Mapeando a produção sobre permanência estudantil

categorias em articulação e estratégias de permanência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2020v46n2p385-407

Palavras-chave:

Permanência estudantil, Estratégias de permanência, Categorias em articulação

Resumo

Este artigo busca mapear a produção bibliográfica sobre permanência estudantil por meio de pesquisa bibliográfica exploratória e aprofundar conceitualmente o que se entende por estratégias de permanência estudantil. São apresentados alguns dados descritivos sobre esta produção: ano de produção, tipos de trabalho (teses, dissertações ou artigos), distribuição geográfica, programas de pós-graduação e abordagens metodológicas. Discute-se a construção histórica desta área de estudos vinculada à discussão sobre classe social, bem como as análises mais recentes das relações entre classe e outras categorias, destacando os trabalhos que realizam esta articulação (a exemplo de raça/etnia, gênero, sexualidade, deficiência, nacionalidade). Por fim, discute-se, dentre o corpus analisado, os trabalhos que utilizam o termo “estratégias de permanência”, com vistas a sistematizar este conceito nesta área de estudos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACHONG, Júlio C. Universidad Nacional Agraria La Molina–Perú: inclusión social y discriminación social. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, n. 24, p. 135-150, 2013.

ALBINO, Ivone B. Acesso e permanência na universidade federal do rio grande do Norte sob o ponto de vista do docente e do estudante com deficiência Natal-RN. 2010. 205 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.

ALMEIDA, Dóris B. “Eu sou do interior... eu vim estudar em Porto Alegre”: memórias de experiências sensíveis em uma moradia estudantil (1974-1983). Educar em Revista, Curitiba, v. 34, n. 71, p. 259-278, 2018.

ANDIFES. Perfil socioeconômico e cultural dos estudantes de graduação das Universidades Federais. In: FÓRUM NACIONAL DE PRÓ-REITORES DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS (FONAPRACE), 2011, Brasília.

ANDIFES. V Pesquisa Nacional de Perfil Socioeconômico e Cultural dos (as) Graduandos (as) das IFES – 2018. Uberlândia: UFU, 2019.

ARAÚJO, Anne Caroline C. A percepção discente sobre a residência universitária no Brasil e o programa auxílio moradia no Campus da UFC em Sobral. 2016. 94 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

ATCHE, Ana Cláudia dos R. Política pública de ações afirmativas na educação superior: a experiência da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. 2014. 142 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Interdisciplinares Sobre a Universidade) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

BARBOSA, Frederico K. Professores com deficiência no ensino superior: estudo de trajetórias escolares. 2009. 95 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2009.

BELLO, Luciane. Política de ações afirmativas na UFRGS: o processo de resiliência na trajetória de vida de estudantes cotistas negros com bom desempenho acadêmico. 2011. 141 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida; DOEBBER, Michele B.; BRITO, Patrícia O. Estudantes indígenas em universidades brasileiras: um estudo das políticas de acesso e permanência. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 99, n. 251, p. 37-53, jan. 2018.

BORGMANN, Marta E. Reconhecimento da diferença: desafios para a inclusão dos estudantes com deficiência no ensino superior. 2016. 173 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí (RS), 2016.

BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

CAMPOS, Lais R. Do quilombo à universidade: trajetórias, relatos, representações e desafios de estudantes quilombolas da Universidade Federal do Pará-Campus Belém quanto à permanência. 2016. 133 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2016.

CARVALHO, Rayana A. de. Uma análise da permanência acadêmica em cursos de predomínio feminino e masculino da Universidade Federal da Paraíba. 2018. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2018.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: as artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1998.

COULON, Alain. A condição de estudante: a entrada na vida universitária. Salvador: EDUFBA, 2008.

CRENSHAW, Kimberlé. A intersecionalidade na discriminação de raça e gênero. In: CRUZAMENTO: Raça e Gênero, Painel 1, 2004, Brasília. Anais [...]. Brasília: Unifem, 2004. p. 7-16.

CRENSHAW, Kimberlé. Mapping the margins: Identity politics, intersectionality, and violence against women. Stanford Law Review, Palo Alto, v. 43, n. 6, p. 1241-1299, 1991.

DIAS, Sonia M. B. Desafios para permanência no ensino superior: um estudo a partir da experiência da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). 2017. 167 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

FERREIRA, Rosane C. Os estudantes indígenas em cena: a memória coletiva sobre a inclusão na universidade. 2014. 102 f. Dissertação (Mestrado em Memória Social e Bens Culturais) – Centro Universitário LaSalle, Canoas, 2014.

FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça na era pós-socialista. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 14/15, p. 1-382, 2006.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 2003.

FURTADO, Cláudio O. Ações afirmativas na sociedade de classes: um estudo sobre o ingresso do negro na Unioeste (2014-2016). 2018. 171 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2018.

GÓIS, João B. H. Quando raça conta: um estudo de diferenças entre mulheres brancas e negras no acesso e permanência no ensino superior. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, n. 3, p. 743-768, dez. 2008.

