Comunicação visual no filme Trois Couleurs

Bleu, de Kieslowski

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2020v46n2p347-363

Palavras-chave:

Comunicação visual, Semiótica, Intertextualidade, Teoria da cor

Resumo

O objetivo do presente artigo é refletir sobre a comunicação por meio dos elementos visuais e seus significados no filme Trois Couleurs: Bleu (1993), do diretor e roteirista polonês Krzysztof Kieslowski e sobre o resultado imagético desta interface cinema e comunicação visual. A metodologia consiste em isolar imagens e analisar o significado de elementos visuais presentes na composição das mesmas, sob três perspectivas: a da semiótica peirceana, a da teoria da cor e a do conceito de intertextualidade resultante do dialogismo e da polifonia. O artigo é relevante por apresentar estratégias de análise fílmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, Denize. Imagens revisitadas: ensaios sobre a estética da hipervenção. Porto Alegre: Sulina, 2007.

DELEUZE, Gilles. A imagem-movimento Cinema 1. São Paulo: Brasilense, 1985.

DONDIS, Donis. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

FRANÇA, Andréa. Cinema em azul, branco e vermelho: a trilogia de Kieslowski. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1996.

KIEŚLOWSKI, Krzysztof. Entrevista sobre Trois Couleurs: Blue [Entrevista cedida a] a Jonathan Romney. The guardian, Paris, 9 nov. 2011. Publicada originalmente em 15 oct. 1993. Disponível em: http://www.guardian.co.uk/film/2011/nov/09/three-colours-blue-interview. Acesso em: 03 set. 2020.

KRISTEVA, Julia. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva, 1974.

KRISTEVA, Julia. Revolution in poetic language. New York: Columbia University Press, 1984.

MACHADO, Arlindo. O olho, a visão e a imagem: revisão crítica. São Paulo: Ribeiro, 2019.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2005.

SANTAELLA, Lucia. Arte & cultura: equívocos do elitismo. São Paulo: Unimep, 1982.

SANTAELLA, Lucia. Uma imagem é uma imagem, é uma imagem, é uma imagem. Tríade: comunicação, cultura e mídia, Sorocaba, SP, v. 3, n. 5, p. 10-19, 2015.

SANTAELLA, Lúcia. Teoria geral dos signos: semiose e autogeração. São Paulo: Ática, 1995.

SANTAELLA, Lúcia; NÖTH, Winfried. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, 1997.

SILVEIRA, Luciana Martha. Introdução à teoria da cor. Curitiba: UTFPR, 2011.

TROIS COULEURS: BLEU. Direção de Krzysztof Kieslowski e roteiro de Krzysztof Kieslowski e Krzysztof Piesiewicz. Produção de Marin Karmitz. França: MK2, 1993. 1 DVD. Disponível em: https://www.youtube.com/S12x4liRVIQ. Acesso em: 03 set. 2020.

TROIS COULEURS: ROUGE. Direção de Krzysztof Kieslowski e roteiro de Krzysztof Kieslowski e Krzysztof Piesiewicz. Produção de Marin Karmitz. França: MK2, 1994. 1 DVD. Disponível em: https://youtu.be/C4OPmk9Gfmk. Acesso em: 03 set. 2020.

TROIS COULEURS: BLANC. Direção de Krzysztof Kieslowski e roteiro de Krzysztof Kieslowski e Krzysztof Piesiewicz. Produção de Marin Karmitz. França: MK2, 1993. 1 DVD. Disponível em: https://youtu.be/qS2GUJc_dxI. Acesso em: 03 set. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-17

Como Citar

ROBLE, R. de A.; ARAUJO, D. . Comunicação visual no filme Trois Couleurs: Bleu, de Kieslowski. Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 46, n. 2, p. 347–363, 2020. DOI: 10.22484/2177-5788.2020v46n2p347-363. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/4079. Acesso em: 16 abr. 2021.