Ficção científica e política econômica em "O Homem do Futuro"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2018v44n2p227-239

Resumo

Desde o início de seu processo de formação, o Brasil tem sido clamado como “o país do futuro”. Mesmo com alternâncias de regimes e projetos políticos, tal mito se renova e se sustenta. Como objeto cultural e midiático, o cinema, e a ficção científica como um de seus gêneros, propaga discursos que vão além de uma questão plástica, tendo efeitos políticos e sustentando ideologias (Kellner, 2001). A partir de uma metodologia que une a semiótica greimasiana à análise do discurso sob o ponto de vista dos Estudos Culturais, temos como objetivo analisar como o discurso desenvolvimentista está inserido no filme O homem do futuro (Claudio Torres, 2011), levando em conta o momento histórico e cenário político da época. Os resultados nos permitem fazer um paralelo da evolução narrativa com as mudanças no cenário econômico do Brasil entre 1991 e 2010.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Paulo de Carvalho Piassi, Universidade de São Paulo - USP

Livre Docente da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais. Prof. Doutor que orienta esta pesquisa.

Downloads

Publicado

2019-01-29

Como Citar

SILVA ANDRADE, M. E.; DE CARVALHO PIASSI, L. P. Ficção científica e política econômica em "O Homem do Futuro". Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 44, n. 2, 2019. DOI: 10.22484/2177-5788.2018v44n2p227-239. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/reu/article/view/3404. Acesso em: 14 ago. 2022.