A Geografia da Televisão e suas Trocas Simbólicas

Palavras-chave: Televisão, Geografia, Território simbólico, Regional, Relações Sorocaba-Jundiaí

Resumo

Diante da constatação de que no espectro eletromagnético a distribuição dos sinais para transmissões de rádio e TV não acompanha outras formas oficialmente utilizadas nas divisões administrativa, política e territorial do espaço no país, esta pesquisa, ainda em fase inicial, tem como objetivo compreender como se dão as trocas simbólicas entre Sorocaba e Jundiaí, cidades médias que nunca tiveram laços entre si, mas foram unidas pela geografia da televisão. Utilizando-se de metodologia empírico-teórica, tomando como referência a teoria social da mídia de John Thompson e a ressignificação dos espaços geográficos de Milton Santos, o estudo busca identificar qual visibilidade o local ganha na programação da maior rede de televisão do Brasil e como isso repercute nas relações entre sorocabanos e jundiaienses.  Os resultados a serem alcançados podem permitir entender as novas relações entre as duas cidades cerca de duas décadas depois de elas terem se ligado pela televisão

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Radiofrequências: leilões de radiofrequência podem mudar para popularizar serviços. Disponível em: https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/banda-larga/mercado telecomunicacoes/radiofrequencias.aspx. Acesso em: 17 jun. 2019.

AGUIAR, Sonia. Territórios do jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2016.

ALARCON, Anderson de O. A televisão e o instituto da concessão pública. JusBrasil. 2005. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/7654/a-televisao-e-o-instituto-da-concessao-publica. Acesso em: 24 jul. 2019.

BRASIL. Decreto no. 9.472, de 16 de julho de 1997. Organização dos serviços de telecomunicações, criação e funcionamento de órgão regulador. Brasília, 1997.

DONO de afiliada da Globo, Collor perde concessão de rádio e TV por decisão judicial. Revista Fórum, Santos, 11 jul., 2019. Disponível em: https://revistaforum.com.br/comunicacao/dono-de-afiliada-da-globo-em-alagoas-collor-perde-concessao-de-radio-e-tv-por-decisao-judicial/ . Acesso em: 12 jul. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Divisão Regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geografias intermediárias. Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

MÉDIA OWNERSHIP MONITOR. Intervozes: coletivo Brasil de Comunicação Social. Repórteres sem Fronteira pela liberdade da Informação. Quem controla a mídia no Brasil? São Paulo, 2017. p. 1. Disponível em: http://brazil.mom-rsf.org/br/. Acesso em: 15 abr. 2019.

PIERANTI, Octavio P. A distribuição geográfica das estações locais de TV no Brasil. Famecos, Rio Grande do Sul, v. 25, n. 3, p. 1-19, 2018. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/30181. Acesso em: 10 dez. 2019.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço. São Paulo: Editora USP, 2006.

SÃO PAULO (Estado). Constituição Estadual Paulista. São Paulo: Assembleia Legislativa, 1989.

SOMMA NETO, João; CALEFFI, Renata; DIAS E. C. Política e televisão: sistema de meios e concessões públicas no Brasil e na Argentina. Comunicação Pública, Lisboa, v. 10, n. 17, 2015. Disponível em: https://journals.openedition.org/cp/949. Acesso em: 10 dez. 2019.

THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade. Petrópolis: Vozes, 1998.

TOLEDO, Marcelo. Em Jundiaí, onde não há geradora de TV local, debates movem a disputa eleitoral. Folha de S. Paulo, São Paulo, 24 out. 2016. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/eleicoes-2016/2016/10/1825671-em-jundiai-onde-nao-ha-geradora-de-tv local-debates-movem-disputa-eleitor. Acesso em: 1 maio 2019.

Publicado
2019-12-12
Como Citar
GONÇALVES, J. C.; ROVIDA, M. A Geografia da Televisão e suas Trocas Simbólicas. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 45, n. 2, p. 373-386, 12 dez. 2019.