Ações de equipes gestoras para o ensino de matemática nos anos iniciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n1p225-248

Palavras-chave:

Equipe gestora, Ensino da matemática, Prova Brasil.

Resumo

Este artigo apresenta uma pesquisa sobre a atuação da equipe gestora que pode favorecer o bom desempenho em Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental. A metodologia utilizada se constituiu de cunho qualitativo e interpretativo. A análise teórica fundamentou-se nos conceitos de organização escolar, gestão democrática e eficácia da escola e utilizou a técnica de triangulação dos dados com um corpus de análise constituído a partir de questionário misto e entrevista semiestruturada com as equipes gestoras e documentos oficiais sobre as escolas e sobre os gestores. A pesquisa foi desenvolvida em seis escolas de uma rede municipal de ensino que apresentaram notas crescentes em matemática e IDEB em ascensão nas edições da Prova Brasil de 2011, 2013 e 2015. Os resultados evidenciaram que as equipes gestoras pesquisadas desenvolvem intencionalmente, ações voltadas ao ensino da matemática, tais como atribuição de aulas de turmas de 4º e 5º anos aos docentes com maiores afinidades em matemática, formação continuada, planejamento e replanejamento de atividades pedagógicas, estímulo à comunicação organizacional clara e aos trabalhos colaborativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Arantes, UFScar - Sorocaba

Possui graduação em Matemática pela Universidade de Sorocaba, graduação em Tecnologia Mecânica pela Faculdade de Tecnologia de Sorocaba e graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio; Pós-graduação em Psicopedagogia pela Faculdade São Luís ; Pós-graduação em Gestão Escolar pela Faculdade Pitágoras e MBA em Gestão Escolar pela Faculdade Pitágoras.

Renata Prenstteter Gama , Universidade Federal de São Carlos

Possui Licenciatura em Ciências-Habilitação plena em Matemática, mestrado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Atua como docente no Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de São Carlos e na Pós-graduação em Educação (PPGEd e PPGPE da UFSCar). Desenvolve pesquisas com ênfase em Educação, principalmente nas seguintes temáticas: formação de professores, prática educativa, prática colaborativa, iniciação a docência e desenvolvimento profissional docente.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método das ciências sociais, pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 2002.

ANDRADE, Rosa Maria Calaes de (org.). O cotidiano educacional. Porto Alegre: Artmed, 2003.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. Gestão da educação escolar. Brasília: Universidade de Brasília, Centro de Educação a Distância, 2006.

DOURADO, L. F. A escolha de dirigentes escolares : política e gestão da educação no Brasil. In: FERREIRA, N. S. C. (Org.). Gestão democrática da Educação : atuais tendências, novos desafios. São Paulo : Cortez, 1998

ESPINOSA A. J.; FIORENTINI, D. (Re)significação e reciprocidade de saberes e práticas no encontro de professores de matemática da escola e da universidade. In: FIORENTINI, D. A.; NACARATO, A. M. (org.). Cultura, formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam matemática: investigando e teorizando a partir de prática. São Paulo: Musa, 2005, p. 152-174.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2012.

FERREIRA, N.S.C. Gestão democrática da educação para uma formação humana: conceitos e possibilidades. Em Aberto. Gestão escolar e formação de gestores. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, v. 17, n. 72, jun. 2000.

FUNDAÇÃO LEMANN e MERITT. Portal QEdu.org.br. Brasília: QEdu, 2012. Disponível em: http://www.qedu.org.br/. Acesso em: 19 nov. 2018.

FULLAN, M; HARGREAVES, A. A escola como organização aprendente: buscando uma educação de qualidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

GAMA, Renata P. Desenvolvimento profissional com apoio de grupos colaborativos: o caso de professores de matemática em início de carreira. 2007. 240p. Tese (Doutorado em Educação: Educação Matemática) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. São Paulo: Heccus, 2004.

LÜCK, H. Avaliação e monitoramento do trabalho educacional. Petrópolis: Vozes, 2013.

LÜCK, H. Dimensões da gestão escolar e suas competências. Curitiba: Editora Positivo, 2009.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens educativas. São Paulo: E.P.U., 1986.

NACARATO, A. M.; MENGALI, B. L. S.; PASSOS, C. L. B. A matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: tecendo fios do ensinar e do aprender. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

NÓVOA, A. Para uma análise das instituições escolares. In: NÓVOA, A. (coord.). As organizações escolares em análise. Lisboa: Publicações Dom Quixote: IIE, 1995. p. 13-43.

SOROCABA. Instrução SEDU/GS Nº 16, de 22 de novembro de 2017. Dispõe sobre o processo de atribuição de turmas, classes e aulas aos docentes efetivos, integrantes do Quadro do Magistério Público Municipal de Sorocaba, de acordo com os artigos 32 e 38, da Lei nº 4599/1994 e alterações. Sorocaba: Secretaria da Educação, 2017. Disponível em: http://educacao.sorocaba.sp.gov.br/vida-funcional/wp-content/uploads/sites/4/2017/02/instrucaon16atribaulascargasuplem.pdf. Acesso em: 14 dez. 2018.

SOROCABA. Lei nº 8.119, de 29 de março de 2007. Dispõe sobre alteração de dispositivos da Lei nº 4.599, de 6 de setembro de 1994, que estabelece o Plano de carreira do quadro do magistério público municipal de Sorocaba e dá outras providências. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/sp/s/sorocaba/lei-ordinaria/2007/812/8119/lei-ordinaria-n-8119-2007-dispoe-sobre-alteracao-de-dispositivos-da-lei-n-4599-de-6-de-setembro-de-1994-que-estabelece-o-quadro-e-o-plano-de-carreira-do-quadro-do-magisterio-publico-municipal-de-sorocaba-e-da-outras-providencias?q=8119. Acesso em: 14 dez. 2018.

Publicado

2020-04-15

Como Citar

ARANTES, A. C.; GAMA , R. P. . Ações de equipes gestoras para o ensino de matemática nos anos iniciais. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 1, p. 225-248, 15 abr. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Demanda

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##