The wall:

uma análise da adaptação da obra fonográfica para o cinema

Autores

  • Giovana Martins de Castro Marqueze Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2016v42n1p95-109

Resumo

O presente artigo visa analisar a transposição do álbum da ópera-rock The Wall (1979), da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd, para o filme Pink Floyd – The Wall (1982), a fim de fazer uma maior divulgação das adaptações de canções e de álbuns musicais conceituais no âmbito dos Estudos da Adaptação, evidenciando, assim, algumas de suas peculiaridades. A análise foi baseada no proposto por Hutcheon (2006), onde a autora estabelece critérios para a análise de adaptações que vão muito além da questão da fidelidade à obra original. Ao final do artigo é detalhada uma pesquisa de caráter exploratório com fãs do Pink Floyd, onde foi possível observar que a percepção que 88% dos participantes tinham de The Wall mudou após terem tido contato com sua adaptação para o cinema no que se refere à interpretação da obra, o que lhes proporcionou uma experiência mais intensa e completa. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Martins de Castro Marqueze, Universidade de São Paulo - USP

Mestranda em Estudos da Tradução pelo programa TRADUSP do Departamento de Letras Modernas da Universidade de São Paulo. Possui Graduação em Letras com Habilitação em Inglês e Português e Respectivas Literaturas e Especialização em Língua Inglesa, ambos pela Universidade Estadual de Londrina

Downloads

Publicado

2016-08-10

Como Citar

MARQUEZE, G. M. de C. The wall:: uma análise da adaptação da obra fonográfica para o cinema. Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 42, n. 1, 2016. DOI: 10.22484/2177-5788.2016v42n1p95-109. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/2525. Acesso em: 2 jul. 2022.