Alteridade, ética, linguagem no pensamento de Lévinas

Autores

  • Mírian dos Santos
  • Thiago Guimarães

Resumo

Este texto enfoca a categoria alteridade, presente no pensamento do filósofo Emmanuel Lévinas, na obra “Entre nós: ensaios sobre a alteridade”. Para Lévinas a alteridade é o fundamento da ética. Destacamos a relevância de sua concepção de ética e de alteridade para os estudos da linguagem. A Alteridade é ponto de partida para a edificação da ética e esta se torna filosofia primeira, capaz de inspirar e sustentar uma nova ordem humana e institucional. Assim, a relação intersubjetiva para Lévinas implica, necessariamente, em certo deslocamento, certa cisão ou modificação na experiência subjetiva. Neste sentido, a obra Entre Nós apresenta que alteridade interrompe a trama do ser. E, neste intervalo, o eu percebe-se criticado e investido pela alteridade irredutível. Portanto, Lévinas pensa que a partir daí será possível criar o humanismo do outro homem, com relações melhores e instaurar o humano como reino do Bem para além do ser. Em suma, a ética não é mero conceito ou especulação, mas abertura e promoção da relação com o Outro e com o Outrem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

SANTOS, M. dos; GUIMARÃES, T. Alteridade, ética, linguagem no pensamento de Lévinas. Revista de Estudos Universitários - REU, Sorocaba, SP, v. 40, n. 2, 2014. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/reu/article/view/2138. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos