Juventud y género en la educación física escolar

reflexiones de los registros en un contexto de enseñanza y aprendizaje

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n3p741-755

Palavras-chave:

Cotidiano escolar, Trabajo docente, Interseccionalidad

Resumo

Este trabajo presenta reflexiones sobre la enseñanza diaria de Educación Física en un Instituto Federal en el Estado de Río Grande del Sur. Revisamos construcciones teóricas de autores de la Sociología de la Educación, Sociología de la Juventud y Educación Física en la escuela. Los objetivos apuntan a tres aspectos orientadores de nuestro análisis: situar las formas de enseñar a un maestro de Educación Física, con base en cuestiones que involucran los jóvenes y género; describir cómo estos problemas pasan por la enseñanza del maestro; y explicar la interseccionalidad en este proceso. Realizamos una investigación cualitativa con un instrumento metodológico de diario de campo, que contiene observaciones y registros sobre las clases, e informes del profesor. Los resultados indican que el debate sobre transexuales en el deporte con jóvenes estudiantes puede ser importante para romper los prejuicios que suelen sustentar los discursos sobre este tema. Consideramos que existen engendros, aproximaciones e interseccionalidades que implican la participación y envolvimiento de los(as) estudiantes, basados ​​en el (re)conocimiento de los problemas de género en su juventud, así como su identidad, relaciones sociales y epistemológicas con el conocimiento desarrollado en educación Física. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Nascimento Corsino, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - IFRS

É docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - IFRS - Campus Rolante. Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pelo Centro Universitário Metropolitano de São Paulo - UNIMESP-FIG, especialização em Educação para as Relações Étnico-Raciais pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, mestrado em Educação e Saúde na Infância e na Adolescência pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP e doutorado em Educação na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

Luiz Sanches Neto , Universidade Federal do Ceará, Instituto de Educação Física e Esportes

Professor adjunto da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Instituto de Educação Física e Esportes (IEFEs). Membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Bacharel e Licenciado em Educação Física pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre e Doutor em Pedagogia da Motricidade Humana com Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). 

Luciana Venâncio , Universidade Federal do Ceará, Instituto de Educação Física e Esportes

Licenciada em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista/Unesp-Rio Claro, Especialista em Educação Física Escolar/FEF-Unicamp, Mestre em Educação Física Escolar/Unesp-Rio Claro, Doutora em Educação pela Unesp-Presidente Prudente. Foi bolsista de Doutorado FAPESP. Atualmente é professora Adjunta Classe A na Universidade Federal do Ceará, no Instituto de Educação Física e Esportes (IEFEs) e professora permanente do Programa de Pós-Graduação (Mestrado Acadêmico) em Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Natal.

Referências

ALTMANN, Helena. Educação física escolar: relações de gênero em jogo. São Paulo: Cortez, 2015.

AUAD, Daniela. Relações de gênero nas práticas escolares: da escola mista ao ideal de co-educação. 2004. 232f. Tese (Doutorado em Educação e Sociologia da Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

AUAD, Daniela; CORSINO, Luciano. Feminismos, interseccionalidades e consubstancialidades na Educação Física Escolar. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 26, n. 1, p. 1-13, jan. 2018.

BOGDAN, Roberto C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BOURDIEU, Pierre. La “juventud” no es más que una palabra. In: SOCIOLOGIA y cultura. México: Grijalbo, Conaculta, 2002. p. 163-173.

BRASIL. Ministério da Educação. Expansão da Rede Federal. Brasilia: MEC, 2018. Disponivel em: http://portal.mec.gov.br/setec-programas-e-acoes/expansao-da-rede-federal. Acesso em: 11 fev. 2020.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013.

COLLINS, Patricia Hill. Toward a new vision: race, classe and gender as categories of analysis and connection. Washington: Center of Research on Woman, 1989.

CORSINO, Luciano Nascimento. Relações de gênero na Educação Física Escolar: uma análise das ‘misturas’ e separações em busca da coeducação. 2011. 154f. Dissertação (Mestrado em Ciências: Educação e Saúde na Infância e na Adolescência) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo, 2011.

CORSINO, Luciano Nascimento. “Sor, qual é a diferença entre um jogo e uma brincadeira?” Problematizando o jogo com jovens estudantes do Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, São Paulo, v. 2, p. 96-109, nov. 2019a.

CORSINO, Luciano Nascimento. Juventude negra e cotidiano escolar: uma abordagem etnográfica no Ensino Médio. 2019. 254f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2019b.

CORSINO, Luciano Nascimento; AUAD, Daniela. O professor diante das relações de gênero na Educação Física Escolar. São Paulo: Cortez, 2012.

