Huckleberry Finn e a crítica social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2022v48id4956

Palavras-chave:

Mark Twain, Huckleberry Finn, Jim, negritude

Resumo

No presente artigo, analisamos o romance As Aventuras de Huckleberry Finn, de Twain, levando em conta as questões políticas e sociais que o permeiam. Discutimos como a escravidão e a branquitude se manifestam na narrativa. O artigo é importante devido ao fato de considerarmos as aventuras vividas pelos personagens Huck e Jim como uma fonte de reflexão rica para quem queira se debruçar sobre questões de costume, crenças, moralismos e escravidão do século XIX, nos Estados Unidos. O narrador de Twain desenvolve com destreza temas polêmicos, mas muito relevantes ainda na atualidade – seja naquilo que toca as relações entre classes e raças, bem como naquilo que concerne ao divisionismo norte-sul estadunidense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMEUR, Farid. A guerra de secessão. São Paulo: L&PM, 2010.

CASH, Wilbur Joseph. The mind of the south. New York: Vintage Books, 1969.

EAGLETON, Terry. Criticism and ideology: a study in marxist literary theory. Londres: Verso, 1984.

GRUZINSKI, Serge. O pensamento mestiço. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SILVA, Alexander Meireles. A subversão pela trapaça: o mito do trickster em Huckleberry Finn. Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades, Duque de Caxias, v. VI, n. XXII, p. 1-13, jul./set. 2007. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/reihm/article/view/341/326. Acesso em: 15 fev. 2021.

TWAIN, Mark. As aventuras de Huckleberry Finn. São Paulo: Brasiliense, 1982.

Downloads

Publicado

2022-09-20

Como Citar

GONÇALVES, D.; MENDES, A. C. de S. Huckleberry Finn e a crítica social. Revista de Estudos Universitários - REU, Sorocaba, SP, v. 48, p. e022006, 2022. DOI: 10.22484/2177-5788.2022v48id4956. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/reu/article/view/4956. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos