Pesquisa em Educação e formação pela pesquisa

nada é tão simples quanto quer parecer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2019v21n3p807-827

Resumo

O artigo, de caráter ensaístico, examina as exigências da pesquisa em Educação e suas dimensões da formação pela pesquisa. Explora, especialmente, aspectos da pesquisa em educação que têm se mostrado particularmente afetados por uma tendência epistemológica subjetivista, presa ao empirismo, ao relativismo e ao pragmatismo. Destaca quatro aspectos fulcrais no desenvolvimento da pesquisa – o problema de pesquisa; seu corpo teórico; o estado da questão; e as decisões metodológicas –, identificando fragilidades e suas causas prováveis. Conclui reafirmando a necessidade de pesquisa orgânica, de caráter sistemático e integrado em oposição às perspectivas dispersivas fortemente enviesadas pelo senso comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Percival Leme Britto, Universidade Federal do Oeste do Pará

Doutor em Linguística. Atua na área de Educação e Linguagem, como professor, pesquisador e formador de professores, desenvolvendo pesquisas e realizando assessoria em vários níveis de ensino para diferentes instâncias administrativas e organizações sociais. É professor da Universidade Federal do Oeste do Pará, onde atua nos cursos de graduação de Pedagogia e Letras e nos programas de mestrado Profissionlizante em Letras - Profletras e de Pós-graduação em Educação, do qual é o atual coordenador.

Publicado

2019-12-09

Como Citar

BRITTO, L. P. L. Pesquisa em Educação e formação pela pesquisa: nada é tão simples quanto quer parecer. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 21, n. 3, 9 dez. 2019.

Edição

Seção

Artigos de Demanda