Formação potencialmente lúdica

um diálogo possível com a educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2022v48id4941

Palavras-chave:

formação docente, ludicidade, educação

Resumo

Este artigo potencializa uma discussão sobre a formação lúdica, aprofundando conceitualmente a ludicidade. Teve como objetivo contribuir para ampliarmos nossos conhecimentos a respeito das concepções de ludicidade e a formação lúdica. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo e exploratório, realizada em Amargosa-Bahia, contando com a participação de quatro professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. Os dados foram produzidos a partir de entrevistas semiestruturadas através do Google meet, no ano de 2020 e analisados a partir da técnica de análise de conteúdo. Ficou evidente que as professoras concebem a ludicidade como estando relacionadas a jogos e brincadeiras e possuem insegurança para caracterizar a formação lúdica, porém expõe que esta deve ter caráter utilitarista para auxiliar na sua prática. Assim, concebemos que a formação potencialmente lúdica traz inovação e reverbera numa qualidade educacional e deve ser componente da formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Sousa Guimarães, Universidade Federal da Bahia

Doutoranda pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Mestre em Educação Cientifica, Inclusão e Diversidade pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Especialista em Educação Infantil pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Psicopedagoga (FAVENI), Brinquedista pela Associação Brasileira de Brinquedotecas (ABBri) e Pedagoga pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Pesquisadora do GRIFO- Grupo de Pesquisa Infâncias, Formação de Professores e Políticas Púbicas (UFRB).  Integrante do Gupo de Pesquisa- Concepções de ludicidade na formação inicial em Pedagogia: a perspectiva formativa em duas Instituições de Ensino Superior-(UFRB´-UESB).

Lúcia Gracia Ferreira , UFBA\UESB\UFRB

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Pós-doutorado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-Itapetinga (UESB). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFBA e da UESB; Grupo de Pesquisa e Estudos Pedagógicos/UESB e Docência, Currículo e Formação/UFRB.

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação (CNE). Resolução CNE/CP nº 2, de 1 de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial da União: Brasília, DF, seção 1, n. 124, p. 08-12, 2 jul. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996.

CRUZ, L. B. S.; SILVA, M. A. A.; SILVA, M. G. A. A. A. Ludicidade se faz presente: caminhos teórico-práticos que conduzem o fazer da ação humana. In: ANDRADE, D. M. M.; ABREU, R. (org.) Formação de professores e ludicidade: sobre sonhos possíveis. Curitiba: CRV, 2019. p. 117-134.

CRUZ, Lilian Moreira. Desenvolvimento profissional docente e formação continuada: possíveis diálogos. In: NASCIMENTO, Maria das Graças Chagas de Arruda; GARCIA, Alexandra; REIS, Graça Regina Franco da Silva; RUST, Naiara Miranda; GIRALDO, Victor. Didática(s) entre diálogos, insurgências e políticas: tensões e perspectivas na relação com a formação docente. v. 2. Rio de Janeiro/Petrópolis: Faperj; CNPq; Capes; Endipe. DP et Alii. E-book, 2020, p. 287-296.

CRUZ, Lilian Moreira; BARRETO, Andreia Cristina Freitas; FERREIRA, Lúcia Gracia. Caminhos do desenvolvimento profissional docente na perspectiva freireana. Com a Palavra, o Professor, Vitória da Conquista, v. 5, n. 12, p. 355- 372, maio/ago. 2020. Disponível em: http://revista.geem.mat.br/index.php/CPP/article/view/529. Acesso em: 30 set. 2020.

D'ÁVILA, Cristina; FERREIRA, Lúcia Gracia. Aprendizagem da docência e profissionalidade de docentes universitários iniciantes. Linguagem, Educação e Sociedade. Teresina, Ano 21, n. 35, jul./dez 2016. p. 5-22. Disponível em: https://revistas.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/7441. Acesso: 23 nov. 2018.

D'ÁVILA, Cristina; FERREIRA, Lúcia Gracia. Docência Universitária: uma experiência formativa lúdica com professores iniciantes. In: BARBOZA, M. A. F.; TEIXEIRA, I. A. de C.; COSTA, M. do P. S. de L. (orgs.) Territórios da docência no ensino superior. Curitiba, PR: CRV, 2017. p. 143-156.

D'ÁVILA, Cristina; FERREIRA, Lúcia Gracia. Saberes Estruturantes da Prática Pedagógica Docente: um repertório para a sala de aula. In: D'ÁVILA, C.; MARIN, A. J.; FRANCO, M. A. S.; FERREIRA, L. G. (orgs.). Didática: saberes estruturantes e formação de professores. Salvador: EDUFBA, 2019. p. 33-49.

FERRAZ, R. D.; FERREIRA. L. Práticas exitosas no ensino superior: um diálogo com a ludicidade. In: IX Encontro Nacional e II Encontro Internacional de Educação e Ludicidade (ENELUD), 9, 2021, Salvador-BA. Anais [...]. v. 9, Salvador-BA, UFBA, 2021. p. 372-377.

FERRAZ, Rita de Cássia Souza Nascimento; FERREIRA. Lúcia Gracia. O ato de ensinar como estado de ludicidade. In: ANDRADE, D. M. M.; ABREU, R. (org.). Formação de professores e ludicidade: sobre sonhos possíveis. Curitiba: CRV, 2019. p. 77-86.

