O processo de inclusão de alunos com deficiência visual e surdez no curso de licenciatura em Educação Física

um processo híbrido e in/tenso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2022v24id4188

Palavras-chave:

inclusão, licenciatura em educação física, deficiência.

Resumo

 

O artigo insere-se no contexto do debate da educação inclusiva, vista como uma questão central na educação atual. Problematiza o processo de inclusão, mostrando os diferentes discursos que produziram as condições para uma educação inclusiva. Objetiva mostrar que o processo de inclusão de alunos deficientes visuais e surdos no curso de licenciatura em Educação Física é híbrido e in/tenso. A pesquisa de campo foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com quatro professores de um curso de licenciatura em Educação Física e observações de suas aulas durante o segundo semestre de 2014 em uma turma que tinha um aluno com deficiência visual e um aluno surdo. A análise mostrou que, apesar de os professores estarem enredados pelos processos de normalização e muitas vezes responsabilizarem os deficientes pela sua exclusão ou demonstrarem piedade, também desenvolvem práticas de inclusão.

          

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Licínio Backes, Universidade Católica Dom Bosco - UCDB

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Pós-Doutorado em Educação pela Universidade do Minho. Atualmente é coordenador do PPGE/UCDB.

Vera Licia de Souza Baruki, Universidade Católica Dom Bosco - UCDB

Mestre em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco e doutorado em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco. Docente do Curso de Educação Física da Universidades Católica Dom Bosco.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

FRANCO, Monique. Educação superior bilíngue para surdos: o sentido da política inclusiva como espaço da liberdade: primeiras aproximações. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 15, n. 1, p. 15-30, abr. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-65382009000100003

GAIO, Roberta. Para além do corpo com deficiência: história de vida. São Paulo: Fontoura, 2006.

GARCIA, Fabiane Maia; BRAZ, Aissa Thamy Alencar Mendes. Deficiência visual: caminhos legais e teóricos da escola inclusiva. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 28, n. 108, p. 622-641, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-40362020002802399

GARCIA, Rosalba Maria Cardoso; MICHELS, Maria Helena. Educação e inclusão: equidade e aprendizagem como estratégias do capital. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 46, n. 3, p. 1-21, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-6236116974

GONDRA, José. G. Combater a “Poética Pallidez”: a questão da higienização dos corpos. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. especial, p. 121-161, dez. 2004.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, dez. 1997.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

JANNUZZI, Gilberta de Martino. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. Campinas: Autores Associados, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742005000100012

MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. São Paulo: EDUSP, 1974.

MONTEIRO, Myrna. Salerno. História dos movimentos dos surdos e o reconhecimento da Libras no Brasil. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, v. 7, n. 2, p. 292-302, jun. 2006. DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v7i2.810

MORENO, Andrea; VAGO, Tarcísio Mauro. Nascer de novo na cidade jardim da República: Belo Horizonte como lugar de cultivo de corpos (1891-1930). Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 3, p. 67-80, dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73072011000300006

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da moral. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

PRIORE, Mary Del; AMANTINO, Márcia. História do corpo no Brasil. São Paulo: UNESP, 2011.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2008.

SILVA, Rita de Fátima; SEABRA JÚNIOR, Luiz; ARAÚJO, Paulo Ferreira. Educação física adaptada no Brasil: da história à inclusão educacional. São Paulo: Phorte, 2008.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

VIGARELLO, Georges. A invenção da ginástica no século XIX: movimentos novos, corpos novos. Revista Brasileira de Ciência e Esporte, Campinas, v. 25, n. 1, p. 9-20, set. 2003.

WITCHS, Pedro Henrique; LOPES, Maura Corcini. Forma de vida surda e seus marcadores culturais. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, p. 1-17, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698184713

Downloads

Publicado

2022-08-05

Como Citar

BACKES, J. L.; BARUKI, V. L. de S. O processo de inclusão de alunos com deficiência visual e surdez no curso de licenciatura em Educação Física: um processo híbrido e in/tenso. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 24, p. e022015, 2022. DOI: 10.22483/2177-5796.2022v24id4188. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/4188. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos de Demanda