Identidade e participação:

apontamentos sobre a experiência política das ocupações secundaristas de 2015

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão sobre democracia, cidadania e identidade em um contexto de mundialização da cultura, abordando, a partir da problematização de alguns paradigmas das Ciências Sociais, a especificidade de tais questões no contexto político brasileiro. Trata-se, mais especificamente, das relações entre Estado e participação política durante as ocupações de escolas promovidas pelos secundaristas do Estado de São Paulo em 2015, passando, ainda, pelas chamadas Jornadas de Junho de 2013. Atenta-se à postura vertical adotada pelo governo paulista, ao determinar a “reorganização escolar”, e a contrapartida dos estudantes, através do movimento de ocupação ao longo de mais de dois meses no final do referido ano. A articulação das ocupações foi engendrada com base no emprego de “redes sociais”, na organização horizontal e autonomista do espaço escolar e na tentativa de diálogo com o governo; sua análise evidencia uma significativa possibilidade de participação política.

Publicado
Ago 18, 2017
Como Citar
PEROZZI DA SILVEIRA, Bruno et al. Identidade e participação:. REU - Revista de Estudos Universitários, [S.l.], v. 43, n. 1, p. 113-133, ago. 2017. ISSN 2177-5788. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3007>. Acesso em: 23 jan. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.22484/2177-5788.2017v43n1p113-133.