Pesquisas contemporâneas sobre a condição do negro no Brasil e a universidade

tendências e debates (1988-2016)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n1p167-188

Palavras-chave:

Relações étnico-raciais, Universidade, Antirracismo.

Resumo

O presente trabalho propõe oferecer uma síntese de textos selecionados a partir de um amplo levantamento publicado pela Edições Câmara no ano de 2017, sobre a condição do negro no Brasil. Para este estudo, privilegiamos a questão da universidade no contexto das relações étnico-raciais. O estudo reuniu uma bibliografia abrangente e diversificada que serviu para alicerçar a revisão de literatura e a construção de um dos eixos de um o trabalho em andamento no projeto POLITICS - A política de antirracismo na Europa e na América Latina: produção de conhecimento, decisão política e lutas coletivas. O estudo é oportuno para a reflexão e alicerçar novos trabalhos sobre a temática das relações étnico-raciais nas sociedades contemporâneas, aprofundando o conhecimento sobre raça, e antirracismo, proporcionando uma maior compreensão sobre a forma como as injustiças historicamente enraizadas estão a ser questionadas por instituições, em particular a universidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Antonio Batista da Silva, Centro de Estudos Sociais (CES) - Universidade de Coimbra,Portugal

Doutor em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(PUC-SP) com doutorado Sanduíche no Exterior PNPD/CAEPES na Universidade de Coimbra, Portugal. Mestre em Psicologia Educacional com pesquisa sobre juventude e trabalho. Atualmente é investigador em pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais (CES), da Universidade de Coimbra, Portugal, onde integra o Projeto POLITICS The politics of anti-racism in Europe and Latin America: knowledge production, decision-making and collective struggles.

Referências

ARTES, Amélia. A presença de mulheres no ensino superior brasileiro: uma maioria sem prestígio. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 11.; WOMEN’S WORLDS CONGRESS, 13., 2017, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis, SC: 2017, ISSN 2179-510X. Disponível em: http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1496748817_ARQUIVO_ fazendogenero_ final.pdf. Acesso em: 10 abr. 2018.

ARTES, Amélia; RICOLDI, Arlene Martinez. Acesso de negros no ensino superior: o que mudou entre 2000 e 2010. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 158, p. 858-881, dez. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742015000400858&script=sci_ abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 abr. 2018.

BARRETO, Paula Cristina da Silva. Gênero, raça, desigualdades e políticas de ação afirmativa no ensino superior. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 16, p. 39-64, abr. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcpol/n16/0103-3352-rbcpol-16-00039.pdf. Acesso em: 4 abr. 2018.

BERTÚLIO, Dora Lúcia de Lima; DUARTE, Evandro C. Piza; SILVA, Paulo Vinícius Baptista (coord.). Cotas raciais no ensino superior: entre o jurídico e o político. Curitiba: Juruá, 2008.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Câmara dos Deputados, 1988. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/518231. Acesso em: 4 abr. 2018.

BRASIL. Decreto nº 7.824, de 11 de outubro de 2012. Regulamenta a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, que dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. Brasília: Congresso Nacional, 2012a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/D7824.htm. Acesso em: 4 abr. 2018.

BRASIL. Lei 12.990, de 9 de junho de 2014. Reserva aos negros 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pela União. Brasília: Congresso Nacional, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12990.htm. Acesso em: 4 abr. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Brasília: MEC, 2003. Disponível em: http://etnicoracial.mec.gov.br/images/pdf/lei_10639_09012003.pdf . Acesso em: 8 mar. 2018.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Disponível em: http://pfdc.pgr.mpf.mp.br/atuacao-e-conteudos-de-apoio/legislacao/educacao/Lei_n_11.645-2008_altera_lei_Hist_Africa.pdf. Acesso em: 8 mar. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Estatuto da Igualdade Racial. Brasília: Câmara dos Deputados, 2010. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2010/lei-12288-20-julho-2010-607324-norma-pl.html. Acesso em: 4 mar. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, 2012b. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2012/lei-12711-29-agosto-2012-774113-normaatualizada-pl.pdf. Acesso em: 8 mar. 2018.

BRASIL. CÂMARA DOS DEPUTADOS. Repertório bibliográfico sobre a condição do negro no Brasil. [recurso eletrônico. Brasília: Edições Câmara, 2017. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/handle/bdcamara/34741. Acesso em: 4 abr. 2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. SECRETARIA DE ESTADO DOS DIREITOS HUMANOS. Relatório do grupo de trabalho interministerial população negra. Brasília: MJ/SEDH, 1996.

BRASIL. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO. SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS. Portaria Normativa nº 4, de 6, de abril, de 2018. Regulamenta o procedimento de heteroidentificação complementar à autodeclaração dos candidatos negros, para fins de preenchimento das vagas reservadas nos concursos públicos federais, nos termos da Lei n°12.990, de 9 de junho de 2014. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/biblioteca/igualdade-racial/portaria-normativa-no-4-2018-regulamenta-o-procedimento-de-heteroidentificacao-complementar-a-autodeclaracao-dos-candidatos-negros-em-concursos-publicos/view. Acesso em: 8 mar. 2018.

CABRAL, Frederico Matos Alves. Os estudantes africanos nas Instituições de Ensino Superior brasileiras: o Programa de Estudante Convênio de Graduação (PEC-G). 2015. 203p. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

CAMINO, Leoncio et al. Repertórios discursivos de estudantes universitários sobre cotas raciais nas universidades públicas brasileiras. Psicologia e Sociedade, Florianópolis, v. 26, n. especial, p. 117-128, jan. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v26nspe/13.pdf. Acesso em: 5 abr. 2017.

CERQUEIRA, Daniel et al. (org.). Atlas da violência: 2017. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/170602_atlas_da_violencia_2017.pdf. Acesso em: 5 abr. 2018.

