Cartas autobiográficas de formação e profissão:

experiências de um professor-pesquisador-extensionista de Educação Ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n2p375-390

Palavras-chave:

Cartas, Autobiografia, Educação ambiental.

Resumo

As cartas têm sido utilizadas como dispositivo de pesquisa no campo da Educação e, para este artigo, são apresentadas duas cartas, com a centralidade na Educação Ambiental: a primeira, anuncia o passado, ou seja, a trajetória de formação e profissão de um pesquisador-extensionista de uma universidade pública baiana e que foi apresentada na sua promoção para professor pleno; a segunda é o registro para se lançar ao futuro, pois é uma carta escrita para uma criança de onze anos.  A inspiração teórica e metodológica se dá a partir as narrativas (auto)biográficas, que tem possibilitado potencializar as narrativas epistolares como instrumento da produção textual e de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Leandro Barzano, Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS

Possuo graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, mestrado em Educação pela Universidade Federal Fluminense e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Realizei Estágio de Pós-Doutorado na Universidade Federal Fluminense (2014-2015). Sou Professor Titular da Universidade Estadual de Feira de Santana e, além de ensinar para o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, atuo no Programa de Pós-Graduação em Educação (UEFS) e Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA-UEFS).

Referências

BARROS, Manoel. O livro das ignorãças. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2016.

BOFF, Leonardo. Saber cuidar. Petrópolis: Vozes, 2014.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 9.795/99, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental. Institui a Política Nacional de Educação Ambiental. Diário Oficial da União, Brasília, 27 abr. 1999.

BUJES, Maria Isabel E. Descaminhos. In: COSTA, Marisa Vorraber. Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em Educação. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007. p. 13-34.

COSTA, Marisa Vorraber. A escola tem futuro?. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

DELORY- MOMBERGER, Christine. De onde viemos? O que somos? Para onde vamos? In: SOUZA, Elizeu Clementino; BRAGANÇA, I. F. (orgs.). Memória, dimensões sócio-históricas e trajetórias de vida. Porto Alegre, Natal, Salvador: EDIPUCRS; EDUFRN; EDUNEB, 2012. p. 10-19.

FERNANDES, Filipe Santos. Formação de Professores de Matemática em Licenciaturas em Educação do Campo: entre cartas, epistemologias e currículos. Bolema: Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, v. 33, n. 63. p. 27-44, 2019.

LEANDRO, Everaldo Gomes; VASCONCELOS, Lívia de Oliveira. Uma carta para mim mesma três anos atrás: um olhar para o PNAIC a partir das narrativas de professoras. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 4, n. 11, p. 680-698, maio/ago. 2019.

LINHAS DE LUTA. Cartas ao presidente Lula. 2019. Disponível em: http://www.linhasdeluta.org/index.php#overview. Acesso em: 29 jan. 2019.

MEYER, Dagmar E. Meyer; PARAÍSO, Marlucy Alves (orgs.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012.

NÓVOA, Antonio. Carta a um jovem investigador em educação. Investigar em Educação, Porto, Portugal, n. 3, p. 13-22, 2 ª série, 2015.

OBSERVARE. Observatório da Educação Ambiental. Manifesto da educação ambiental. 2019. Disponível em: https://observatorioea.blogspot.com/2019/01/manifesto-da-educacao-ambiental.html. Acesso em: 21 fev. 2019.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de (org.). Narrativas: outros conhecimentos, outras formas de expressão. Petrópolis: DP et Alii, 2010.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In: MEYER, Dagmar E. Meyer; PARAÍSO, Marlucy Alves. (orgs.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. p. 23-45.

RIBEIRO, Neurilene Martins; SOUZA, Elizeu Clementino. As cartas e as histórias de vida: dilemas e aprendizagens da docência em língua portuguesa. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa de. (org.). Narrativas: outros conhecimentos, outras formas de expressão. Petrópolis: DP et Alii, 2010. p. 79-95.

SANTOS. Boaventura de Sousa. Para além do pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS. Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 23-72.

SILVA, John Erlinton S. Cartas para ti: as identidades de gênero e sexualidade nas escritas-narrativas de Licenciandos(as) em Biologia. 2016. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2016.

SILVA, Jonson Ney Dias. Diálogos e tecnologias digitais em uma sala de aula de educação matemática de jovens e adultos. São Paulo: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita, 2018. (Texto de Qualificação).

SOLIGO, Rosaura. Venho por meio desta... In: PRADO, Guilherme Val Toledo; SOLIGO, Rosaura. (orgs.). Porque escrever é fazer história. Campinas: Graf, 2005. p. 343-384.

SOUZA, Elizeu Clementino. Escritas, narrativas e doenças crônicas: cartas e processos de biografização. In: MIGNOT, Ana Chrystina. (org.). A ilusão do leitor: cartas, imprensa e educação. Curitiba: CRV, 2018. p. 99-119.

VELOSO, Caetano. Dom de iludir. Rio de Janeiro: Philips, 1986. LP.

VILAS BOAS, Fabíola Silva de Oliveira. A constituição do professor leitor: história de leituras na formação inicial de professores de língua portuguesa. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017.

Publicado

2020-08-14

Como Citar

BARZANO, M. A. L. Cartas autobiográficas de formação e profissão: : experiências de um professor-pesquisador-extensionista de Educação Ambiental. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 2, p. 375-390, 14 ago. 2020.

Edição

Seção

Dossiê - Arte-fatos: tensões e(m) possibilidades entre cultura, pesquisa e educa