GOMES, Vanessa B. M. Juventude e projeto de vida: um estudo interseccional dos modos de subjetivação de universitários/as de origem popular. 2016. 90 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

GOULARTE, Ravele B. Acesso e permanência no ensino superior: estratégias de governamento da conduta de alunos surdos incluídos. 2014. 107 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.

HALL, Stuart; SOVIK, Liv [Orgs.]. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

LARANJO, Thaís H. M.; SOARES, Cássia B. Moradia universitária: processos de socialização e consumo de drogas. Revista de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 40, p. 1027-1034, 2006.

LOSS, Jaqueline R. Percursos de escolarização de acadêmicos surdos no ensino superior. 2015. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

LUCHMANN, Júlio Cesar. C. Ensino superior no Brasil (1994-2006): políticas de acesso e permanência. 2017. 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2007.

MELO, Tiara S. Democratização do ensino superior: acesso e permanência de estudantes quilombolas na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. 2018. 358 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Interdisciplinares sobre a Universidade) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

MENDONÇA, Francisco W. O. Implicações psicossociais do preconceito e do racismo em estudantes africanos da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. 2017. 171 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

MOREIRA, Laura C.; BOLSANELLO, Maria Augusta; SEGER, Rosangela G. Ingresso e permanência na Universidade: alunos com deficiências em foco. Educar em Revista, Curitiba, n. 41, p. 125-143, set. 2011.

MUCCINI, Patrícia. Estudantes com surdocegueira na universidade: mapeando barreiras e facilitadores que perpassam o processo de inclusão acadêmica. 2017. 118 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

OLIVEIRA, Carina S. de C. Ações afirmativas na universidade estadual de Feira de Santana-UEFS: permanência das (os) estudantes cotistas no ensino superior. 2015. 184 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Sociais e Cidadania) – Universidade Católica de Salvador, Salvador, 2015.

OLIVEIRA, Crisitna B. Ações afirmativas e inclusão sustentável de estudantes com limitações por deficiência na educação superior. 2009. 210 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

OLIVEIRA, Maria V. M. de. Acessibilidade e ensino superior: desvendando caminhos para o ingresso e permanência de alunos com deficiência visual na Universidade Regional do Cariri – URCA sob a perspectiva da avaliação educacional. 2017. 241 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

ORTIZ-VELOSA, Eliana M. et al. Ser mapuche en la universidad: condiciones de ingreso a la formación inicial docente, La Araucanía. Revista Electrónica Educare, Costa Rica, v. 23, n. 1, p. 1-18, 2019.

PALLA, Amanda C. F. Ações afirmativas na UFG: Psicologia para mudança e fortalecimento de minorias sociais. 2017. 159 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.

PIOTTO, Débora C. (Org.). Camadas populares e universidades públicas: trajetórias e experiências escolares. São Carlos: Pedro e João Editores, 2014.

RENAULT, Cláudia R. N. dos S. Educação superior indígena na UnB: perfil, trajetória, expectativas e desafios dos estudantes. 2018. 91 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2018.

SANTOS, Marianna L. A. S. Itinerários universitários: a permanência de mães trabalhadoras nos Bacharelados Interdisciplinares da Universidade Federal da Bahia. 2014. 131 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Interdisciplinares sobre a Universidade) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

SANTOS, Sergio P. Os intrusos e os outros quebrando o aquário e mudando os horizontes: as relações de raça e classe na implementação das cotas sociais no processo seletivo para cursos de graduação da Ufes 2006-2012. 2014. 390 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

SANTOS, Warley A. M. dos. Política de assistência estudantil: um estudo sobre o Programa Bolsa Permanência e os primeiros beneficiários indígenas e quilombolas no IFNMG - Campus Januária. 2017. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2017.

SCOTE, Fausto D. Será que temos mesmo direitos a universidade? O desafio do acesso e a permanência de pessoas transexuais no ensino superior. 2017. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017.

SETTON, Maria da Graça J. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 20, p. 60-70, ago. 2002.

SILVA, Aline O. G. da. Nome social como política pública nas universidades estaduais do Paraná: coalizões, permanências e persistências. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2017.

SOUSA, Teana F. B. de. Políticas públicas para a pessoa com deficiência na UFC: a percepção dos alunos com deficiência visual. 2014. 93 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

SOUZA, Osmaria R. Pensando os direitos de cidadania dos/as estudantes africanos/as no Brasil: estudo de caso sobre a política de assistência estudantil na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (2010-2017). 2018. 149 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Sociais e Cidadania) – Universidade Católica de Salvador, Salvador, 2018.

TANIKADO, Grace V. F. Ações afirmativas na UFRGS: um percurso cartográfico. 2015. 125 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social e Institucional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

TEIXEIRA, Luciana de G. A. Políticas públicas de assistência estudantil no Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí: um olhar de gênero. 2016. 158 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2016.

VENTURINI, Anna C. Formulação e implementação da ação afirmativa para pós-graduação do Museu Nacional. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1292-1313, dez. 2017.

Publicado

2020-12-17

Como Citar

MENDES, M. T. Mapeando a produção sobre permanência estudantil: categorias em articulação e estratégias de permanência. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 46, n. 2, p. 385-407, 17 dez. 2020.