CRISOSTOMO, Maria Aparecida dos Santos; REIGOTA, Marcos Antonio dos Santos. Professoras universitárias negras: trajetórias e narrativas. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, Sorocaba, v. 15, n. 2, p. 93-106, jul. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-40772010000200005&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 5 abr. 2018.

DAFLON, Verônica Toste; FERES JÚNIOR, João; CAMPOS, Luiz Augusto. Ações afirmativas raciais no ensino superior público brasileiro: um panorama analítico. Cadernos de Pesquisa, São Paulo v. 43, n. 148, p. 302-327, abr. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742013000100015&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 5 abr. 2017.

FONSECA, Leandro de Campos. Estudo de caso dos repertórios interpretativos empregados na construção de posicionamentos contrários ao sistema de cotas raciais nas universidades públicas brasileiras em comentários na internet. 2014. 258p. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

GOTO, Vanessa Strowitzki. A questão social do negro brasileiro e o dilema entre redistribuição e reconhecimento: uma análise das cotas raciais nas universidades públicas. 2014. 152p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014.

GRISA, Gregório Durlo. Ações afirmativas na UFRGS: racismo, excelência acadêmica e cultura do reconhecimento. 2015. 220p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

GUEDES, Claudia Rosane. A imagem de mulheres negras universitárias: a silhueta esculpida durante o processo de formação. 2012. 139p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/. Acesso em: 12 abr. 2018.

LEWANDOWSKI, Enrique Ricardo. Compatibilidade do sistema de reserva de cotas étnico-raciais nas universidades públicas com a Constituição de 1988, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal proferida na ADPF nº 186/DF. In: A CONSTITUIÇÃO de 1988 na visão dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Brasília: Supremo Tribunal Federal, 2013. p. 115-148.

LIMA, Marcus Eugênio Oliveira; NEVES, Paulo Sérgio da Costa; SILVA, Paula Bacellar e. A implantação de cotas na universidade: paternalismo e ameaça à posição dos grupos dominantes. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 56, p. 141-163, mar. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s1413-24782014000100008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 7 abr. 2018.

LIMA, Maria Luciene Ferreira. Políticas públicas no ensino superior: ações afirmativas na UFPB. 2014. 152p. Dissertação (Mestrado em Direitos Humanos) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014.

LOPES, Toni Ronei. Ações afirmativas: a igualdade e o acesso pleno à educação superior dos grupos sociais historicamente excluídos. 2014. 218p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2014.

MACHADO, Isabel. Professoras negras na UERJ e cotidianos curriculares, a partir dos primeiros tempos do acervo fotográfico J. Vitalino. 2011. 146p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

MELO, Janaína Farias de. Significado do sistema de cotas para o ingresso no ensino superior para estudantes negros de escola pública de Fortaleza. 2016. 106p. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

NATEL, Elisabeth Santos. Educação das relações étnico-raciais: as sagas e resiliências das mulheres negras profissionais: em três ambientes universitários. 2014. 181p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2014.

OSORIO, Rafael Guerreiro. Classe, raça e acesso ao ensino superior no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 138, p. 867-880, dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0100-15742009000300009&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 12 abr. 2017.

PAIXÃO, Marcelo. Relatório anual das desigualdades raciais no Brasil: 2009-2010. Rio de Janeiro: Geledés Instituto da Mulher Negra, 2010. Disponível em: https://www.geledes.org.br/marcelo-paixao-relatorio-anual-das-desigualdades-raciais-brasil/. Acesso em: 12 mar. 2018.

PASSOS, Ana Helena Ithamar. Reflexão acadêmica e afrodescendência: um estudo da contribuição de três núcleos de pesquisa de universidades do Rio de Janeiro para o enfrentamento do racismo no Brasil. 2006. 100p. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Departamento de Serviço Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

PASSOS, Joana Célia dos. Relações raciais, cultura acadêmica e tensionamentos após ações afirmativas. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 2, p. 155-182, jun. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982015000200155& script= sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 12 abr. 2018.

PEREIRA, Waléria Furtado. Prática de inclusão na universidade: representações de professores e estudantes. 2011. 275p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

PINHEIRO, Adevanir Aparecida. Identidade étnico-racial e universidade: a dinâmica da visibilidade da temática afrodescendente e as implicações eurodescendentes, em três instituições de ensino superior no sul do país. 2011. 340p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2011.

SANTOS, Sérgio Pereira dos. “Os ‘intrusos’ e os ‘outros’ quebrando o aquário e mudando os horizontes”: as relações de raça e classe na implementação das cotas sociais no processo seletivo para cursos de graduação da Ufes, 2006-2012. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

SANTOS JÚNIOR, Amilton dos. Identidade, discriminação e saúde mental em estudantes universitários. 2011. 304 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2011.

SILVA, Marcos Antonio Batista da. Discursos étnico-raciais proferidos por pesquisadores/as negros/as na pós-graduação: acesso, permanência, apoios e barreiras. 2016. 240p. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.

SYSS, Ahyas (org.). Diversidade étnico-racial e educação superior brasileira: experiências de intervenção. Rio de Janeiro: Quartet, 2008.

TEIXEIRA, Moema de Poli. Negros na universidade: identidade e trajetórias de ascensão social no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Pallas, 2003.

THOMPSON, John Brookshire. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

VON DENTZ, Schirlei Russi. Vozes das mulheres negras cotistas da Universidade Federal de Santa Catarina: 2010-2014. 2016. 200p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

Publicado

2020-04-15

Como Citar

SILVA, M. A. B. DA. Pesquisas contemporâneas sobre a condição do negro no Brasil e a universidade: tendências e debates (1988-2016). Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 1, p. 167-188, 15 abr. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Demanda