A transformação do estigma em orgulho

redes de sociabilidade LGBT na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2020v46n2p409-424

Palavras-chave:

Sexualidade, Permanência, Vida universitária

Resumo

Este texto tem como objetivo refletir sobre o processo de transformação do estigma em orgulho e a criação de redes de sociabilidade e segurança para pessoas LGBTs, a partir das trajetórias formativas de seis estudantes da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. A abordagem ao tema foi qualitativa e adotou-se a perspectiva da etnometodologia, por meio da etnopesquisa implicada. A compreensão de universidade posta pelas estudantes dão conta de um lugar que ao mesmo tempo em que se apresenta como um terreiro de diversidades, propício para vivência e expressão das sexualidades e gêneros dissidentes, é também um espaço marcado por práticas de silenciamento e invisibilização, especialmente nos espaços formais de aprendizagem. Como resistência e táctica de permanência, essas estudantes têm construído e constituído espaços seguros e agenciamentos a possibilitar que suas identidades passem a ser vistas e vivenciadas em locais públicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Amaral, J. G. (2014). Coletivos Universitários de Diversidade Sexual e a crítica à institucionalização da militância LGBT. Século XXI–Revista de Ciências Sociais, 4(2), 133-179.

Caetano, M. Et al. (2010) A produção da heteronormatividade na escola: práticas curriculares e identidades. Messeder, SA e Martins AMM, eds. Enlaçando sexualidades. Salvador: EDUNEB, 189-200.

Givigi, A. C. N. Oliveira, C. S. Aquenda! Universidade: o Recôncavo baiano sai do armário. Givigi, ACN, et al. O recôncavo baiano sai do armário: universidade, gênero e sexualidade. Cruz das Almas: EDUFRB, 13 – 29.

MacRAE, E. (2005). Em defesa do gueto. Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Unesp, 291-308..

Nardi, H. C., Machado, P. S., Machado, F. V., & Zenevich, L. (2013). O “armário” da universidade: o silêncio institucional e a violência, entre a espetacularização e a vivência cotidiana dos preconceitos sexuais e de gênero. Revista Teoria & Sociedade.

Urpia, A. M., & SAMPAIO, S. (2011). Mães e universitárias: transitando para a vida adulta. Observatório da vida estudantil: primeiros estudos. Salvador: EDUFBA, 145-168.

Downloads

Publicado

2020-12-17

Como Citar

SILVA, E. L. dos S. A transformação do estigma em orgulho: redes de sociabilidade LGBT na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 46, n. 2, p. 409–424, 2020. DOI: 10.22484/2177-5788.2020v46n2p409-424. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3986. Acesso em: 16 abr. 2021.