Claros e escuros:

violências na sociedade midiatizada brasileira

  • Laan Mendes de Barros Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP
  • Solon Barbosa Veloso Neto Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP
Palavras-chave: Violência midiática., Questão racial., Urbanização., Identidade.

Resumo

A problemática da violência no Brasil no contexto da sociedade midiatizada brasileira, com ênfase na questão racial. Seus desdobramentos no universo dos meios de comunicação que podem ser entendidas como violência midiática. Os processos de urbanização, de midiatização da sociedade e de aumento da violência direta que envolve minorias políticas da população estão entrelaçados. Esse quadro está relacionado à construção da identidade nacional. Violência, identidade e alteridade são aqui estudadas a partir do campo da Comunicação. O texto não apresenta soluções, mas levanta problemas entre mídia e violência, que são vitais para indivíduos e grupos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRAGA, José Luiz. A sociedade enfrenta sua mídia: dispositivos sociais de crítica midiática. São Paulo: Paulus, 2006.
BRASIL. Secretaria Geral da Presidência da República. Mapa do encarceramento: os jovens do Brasil. Brasília, 2014.
BENTO, Maria Aparecida Silva et al. (Org.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.
CÂMARA. Câmara dos deputados. Relatório final comissão parlamentar de inquérito homicídio de jovens negros e pobres. 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2016.
FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. 2. ed. São Paulo: Global, 2007.
GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método II. Complementos e Índice. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.
GALTUNG, Johan. Violência cultural. Bizcaia: Gernika Gogoratuz, 2003.
GUIMARÃES, Antonio Sergio. Preconceito racial: modos, temas e tempos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2012.
HOHLFELDT, Antonio; MARTINO, Luiz C.; FRANÇA, Vera Veiga (Orgs.). Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2015
ONU. Conferência mundial contra o racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerância correlata. 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2016.
RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. Rio de Janeiro: Cia das Letras, 2003.
SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993.
SHINAR, Dov. Mídia democrática e jornalismo voltado para a paz. Líbero, São Paulo, v. 11, n. 21, p. 39-48, 2008.
SODRÉ, Muniz [et al.]. A comunicação do grotesco: introdução à cultura de massa no Brasil. 9. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1981.
SODRÉ, Muniz. Sociedade, mídia e violência. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2006a.
SODRÉ, Muniz. As estratégias sensíveis: afeto, mídia e política. Petrópolis: Vozes, 2006b.
SODRÉ, Muniz. Claros e escuros: identidade, povo e mídia no Brasil. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.
UNESCO. Declaração universal sobre a diversidade cultural. 2002. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2016.
WAISELFISZ, Julio J. Mapa da violência 2016: mortes matadas por armas de fogo. Rio de Janeiro, FLACSO/CEBELA, 2016.
Publicado
2017-02-15
Como Citar
BARROS, L. M. DE; VELOSO NETO, S. B. Claros e escuros:: violências na sociedade midiatizada brasileira. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 42, n. 2, p. 299-316, 15 fev. 2017.