Religião e mídia

um ensaio sobre as (trans)formações do sagrado midiatizado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2021v47n2p299-318

Palavras-chave:

Religião, Mídia, Ciber-religião

Resumo

Muito se tem estudado sobre como migração da religião para o ambiente midiático transformou a relação do fiel com as práticas religiosas sacralizadas. No entanto, pouco se discute a natureza desse sagrado emergente no espaço midiático. Este ensaio propõe uma reflexão teórica com o objetivo de investigar as mutações de natureza substancial ocorridas nas práticas religiosas midiatizadas que possibilitaram a migração do sagrado das religiões tradicionais para as religiões midiáticas. Por meio de pesquisa bibliográfica recorremos a teóricos da religião e da mídia para investigar o fenômeno por esta perspectiva. Concluímos que houve um processo de sublimação que transformou o sagrado sólido e consistente das religiões não midiáticas em um sagrado gasoso que se dissemina nas capilaridades eólicas da comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronivaldo Moreira de Souza, Universidade Paulista

Pós-doutorando em Comunicação pela Universidade Paulista com bolsa PNPD/CAPES. Doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo.

Jorge Miklos, Universidade Paulista

Doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor Titular do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Midiática da Universidade Paulista. 

Referências

AUGÉ, Marc. Não lugares: uma introdução à antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 2007.

BAITELLO JR., Norval. A era da iconofagia: ensaios de comunicação e cultura. São Paulo: Hackers, 2005.

BAITELLO JR., Norval. A serpente, a maçã e o holograma: esboços para uma teoria da mídia. São Paulo: Paulus, 2010.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2010.

CUNHA, Magali do N. Os processos de midiatização das religiões no Brasil e o ativismo político digital evangélico. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 26, n. 1, jan./abr. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.15448/1980-3729.2019.1.30691. Acesso em: 12 jun. 2021.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

FELINTO, Eric. A religião das máquinas. Porto Alegre: Sulina, 2005.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta. São Paulo: Hucitec, 1985.

HARVEY, David. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

KLEIN, Alberto. Imagens de culto e imagens da mídia: interferências midiáticas no cenário religioso. Porto Alegre: Sulina, 2006.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1998.

MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX: volume 1 – neurose - o espírito do tempo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

OTTO, Rudolf. O sagrado: os aspectos irracionais na noção do divino e sua relação com o racional. São Leopoldo: Sinodal/EST; Petrópolis: Vozes, 2007.

PROSS, Harry. Medienforschung. Darmstadt: Carl Habel, 1972.

SFEZ, Lucien. Crítica da comunicação. São Paulo: Loyola, 1990.

TRIVINHO, Eugênio. A dromocracia cibercultural: lógica da vida humana na civilização mediática avançada. São Paulo: Paulus, 2007.

Downloads

Publicado

2021-12-17

Como Citar

MOREIRA DE SOUZA, R. .; MIKLOS, J. Religião e mídia : um ensaio sobre as (trans)formações do sagrado midiatizado. Revista de Estudos Universitários - REU, Sorocaba, SP, v. 47, n. 2, p. 299–318, 2021. DOI: 10.22484/2177-5788.2021v47n2p299-318. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/reu/article/view/4783. Acesso em: 26 set. 2022.