Comunicação do CNPq. Autor de inúmeros artigos e livros, dentre estes destacam-se: Linguagem e persuasão (Ática, 1994); Comunicação e educação: a linguagem em movimento (SENAC, 2000); Palavras, meios de comunicação e educação (Cortez, 2006); Educomunicação. Construindo uma nova área de conhecimento (Org.com Cristina Costa). (Paulinas, 2011); Educomunicação. Imagens do professor na mídia (Org.). (Paulinas, 2012); Comunicação e educação: o problema da aceleração social do tempo (Org.). (Paulinas, 2017).

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond. A rosa do povo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre o conceito de história. Obras escolhidas v. 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

CITELLI, Adilson (Org.). Comunicação e educação. Os desafios da aceleração social do tempo. São Paulo: Paulinas, 2017.

COULDRY, Nick; MEJIAS, Ulises A. How data is colonizing human life and appropriating it for capitalism. Redwood City: Stanford University Press, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

HEIDEGGER, Martin. A questão da técnica. Ensaios e Conferências. Petrópolis: Vozes, 2002.

HUI, Yuk. Tecnodiversidade. São Paulo: Ubu, 2020.

MAINGUENEAU, Dominique. Analyser les textes de la communication. Paris: Dunod, 1998.

MATA, Maria Cristina. Comunicación y ciudadanía. Problemas teórico-políticos de su articulación. Revista Fronteiras, São Leopoldo, v. VIII, n. 1, p. 5-15, jan./abr. 2006.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

PIKETTY, Thomas. Capital e ideologia. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

TEZZA, Cristovão. A tensão superficial do tempo. 1 ed. São Paulo: Todavia, 2020.

Downloads

Publicado

2021-05-03

Como Citar

Citelli, A. (2021). Faces e interfaces educomunicativas. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 9(20), 6–23. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2021v9n20p6-23