Preservação do Deutschtum nas escolas da imigração alemã no período da Campanha de Nacionalização

Palavras-chave: Campanha de Nacionalização, Deutschtum, Subjetivação.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar como o Deutschtum se fazia presente nas vivências dos descendentes de imigrantes alemães enquanto estudantes nas escolas da imigração alemã durante o período da Campanha de Nacionalização. As ferramentas teóricas do estudo estão vinculadas aos estudos e pesquisas relacionadas à imigração alemã e às teorizações foucaultianas. O material de pesquisa consiste em narrativas de sete pessoas que estudaram em escolas da imigração alemã no Rio Grande do Sul, no período citado. Os principais resultados da investigação apontam que os princípios norteadores do Deutschtum foram, em alguns casos, preservados e, até mesmo, reforçados no período da Campanha de Nacionalização em forma de rituais escolares “adaptados” às condições impostas pelas medidas de Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora de Lima Velho Junges, Instituto Federal Catarinense (IFC)

Doutora e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela mesma instituição. Atualmente é Técnica em Assuntos Educacionais atuando junto ao Instituto Federal Catarinense. Interessada principalmente nos seguintes temas: educação, educação matemática e práticas pedagógicas.

Referências

ARENDT, Isabel Cristina. Representações de germanidade, escola e professor no Allgemeine Lehrerzeitung für Rio Grande do Sul: Jornal Geral para o professor no Rio Grande do Sul. 2005. 292p. Tese (Doutorado em História) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2005.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. A invenção do eu infantil: dispositivos pedagógicos em ação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 21, p. 17-39, set./dez. 2002.

BREDEMEIER, Maria Luísa Lenhard. O português como segunda língua nas escolas da imigração alemã: um estudo do Jornal da Associação de Professores Teuto-Brasileiros Católicos do Rio Grande do Sul (1900-1939). 2010. 242p. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2010.

DIAS, Gustavo Tentoni. Cultura, política e alfabetização no Brasil: a ‘Segunda Campanha de Nacionalização’ do ensino (1938-1945). 2006. 219p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2006.

FONSECA, Maria Angela Peter da. Estratégias para a preservação do germanismo (Deutschtum): gênese e trajetória de um collegio teutobrasileiro urbano em Pelotas (1898-1942). 2007. 158p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito: curso no Collège de France (1981-1982). 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011a.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 17. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2002.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. 8. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1998.

GRÜTZMANN, Imgart. A mágica flor azul: canções, romantismo, nostalgia e continuidade no germanismo. Revista Escritas, Araguaína, v. 1, n.1, p. 1-29, jan. 2008.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

JØRGENSEN, Kenneth Mølbjerg; BOJE, David M. Resituating narrative and story in business ethics. Business Ethics: A European Review, Reino Unido, v. 19, n. 3, p. 253-264, jul. 2010.

JØRGENSEN, Kenneth Mølbjerg; NUNEZ, Heilyn Camacho. Ethics and organizational learning in higher education. In: THE INTERNATIONAL CONFERENCE ON HIGHER EDUCATION PROCEEDING, Heredia, Costa Rica, 2010. v. 1, n. 1, p. 1-13, mar. 2010.

KREUTZ, Lúcio. Escolas étnicas no Brasil e a formação do Estado Nacional: a nacionalização compulsória das escolas dos imigrantes (1937-1945). Poiésis, Tubarão, v. 3, n. 5, p. 71-84, jan./jun. 2010.

KREUTZ, Lúcio. Periódicos na literatura educacional dos imigrantes alemães no RS (1900-1939). REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30., Caxambu, Caxambu, MG. Anais [...]. Caxambu, MG: ANPED, 2007. p. 1-13.

KREUTZ, Lúcio. A representação de identidade nacional em escolas da imigração alemã no Rio Grande do Sul. História da Educação (UFPel), Pelotas, v. 3, n. 5, p. 141-165, 1999.

KREUTZ, Lúcio. Material didático e currículo na escola teuto-brasileira do Rio Grande do Sul. São Leopoldo: UNISINOS, 1994.

LEMOS, Vanessa dos Santos. Propaganda e coerção na política educacional do Estado Novo (1937-1945). 2012. 182p. Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.

MARÍN-DÍAZ, Dora Lilia. Autoajuda e educação: uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas. 2012. 310p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

NEUMANN, Rosane Marcia. Uma Alemanha em miniatura: o projeto de imigração e colonização étnico particular da Colonizadora Meyer no noroeste do Rio Grande do Sul (1897-1932). 2009. 632p. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, PUCRS, Porto Alegre, 2009.

PAULA, José Fabiano de. “O que a escola começa, o exército continua”: a campanha de nacionalização durante o Estado Novo nos núcleos coloniais teuto-brasileiros do Rio grande do Sul. 2006. 221p. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências) - Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências, UNIJUÍ, Ijuí, 2006.

RAHMEIER, Andrea Helena Petry. Relações diplomáticas e militares entre a Alemanha e o Brasil: da proximidade ao rompimento (1937-1942). 2009. 390p. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, PUCRS, Porto Alegre, 2009.

RAMBO, Arthur Blásio. A escola comunitária teuto-brasileira católica. São Leopoldo: UNISINOS, 1994.

ROSE, Nikolas. Como se deve fazer a história do eu? Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 26, n. 1, p. 33-57, jan. 2001.

SEYFERTH, Giralda. Imigrantes, estrangeiros: a trajetória de uma categoria incomoda no campo político. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 26., 2008. Porto Seguro, Porto Seguro, BA. Anais [...]. Porto Seguro, BA: ABA, 2008. p. 1-20.

SEYFERTH, Giralda. Colonização, imigração e a questão racial no Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 53, p. 117-149, mar./maio 2002.

SEYFERTH, Giralda. A assimilação dos imigrantes como questão nacional. Mana, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 95-131, abr. 1997.

SEYFERTH, Giralda. Identidade étnica, assimilação e cidadania: a imigração alemã e o estado brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 9, n. 26, p. 103-122, out. 1994.

SEYFERTH, Giralda. Nacionalismo e identidade étnica: ideologia germanista e o grupo étnico teuto-brasileiro numa comunidade do Vale do Itajaí. Florianópolis: FCC, 1982.

VEIGA-NETO, Alfredo; LOPES, Maura Corcini. Inclusão como dominação do outro pelo mesmo. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL MICHEL FOUCAULT. 7., 2011, São Paulo, São Paulo, SP. Anais [...]. São Paulo, SP: PUC-SP, 2011. p. 1-12.

WANDERER, Fernanda. Educação matemática, jogos de linguagem e regulação. São Paulo: Livraria da Física, 2014.

WEBER, Paula Cristina. Representações da integração cultural das comunidades de origem alemã no Rio Grande do Sul do estado novo: um estudo das obras Um rio imita o reno e Longe do reno. 2012. 140p. Dissertação (Mestrado em Letras, Cultura e Regionalidade) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2012.

WITT, Marcos Antônio. Em busca de um lugar ao sol: anseios políticos no contexto da imigração e da colonização alemã (Rio Grande do Sul - século XIX). 2008. 428p. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

Publicado
2019-12-09
Como Citar
JUNGES, D. DE L. V. Preservação do Deutschtum nas escolas da imigração alemã no período da Campanha de Nacionalização. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 21, n. 3, p. 725-744, 9 dez. 2019.
Seção
Dossiê - Formação Humana e Educação: perspectivas contemporâneas