Pigmaleão entre Shaw e Bolaños:

adaptação para sketches de humor

Autores

  • Marcela Rossi Monteiro Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.22484/2177-5788.2016v42n1p149-164

Resumo

Este artigo discute duas adaptações da peça Pigmaleão, de George Bernard Shaw, publicada em 1912 e que foi intensamente adaptada durante o século XX: o filme britânico Pygmalion, de 1938, dirigido por Anthony Asquith e Leslie Howard com roteiro do próprio Shaw e o sketch humorístico A Vendedora de Flores, de 1978, adaptado pelo roteirista e ator mexicano Roberto Gomez Bolaños. Ambos apresentam relação com o texto de Shaw de 1912, entretanto em medidas diferentes, já que as adaptações revelam um olhar único de um adaptador sobre a obra a ser adaptada. Nos dois casos, tem-se a essência narrativa da história, porém a adaptação de Bolaños reconfigura significativamente as personagens ainda transmitindo relação narrativa num formato distante da peça e do filme e de duração reduzida, o que pressupõe uma condensação intensa na adaptação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela Rossi Monteiro, Universidade de São Paulo

Mestranda no programa de Estudos da Tradução pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2016-08-10

Como Citar

MONTEIRO, M. R. Pigmaleão entre Shaw e Bolaños:: adaptação para sketches de humor. Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 42, n. 1, 2016. DOI: 10.22484/2177-5788.2016v42n1p149-164. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/2520. Acesso em: 2 jul. 2022.