Atividades experimentais como estratégia didática

do aprender ao ensinar Física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n3p625-643

Palavras-chave:

Laboratório didático, Ensino fundamental, Ensino de Ciências.

Resumo

O presente estudo discute modelos para instituir uma nova visão sobre o papel dessas atividades na aprendizagem em Física, a partir de propostas didáticas presentes na literatura. A questão central está assim definida: Como os futuros professores de Física/Ciências acolhem e se apropriam das discussões sobre o papel das atividades experimentais na educação básica, frente a um modelo distinto do que vivenciaram em sua formação? O objetivo está em verificar a forma pela qual essas discussões contribuem para instituir, nesses sujeitos, uma nova visão sobre o papel das atividades experimentais na aprendizagem em Física. Para isso, foi elaborado um módulo didático envolvendo discussões teóricas e propostas de atividades experimentais. O estudo desenvolvido com quatorze acadêmicos apontou que os licenciados têm consciência da necessidade de utilizar propostas didáticas distintas das vivenciadas, ao mesmo tempo em que revelam dificuldades para isso, tanto sob o ponto de vista epistemológico, como pedagógico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleci Teresinha Werner da Rosa, Universidade de Passo Fundo

Doutorado em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora titular no Curso de Física na Universidade de Passo Fundo.  Docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (mestrado profissional) e no Programa de Pós-Graduação em Educação (mestrado e doutorado) na UPF. 

Roberto Oliveira da Silva, Instituto Federal do Pará

Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade de Passo Fundo/RS, Especialista em Educação para Relações Étnicas Raciais pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará Campus Altamira, licenciado pleno em ciências naturais com habilitação em física pela Universidade do Estado do Pará.

Luiz Marcelo Darroz, Universidade de Passo Fundo

Doutor em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Docente do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universiade de Passo Fundo.

Referências

AMARAL, Ivan Amorosino do. Conhecimento formal, experimentação e estudo ambiental. Ciência e Ensino, Campinas, v. 3, p. 10-15, dez. 1997.

ARRUDA, Sérgio de Mello; LABURÚ, Carlos Eduardo. Considerações sobre a função do experimento no ensino de ciências. In: NARDI, Roberto (org.). Questões atuais no ensino de ciências. São Paulo: Escrituras, 1998. p. 53-60.

BARBERÁ, Oscar; VALDÉS, Pablo. El trabajo práctico en la enseñanza de las ciencias: una revisión. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, Barcelona, v. 14, n. 3, p. 365-379, 1996.

BORGES, Tarcisio. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 19, n. 3, p. 291-313, 2002.

CARVALHO, Anna Maria P. O ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: CARVALHO, Anna Maria P. (org.). Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

GALIAZZI, Maria do Carmo et al. Objetivos das atividades experimentais no ensino médio: a pesquisa coletiva como modo de formação de professores de Ciências. Ciência e Educação, Bauru, v. 7, n. 2, p. 249-263, 2001.

GIL-PÉREZ, Daniel et al. ¿Cómo promover el interés por la cultura científica? una propuesta didáctica fundamentada para la educación científica de jóvenes de 15 a 18 años. Santiago de Compostela: OREALC/UNESCO, 2005.

GONÇALVES, Fábio Peres. O texto de experimentação na educação em química: discursos pedagógicos e epistemológicos. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

HEIDEMANN, Leonardo A. Ressignificação das atividades experimentais no ensino de física por meio do enfoque no processo de modelagem científica. 2015. Tese (Doutorado em Ensino de Física) - Programa de Pós-Graduação em Ensino Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

HOFSTEIN, Avi; LUNETTA, Vincent N. The laboratory in science education: foundations for the twenty‐first century. Science Education, London, v. 88, n. 1, p. 28-54, 2004.

JOHNSTONE, Alex H. The development of chemistry teaching: A changing response to changing demand. Journal of Chemical Education, Washington, v. 70, n. 9, p. 701-704, 1993.

MENESES, Jesús Á. Trabajos prácticos por indagación como estrategia para la enseñanza de la Física. In: MENESES, Jesús Á.; GEBARA, Maria J. F. (org.). Estrategias didácticas para la enseñanza de la Física. Burgos, España: UBU, 2018. p. 121-142.

MOREIRA, Marco A. Ensino de física no Brasil: retrospectiva e perspectivas. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 94-99, 2000.

PINHO-ALVES, José. Atividades experimentais: do método à prática construtivista. 2000. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000.

ROSA, Cleci T. Werner da. Laboratório didático de física da Universidade de Passo Fundo: concepções teórico-metodológicas. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2001.

ROSA, Cleci T. Werner da. A metacognição e as atividades experimentais no ensino de Física. 2011. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

SILVA, José Luiz et al. A utilização de vídeos didáticos nas aulas de química do ensino médio para abordagem histórica e contextualizada do tema vidros. Química Nova na Escola, São Paulo, v. 34, n. 4, p. 189-200, nov. 2012.

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2015.

VALADARES, Jorge. O ensino experimental das ciências: do conceito à prática: Investigação/Acção/Reflexão. Revista Proform@r, Portugal, v. 13, n. 5, p. 1-15, 2006.

ZÔMPERO, Andreia F. Significados de fotossíntese elaborados por alunos do ensino fundamental a partir de atividades investigativas mediadas por multimodos de representação. 2012. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, 2012.

Downloads

Publicado

2021-11-05

Como Citar

ROSA, C. T. W. da; SILVA, R. O. da; DARROZ, L. M. Atividades experimentais como estratégia didática: do aprender ao ensinar Física. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 625–643, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n3p625-643. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3815. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê - Práticas pedagógicas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)