FERRAZ, Rita de Cássia Souza Nascimento; FERREIRA. Lúcia. Vivência e ludicidade: diálogos possíveis numa perspectiva histórico-cultural. In: IX Encontro Nacional e II Encontro Internacional de Educação e Ludicidade (ENELUD), 9, 2021, Salvador-BA. Anais [...]. v. 9, Salvador-BA, UFBA, 2021. p. 448-452.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Desenvolvimento profissional docente: cotidiano e aprendizagem da docência de professores iniciantes. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 6, p. 58-80, 2021. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/508/255. Acesso em: 20 out. 2021.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Desenvolvimento profissional docente: percursos teóricos, perspectivas e (des) continuidades. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 11. jul. 2020b, p. 1-18. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/9326. Acesso em: 07 set. 2020.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Desenvolvimento profissional e carreira docente: diálogos sobre professores iniciantes. Acta Scientiarum. v. 39, jan.-mar., 2017, p. 79-89. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/29143. Acesso em: 03 dez. 2017.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Formação de professores e ludicidade: reflexões contemporâneas num contexto de mudanças. Revista de Estudos em Educação e Diversidade, Vitória da Conquista, v. 1, n. 2, p. 410-431, out./dez. 2020a. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/reed. Acesso em: 10 abr. 2021.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Os ateliês biográficos de projeto e os processos formativos de professores: diálogos, (auto) biografia e ludicidade. APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação, Vitória da Conquista, Ano IX n. 15, p. 99-110, 2015. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/2458. Acesso em: 13 out. 2016.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Professoras da zona rural em início de carreira: narrativas de si e desenvolvimento profissional. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

FORTUNA, Tânia Ramos. Formação lúdica docente: como os professores que brincam se tornam quem são? In: D’ÁVILA, C. M.; FORTUNA, T. R. (org.). Ludicidade, cultura lúdica e formação de professores. Curitiba: CRV, 2018, p. 19-28.

GUIMARÃES, R. S.; FERREIRA, L. G. Formação lúdica: processos de construção da docência. In: CASTRO, J. T.; GALVÃO, T. F.; LUNA, V. A.; GALVÃO, N. S. Educação Científica, Inclusão e diversidade. Cruz das Almas: EDUFRB, 2020, p. 171-182.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. São Paulo: Artmed, 2010.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2011a.

IMBERNÓN, Francisco. Un nuevo desarrollo profesional del profesorado para una nueva educación. Revista de Ciências Humanas Frederico Westphalen, Uruguai, v. 12, n. 19, p. 75 – 86, dez. 2011b. Disponível em: http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistadech/article/view/343/623. Acesso em: 02 jun. 2021.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf. Acesso em: 27 abr. 2021.

LUCKESI, Cipriano. Brincadeiras, Jogos e Ludicidade. In: D’ÁVILA, C. M.; FORTUNA, T. R. (org.). Ludicidade, cultura lúdica e formação de professores. Curitiba: CRV, 2018, p. 135-142.

LUCKESI, Cipriano. Ludicidade e formação do educador. Revista entreideias, Salvador, v. 3, n. 2, p. 13-23, jul./dez. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/entreideias/article/view/9168. Acesso em: 03 jan. 2020.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

MINEIRO, Márcia. O essencial é invisível aos olhos: a concepção dos estudantes sobre a mediação didática lúdica na Educação Superior. 2021. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2021.

PEREIRA, Anderson Silva. Concepções de ludicidade presentes na formação inicial de graduandos em pedagogia: perspectivando práticas formativas. 2020. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2020.

PEREIRA, Anderson Silva; JESUS, L. K. S. Formar professores na/para a contemporaneidade: a ludicidade como possibilidade. In: CRUZ, G. B.; GABRIEL, C. T.; VASCONCELLOS, M.; AZEVEDO, P. B. (orgs.). Didática(s) entre diálogos, insurgências e políticas: tensões e perspectivas na relação com a formação docente. Petrópolis, RJ: Faperj; CNPq; Capes; Endipe, 2020. p. 593-602.

RUST, N. M.; GIRALDO, V. Didática(s) entre diálogos, insurgências e políticas: tensões e perspectivas na relação com a formação docente. v. 2. Petrópolis: Faperj; CNPq; Capes; Endipe. DP et Alii, 2020. E-book. Disponível em: https://www.andipe.com.br/c%C3%B3pia-publica%C3%A7%C3%B5es. Acesso em: 07 jun. 2021.

SANTOMÉ, Jwjo Torres. As culturas negadas e silenciadas no currículo. In: SILVA, T. T. (org.). Alienígena na sala de aula. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012, p. 155-172.

SILVA, Mara Aparecida Alves da; FERREIRA, Lúcia Gracia; SILVA, José Gilberto da. Ludicidade e/ou lúdico no ensino de química: uma investigação nos trabalhos apresentados no ENEQ. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, Belém, v. 11, n.4, p. 39-57, 2020. Disponível em: encurtador.com.br/dizHK. Acesso em: 12 out. 2020.

SILVA, Saionara Souza; FERREIRA, Lúcia Gracia. Currículo e diversidade: um olhar crítico sobre a formação em pedagogia. Revista Humanidades e Inovação, v. 7, n. 7, p. 476-491, 2020. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/2312. Acesso em: 07 maio 2021.

Downloads

Publicado

13-12-2022

Como Citar

GUIMARÃES, R. S.; FERREIRA, L. G. Formação potencialmente lúdica : um diálogo possível com a educação. Revista de Estudos Universitários - REU, Sorocaba, SP, v. 48, p. e022018, 2022. DOI: 10.22484/2177-5788.2022v48id4941. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/reu/article/view/4941. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê - Ludicidade