COSTA, Luciana Miranda; SOUSA, Raissa Lennon Nascimento. O outro do outro: Serena Williams e a construção da imagem da mulher negra na mídia. Aturá Revista Pan-Amazônica de Comunicação, Palmas, v. 3, n. 1, p. 87-102, jan. /abr. 2019.

DORNELLES, Priscila Gomes; FRAGA, Alex Branco. Aula mista versus aula separada? Uma questão de gênero recorrente na Educação Física Escolar. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física, Cristalina, v. 1, n. 1, p. 141-156, ago. 2009. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/EDUCACAO _FISICA/artigos/Aula-mista-versus-aula-separada-na-Ed-F-escolar.pdf. Acesso em: 8 jan. 2020.

FURLAN, Cássia C.; LESSA, Patrícia. Futebol feminino e as barreiras do sexismo nas escolas: reflexões acerca da invisibilidade. Revista Motrivivência, Florianópolis, v. 30, p. 28-43, 2008.

GRUGEON, Elisabeth. Implicaciones del gênero em la cultura del pátio de recreo. In: WOODS, Peter; HAMMERLEY, Martyn. Gênero, cultura y etnia en la escuela. Barcelona, Espanha: Ministério de Educación y Ciência, 1995. p. 23-47. Informes etnográficos.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

HOOKS, Bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. São Paulo: Elefante, 2019.

SANCHES NETO, Luiz et al. Demandas ambientais na educação física escolar: perspectivas de adaptação e de transformação. Movimento (ESEF/UFRGS), Porto Alegre, v. 19, n. 4, p. 309-330, out./dez. 2013. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/41079. Acesso em: 5 jan. 2020.

SOUSA, Eustáquia Salvadora; ALTMANN, Helena. Meninos e meninas: expectativas corporais e implicações para a educação física escolar. Cadernos Cedes, Campinas, n. 48, p. 52-68, ago. 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v19n48/v1948a04.pdf. Acesso em: 8 jan. 2020.

THORNE, Barrie. Gender play: girls and boys in school. New Jersey: Rutgers University Press, 1993.

VENÂNCIO, Luciana. Narrative of experience from school physical education: the case of a Brazilian woman. In: MENA, Juanjo; GARCÍA-VALCÁRCEL, Ana; PEÑALVO, Francisco José García; DEL POZO, Marta Martín. (org.). Search and research: teacher education for contemporary contexts. Salamanca: Aquilafuente, 2017a. p. 419-427. Disponível em: https://knowledgesociety.usal.es/system/files/Gonzalez_Rodero_L-Others-2017-ISATT-A_Proposal_Indicators.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

VENÂNCIO, Luciana. A relação com o saber e o tempo pedagogicamente necessário: narrativas de experiência com a educação física escolar. Relatório de Pós-doutorado. Sergipe: Universidade Federal de Sergipe, 2017b. Disponível em: https://2744f97d-b100-4f6b-9245-790bc74d9d85.filesusr.com/ugd/924e48_36272163edd047d7816b599b6660aa9c.pdf . Acesso em: 11 fev. 2020.

VENÂNCIO, Luciana. A relação com o saber e o tempo pedagogicamente necessário: narrative de experiências com a educação física escolar. Revista de Estudos de Cultura, Sergipe, v. 5, n. 14, p. 89-102, 2019.

VENÂNCIO, Luciana et al. Modos de abordar a aprendizagem na educação física escolar: sujeitos-interlocutores na relação com o saber. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, Campinas, v. 3, n. 2, p. 31-52, mar. 2016. Disponível em: https://www.rebescolar.com/. Acesso em: 11 fev. 2020.

VENÂNCIO, Luciana. O que nós sabemos? Da relação na e com a educação física em um processo educacional escolar. 2014. 311f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2014.

ZAIDMAN, Claude. La mixité, objet d’étude scientifique ou enjeu politique. Cahiers du GEDISST, Paris, n. 14, 1995.

ZAN, Dirce Djanira Pacheco. Estudos sobre juventude no Brasil dos últimos 50 anos. In: MIRANDA, Estela M.; BRYAN, Newton Paciulli. (coord.). Formación de profesores, currículum, sujetos y prácticas educativas. Córdoba: Universidad Nacional de Córdoba, 2013. p. 189-212.

Publicado

2020-12-23

Como Citar

CORSINO, L. N.; SANCHES NETO , L. .; VENÂNCIO , L. . Juventud y género en la educación física escolar: reflexiones de los registros en un contexto de enseñanza y aprendizaje. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 3, p. 741-755, 23 dez. 2020.

Edição

Seção

Dossiê - Educação Física Escolar

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##