Contar histórias desde aqui

por uma sala de aula feminista e amefricana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p153-173

Palavras-chave:

Feminismo, Docência, Amefricanidade

Resumo

Como escreve Scholastique Mukasonga em seu livro “A mulher de pés descalços”, precisamos ensinar aos nossos dedos dos pés um caminhar que não os machuque pelo percurso. Inspiradas por essa proposição, esse trabalho busca tecer diálogos com os ensinamentos de intelectuais como bell hooks, Audre Lorde, Gloria Anzaldúa e Lélia Gonzalez para pensarmos uma sala de aula e uma docência pautadas em uma ética feminista e antirracista. Assim, situadas desde o continente amefricano, objetivamos, a partir de nossas experiências e de uma inspiração cartográfica, discutir as relações entre o ser professora-pesquisadora-feminista na aposta de uma universidade que acolha, cuide e nos possibilite contar mais histórias. Para isso, lançamos mão de nossas próprias histórias que narram sobre como construímos uma voz para nós mesmas, como experienciamos a universidade e por quais caminhos chegamos no exercício da docência e da pesquisa em uma perspectiva feminista e antirracista. Por fim, como possibilidade de intervenção para docência que se assente sobre uma política do cuidado, narramos uma experiência em sala de aula, que acontece há pelo menos um ano, onde as/os alunas/os são convidadas/os a escrever cartas em uma disciplina. Nossa aposta é para que possamos seguir construindo o espaço da sala de aula também como espaço de cura, onde nossos corpos estejam em prol de políticas para o encantamento da vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Moraes Battistelli, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Mestra em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como bolsista CNPQ. Doutoranda no PPG Psicologia Social e Institucional (UFRGS), como bolsista CAPES. 

Luciana Rodrigues, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Doutora em Psicologia Social e Institucional pela UFRGS. Professora Adjunta do Departamento de Psicologia Social e Institucional do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e docente colaboradora do PPGPSI/UFRGS.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro mundo. In: PEDROSA, Adriano; CARNEIRO, Amanda; MESQUITA, André (org.). Histórias das mulheres, histórias feministas. São Paulo: MASP, 2019. v. 2, p. 85-94. .

CHIMAMANDA, Adiche. Chimamanda Adichie: o perigo da história única. Portal Geledés, 2010. Disponível em: https://www.geledes.org.br/chimamanda-adichie-o-perigo-de-uma-unica-historia/. Acesso em: 17 fev. 2020.

CUSICANQUI, Silvia Rivera. Un mundo ch'ixi es posible: ensayos desde un presente en crisis. Buenos Aires: Tinta Limón, 2018.

GONZALEZ, Lélia. A categoria político-cultural da Amefricanidade. In: GONZALEZ, Lélia. Primavera para Rosas Negras: Lélia Gonzalez em primeira pessoa. São Paulo: Editora Filhos da África, 2018. p. 321-334.

HOOKS, Bell. Intelectuais negras. Estudos feministas, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 464, 1995.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2017.

HOOKS, Bell. Ensinando pensamento crítico: sabedoria prática. São Paulo: Editora Elefante, 2020.

HOOKS, Bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. 6. ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019a.

HOOKS, Bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. São Paulo: Editora Elefante, 2019b.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LORDE, Audre. Irmã outsider: ensaios e conferências. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

LORDE, Audre. A poeta como professora, a humana como poeta, a professora como humana. In: LORDE, Audre. Sou sua irmã: escritos reunidos. São Paulo: Ubu Editora, 2020. p. 103-105

MIGNOLO, Walter. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 32, n. 94, p. 1-17, jun. 2017.

MUKASONGA, Scholastique. A mulher de pés descalços. São Paulo: Nós, 2017.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2016.

OLIVEIRA, Erika Cecília Soares. A docência como uma performance feminista. Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João Del-Rei, v. 15, n. 3, p. 1-13, jul./set. 2020.

RODRIGUES, Luciana. [Correspondência]. Destinatário: aluno da disciplina de Psicologia Social. Porto Alegre, 10 jul. 2019.

SIMAS, Luiz Antonio; RUFINO, Luis. Encantamento (sobre política de vida). Rio de Janeiro: Mórula Editorial, 2020. E-book. Disponível em: https://morula.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Encantamento.pdf . Acesso em: 17 fev. 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

BATTISTELLI, B. M.; RODRIGUES, L. Contar histórias desde aqui : por uma sala de aula feminista e amefricana . Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 23, n. 1, p. 153–173, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n1p153-173. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/4067. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Investigações poéticas e cocriação entre pensamento e vida