Assembleia de classe como espaço educativo de convivência, autonomia e problematização da realidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n1p249-270

Palavras-chave:

Assembleia de classe, Saberes de experiência, Autonomia.

Resumo

A problemática da indisciplina e violência tem inquietado educadores e educadoras, instigando-lhes a buscar por novos projetos educacionais, em que a mesma seja entendida como uma questão coletiva da escola. Esse artigo apresenta reflexões tecidas em pesquisa de mestrado que investigou como assembleias de classe podem favorecer o enfrentamento da indisciplina e conflitos escolares vivenciados por adolescentes do Ensino Fundamental. O percurso metodológico foi desenvolvido conforme os tempos da sistematização de experiência preconizados por Oscar Jara-Holliday, que permitiram recuperar, reordenar e avaliar os elementos da prática analisada. Como resultado da sistematização foi possível perceber que a assembleia de classe configura-se como espaço-tempo de diálogo e reflexão sobre a realidade. Ao tomar parte dela, educandos e educadores podem exercitar a escuta atenta e o respeito à diversidade, refletir sobre sua postura e sobre como organizar e expor sua argumentação, construindo coletivamente possibilidades de superar os conflitos escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariza Pavan Stucchi, Centro Universitário Salesiano de São Paulo - UNISAL

Mestre em Educação (PPGE/UNISAL), pedagoga e participante do Grupo de Pesquisa Conhecimento e An´álise das Intervenções na Práxis Educativa Sociocomunitária - CAIPE.

Fabiana Rodrigues de Sousa, Centro Universitário Salesiano de São Paulo - UNISAL

Doutora e Mestra em Educação com estágio pós-doutoral no Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Educadora popular e docente do Programa de Mestrado em Educação Sociocomunitária do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). Pesquisadora do grupo Conhecimento e Análise das Intervenções na Práxis Educativa Sociocomunitária (UNISAL) e do grupo Práticas Sociais e Processos Educativos (UFSCar).

Referências

AQUINO, Julio Groppa. A desordem na relação professor-aluno: indisciplina, moralidade e conhecimento. In: AQUINO, Julio Groppa (org.). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 39-55.

ARAÚJO, Ulisses F. Resolução de conflitos e assembleias escolares. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 31, p. 115-131, jul./dez. 2008.

ARAÚJO, Ulisses F. Assembleia escolar: um caminho para a resolução de conflitos. São Paulo: Moderna, 2004.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari K. Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto Editora, 1994.

CHARLOT, Bernard. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, n. 8, p. 432-443, dez. 2002.

DUSSEL, Enrique. Filosofía de la liberación. Bogotá: Nueva Amé¬rica, 1996.

ECKHARDT, Fabiana. As classes populares no curso de Pedagogia descobrindo-se periferia. Revista Ciências da Educação, Americana, v. 10, n. 41, p. 149-162, out. 2018.

ESTRELA, Maria Teresa. Relação pedagógica, disciplina e indisciplina na aula. 4. ed. Porto: Porto Editora, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Editora Olho d’Água, 1993.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

GARCIA, Joe. Indisciplina na escola: questões sobre mudança de paradigma. Contra-Pontos, Itajaí, v. 8, n. 3, p. 367-380, set./dez. 2008.

GARCIA, Joe. Indisciplina, incivilidade e cidadania na escola. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 8, n. 1, p. 10-32, dez. 2006.

GARCIA, Joe; TOGNETTA, Luciene R. P.; VINHA, Telma P. Indisciplina, conflitos e bullying na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2013.

JARA-HOLLIDAY, Oscar. Para sistematizar experiências. 2. ed. Brasília: MMA, 2006.

KRAMER, Sonia. Por entre as pedras: arma e sonho na escola. São Paulo: Ática, 1994.

LAROSSA-BONDÍA, Jorge. Nota sobre experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, jan./abr. 2002.

LEME, Maria Isabel S. Convivência, conflitos e educação nas escolas de São Paulo. São Paulo: ISME, 2006.

LIMA, Helton Souto. O diário de campo e sua relação com o olhar aprofundado sobre o espaço rural. In. WHITAKER, Dulce C. A. Sociologia rural: questões metodológicas emergentes. Presidente Venceslau: Letras à Margem, 2002. p.143-149.

OLIVEIRA, Maria Waldenez et al. Pesquisando processos educativos em práticas sociais: reflexões e proposições teórico-metodológicas. In: OLIVEIRA, Maria W.; SOUSA, Fabiana R. (orgs). Processos educativos em práticas sociais: pesquisas em educação. São Carlos: EdUFSCar, 2014. p. 113-141.

PIAGET, Jean. Seis estudos de psicologia. 14. ed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1986.

PUIG, Josef M. et al. Democracia e participação escolar: propostas de atividades. São Paulo: Moderna, 2000.

RAMOS, Moacyr S.; SANTORO, Ana Cecília S. Pensamento freireano em tempo de escola sem partido. Inter-Ação, Goiânia, v. 42, n. 1, p. 140-158, jan./abr. 2017.

REGO, Teresa C. R. A indisciplina e o processo educativo: uma análise na perspectiva vygotskiana. In: AQUINO, Julio Groppa. (org). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 83-101.

RIBEIRO, Adalberto C.; ALVES, Maria Natália C. Juventudes universitárias populares e educação freireana: reflexões sociológicas. Quaestio, Sorocaba, v. 20, n. 2, p. 305-325, ago. 2018. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3335/2946. Acesso em: 10 fev. 2019.

SOUSA, Fabiana R.; NASCIMENTO, Ilca F. Lei de cotas e promoção da justiça social: percepções de estudantes cotistas de um instituto federal. Revista Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 26, n. 3, p. 758-776, set./dez. 2019.

TOGNETTA, Luciene R. P.; VINHA, Telma P. Quando a escola é democrática: um olhar sobre as práticas das regras e assembleias na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2007.

VINHA, Telma P. O educador e a moralidade infantil: uma visão construtivista. Campinas: Mercado das Letras; São Paulo: FAPESP, 2000.

WHITAKER, Dulce C. A. Apresentando os textos. In. WHITAKER, Dulce C. A. Sociologia rural: questões metodológicas emergentes. Presidente Venceslau: Letras à Margem, 2002. p. 123-130.

Publicado

2020-04-15

Como Citar

STUCCHI, M. P.; SOUSA, F. R. DE. Assembleia de classe como espaço educativo de convivência, autonomia e problematização da realidade. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 1, p. 249-270, 15 abr. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Demanda