Tradução e adaptação na literatura infantojuvenil: o gênero fábula

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2016v42n1p175-197

Resumo

No presente estudo, buscamos discutir a tradução e adaptação na literatura infantojuvenil, com foco no gênero fábula, apresentando um breve estudo de caso que tem como objeto textualizações em português de uma fábula do escritor espanhol Tomás de Iriarte. A pesquisa aborda diversos conceitos na tentativa de entender os elementos que fazem com que determinadas textualizações sejam apresentadas como adaptações, enquanto que outras sejam vistas como traduções. Nesse processo, é feita uma revisão bibliográfica com vistas a definir as semelhanças e diferenças entre os conceitos de tradução e adaptação, o que se adapta e por que se adapta na literatura infantojuvenil, o que é fábula e sua inserção na literatura infantojuvenil. A partir daí, discutimos as textualizações de fábulas por meio de verso e prosa, abordando a evolução histórica do gênero e alcançando a problemática do texto-fonte em verso e texto-alvo em prosa. Por fim, apresentamos uma breve análise de textualizações em português de uma fábula de Iriarte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clarissa Rosas, USP - Universidade de São Paulo UFPB - Universidade Federal da Paraíba

Professora substituta na Universidade Federal da Paraíba, com atuação no Departamento de Mediações Interculturais. Mestranda em Estudos da Tradução pela USP. Bacharela em Tradução pela Universidade Federal da Paraíba e arquiteta/urbanista formada pela mesma instituição. Tradutora profissional nos pares espanhol-português, inglês-português e francês-português. Tem experiência nas áreas de Estudos da Tradução e Arquitetura.

Downloads

Publicado

2016-08-10

Como Citar

ROSAS, C. Tradução e adaptação na literatura infantojuvenil: o gênero fábula. Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 42, n. 1, 2016. DOI: 10.22484/2177-5788.2016v42n1p175-197. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/2475. Acesso em: 2 jul. 2022.