A imagem arquetípica do psicopompo nas representações de Exu, Ganesha, Hermes e Toth

Autores

  • Cristina Balieiro
  • Dimas A. Künsch
  • José Eugenio de Oliveira Menezes
  • Marcelo Lobato
  • Monica Martinez

Resumo

Os arquétipos, as religiões, as expressões artísticas e as representações midiáticas dos mesmos estão presentes, em alguma medida, na cultura de diversos povos, sejam os originários − como os primevos do continente africano −, sejam os contemporâneos. Nesse contexto, esse artigo busca investigar a questão das imagens arquetípicas ainda em alguma instância vivas e ativas no imaginário coletivo por meio das figuras de Exu, Ganesha, Hermes e Toth, originariamente parte integrante das tradições africana, indiana, grega e egípcia, respectivamente. Em comum, tratam-se, na visão da psicologia analítica, de psicopompos, isto é, elos de ligação entre o consciente e o inconsciente humanos. A partir de uma abordagem junguiana, que valoriza a relação entre estas duas esferas da psiquê, o artigo sugere que é por meio desse diálogo que o indivíduo teria a possibilidade de integrar ao consciente conteúdos inconscientes, o que permitiria o desenvolvimento da personalidade como um todo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dimas A. Künsch



Downloads

Publicado

2015-12-28

Como Citar

BALIEIRO, C.; KÜNSCH, D. A.; MENEZES, J. E. de O.; LOBATO, M.; MARTINEZ, M. A imagem arquetípica do psicopompo nas representações de Exu, Ganesha, Hermes e Toth. Revista de Estudos Universitários - REU, [S. l.], v. 41, n. 2, 2015. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/reu/article/view/2430. Acesso em: 15 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)