Concepções de trabalho pedagógico e valorização do profissional da educação no Curso Normal Gaúcho:

o Caso do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac - Santa Maria/RS

Palavras-chave: Trabalho pedagógico., Curso normal., Valorização profissional.

Resumo

O presente trabalho sistematiza estudos que objetivaram recuperar a história do Curso Normal no Rio Grande do Sul, especificamente em Santa Maria, no Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac, relacionando-a às políticas públicas implantadas neste Curso, para conhecer concepções de trabalho pedagógico, mudanças no Curso Normal e indícios da valorização do profissional da educação no século passado, mais especificamente de 1950 a 1970. Para realizar a pesquisa, houve inserção dos pesquisadores no referido Instituto, localizado em Santa Maria, criado em 1901, que possui um rico acervo histórico. Tratou-se então de um estudo, cuja principal técnica de produção de dados foi a análise documental. Uma vez selecionados e produzidos os dados, passou-se à aplicação de Análise de Conteúdo, o que possibilitou a sistematização ora apresentada. O principal material analisado foram recortes de jornais, fotos de antigas normalistas e livros produzidos na escola. Ao acabar o texto notamos que surgiram mais perguntas do que esclarecimentos, mas isso é apenas um impulso para continuarmos pesquisando e, com isso, considerando de extrema relevância compreendermos como foi se constituindo o trabalho pedagógico nos Cursos Normais/Magistério no Rio Grande do Sul ao longo do tempo, a partir de 1900, e para, assim, hoje, junto com os professores, nas escolas, transformar o pedagógico, visando a produzir aula, e, nela, produzir conhecimento, de modo mais coerente com as demandas de nosso tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliana Soares Ferreira, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora Associada da Universidade Federal de Santa Maria. 

Josiane Lara Fagundes, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

 Graduada em Direito e em Educação Física. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria.

Vicente Cabrera Calheiros, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Graduado em Educação Física, Mestre em Educação Física, Doutorando em Educação.

Luiza da Silva Braido, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM

Graduanda em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria. Pós-graduanda do curso de Especialização em Gestão Educacional (CEGE/UFSM).                      

Referências

AHOB Nº157. Pasta com cópias de documentos históricos do IEOB, vários anos. In: IEOB - Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria: IEOB, 2014.

ALMEIDA, Jane Soares de. As professoras no século XX: as mulheres como educadoras da infância. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 3., 2004, Curitiba. Anais [...]. Curitiba, PR: Universidade Federal de Curitiba, 2004. P. 1-12. Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe3/Documentos/Coord/Eixo3/482.pdf . Acesso em: 15 jun. 2018.

ALMEIDA, Jane Soares de; GOMES, Calil de S. A educação feminina à luz da missão educativa da Igreja Católica: as irmãs Beneditinas de Tutzing em Sorocaba. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 5, p. 155-178, 2014.

BRASIL. Decreto nº 1.331-A, de 17 de fevereiro de 1854. Aprova o regulamento para a reforma do ensino primario e secundario do Municipio da Côrte. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1331-a-17-fevereiro-1854-590146-publicacaooriginal-115292-pe.html. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Decreto-Lei nº 8.530, de 2 de janeiro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Brasília: Câmara dos Deputados, 1946. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Revogada pela Lei nº 9.394, de 1996, exceto os artigos 6º a 9º. Brasília: Senado, 1961. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4024.htm. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Lei Federal nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: DOU, 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5692.htm. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Lei Federal nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DOU, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 26 out. 2017.

FERREIRA, Liliana S. Profissionalidade, trabalho e educação no discurso de professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental. 2006. 293p. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2006.

FERREIRA, Liliana S. Gestão do pedagógico: de qual pedagógico se fala? Currículo sem Fronteiras, v. 8, n. 2, p. 176-189, jul./dez. 2008. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol8iss2articles/ferreira.pdf. Acesso em: 26 out. 2017.

FERREIRA, Liliana S. O trabalho dos professores em contextos de gestão escolar. Revista Portuguesa de Educação, Minho, v. 1, n. 23, p. 81-98, jun. 2010.

FERREIRA, Liliana S. Trabalho pedagógico na escola: sujeitos, conhecimento e tempos. Curitiba: Editora CRV, 2017.

FURLAN, C. M. A. História do curso de Pedagogia no Brasil: 1939-2005. In: CONGRESSO

NACIONAL DE EDUCAÇÃO- EDUCERE, 8.; CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE VIOLÊNCIAS NAS ESCOLAS, 3., 2008, Paraná. Anais [...]. Paraná: Pontifícia Universidade Católica, 2008. p. 3862-3875.

IEEOB - Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Acervo histórico. Santa Maria: IEEOB, 1930.

NOSELLA, Paolo; BUFFA, Ester. Instituições escolares: por que e como pesquisar. Campinas: Alínea, 2009.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto nº 373, de 14 de março de 1901. Constitui na capital do Estado um Colegio Districtal. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/105552/DECRETO%20373%20DE%201901.pdf?sequence=1&isAllowed=yhttp://1901.pdf/?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 26 out. 2017.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto-lei nº 775 A, de 1943. Aprova os Regulamentos do Instituto de Educação e das Escolas Normais Rurais e manda aplicá-los respectivamente, as escolas de formação de professores primários e de professores primários rurais. Porto Alegre: Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, 1943. p. 1-12. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/105576 Acesso em: 26 out. 2017.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2011. (Coleção memória da educação).

SCHNEIDER, R. P. A Instrução pública no Rio Grande do Sul: 1770-1889. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS/EST, 1993.

TAMBARA, Elomar. Profissionalização, escola normal, e feminilização: magistério sul-rio-grandense de instrução pública no século XIX. Pelotas: História da Educação ASPHE/FaE/ UFPel, 1998.

ZERO, Maria Aparecida. Diretor de escola: compromisso social e educativo. 2006. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

Publicado
2019-08-30
Como Citar
FERREIRA, L.; FAGUNDES, J.; CALHEIROS, V.; BRAIDO, L. Concepções de trabalho pedagógico e valorização do profissional da educação no Curso Normal Gaúcho:. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 21, n. 2, p. 539-557, 30 ago. 2019.
Seção
Seção Temática - Gestão Educacional