As tecnologias como mediadoras no ensino e aprendizagem da linguagem oral utilizando os contos de fadas

a prática na Escola Caetano Dias em Macapá/AP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n3p677-697

Palavras-chave:

Tecnologias, Linguagem oral, Ensino-Aprendizagem.

Resumo

O objetivo da pesquisa foi analisar a possibilidade de uso das tecnologias enquanto ferramenta mediadora no ensino-aprendizagem da linguagem oral em crianças do 2º ano do Ensino Fundamental da escola Caetano Dias Thomaz, no distrito de Fazendinha em Macapá/AP. Trata-se de estudo de caso com abordagem qualitativa com objetivos exploratórios. Os dados foram analisados com a técnica da Análise de Conteúdo. Foram estabelecidas três categorias de análise: repertório linguístico; expressão oral e imitação. Os resultados comprovam que os alunos desenvolvem aspectos da oralidade com mais facilidade ao ouvir ou ler um conto de fadas, sendo capazes de falar sobre seus personagens preferidos, sobre características do gênero, enredo, expressando-se com mais facilidade, exercendo a capacidade de ouvir, de respeitar diferenças, saber ouvir e contar histórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elivaldo Serrão Custódio, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPA

Pós-Doutor em Educação (UNIFAP). Doutor em Teologia (Faculdades EST). Professor Permanente no Mestrado em Educação da Universidade Federal do Amapá (PPGED/UNIFAP) e professor na Faculdade Madre Tereza em Santana/Amapá. Vice-lider do Grupo de Pesquisa Educação, Interculturalidade e Relações Étnico-Raciais (UNIFAP/ CNPq). 

Minelva Medeiros dos Reis, Secretaria Municipal de Educação de Macapá-AP

Graduada em Letras (FAMA). Especialista em Mídias na Educação (UNIFAP). Especialista em Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa e Estrangeira (IBPEX). Especialista em Supervisão e Formação de Professores – Conhecimento e Ciência. Pós graduanda em Políticas Educacionais (UNIFAP). Professora da rede municipal de ensino de Macapá-AP. 

Referências

ALMEIDA, Ana Rita Silva. A emoção em sala de aula. São Paulo: Papirus, 2009.

ALVES, Rubem. O prazer da leitura. Porto: Edições Asa, 2016.

BACCEGA, Maria Aparecida. Tecnologia, escola, professora: comunicação e educação. São Paulo: Moderna; ECA/USP, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARRETO, Raquel Goulart. Uma análise do discurso hegemônico acerca das tecnologias na educação. Perspectiva, Florianópolis, v. 30, n. 1, p. 41-58, jan./abr. 2012.

BARRETO, Raquel Goulart. Tecnologias na formação de professores: o discurso do MEC. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 271-286, jul./dez. 2003.

BATISTA, Sandra Aparecida; FREITAS, Carlos Cesar Garcia. O uso da tecnologia na educação: um debate a partir da alternativa da tecnologia social. R. Tecnol. Soc., Curitiba, v. 14, n. 30, p.121-135, jan./abr. 2018.

BETTELHEIM, Bruno. Psicanálise dos contos de fadas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

BORELLA, Thaís. Desenvolvimento da linguagem infantil à luz da teoria histórico-cultural: contribuições de práticas literárias na primeira infância. São Paulo: UNESP/Campus de Presidente Prudente, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Planejamento escolar: alfabetização e ensino da Língua Portuguesa. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC. Brasília: MEC, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: MS/Conselho Nacional de Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Parâmetros Curriculares Nacionais: 1ª a 4ª séries: língua portuguesa. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Fundamental, 1999.

CUSTÓDIO, Elivaldo Serrão; SANTOS, Rubelina Silva dos. Narrativas ficcionais - potenciais pedagógicos, estético e literário para a formação do aluno no espaço escolar. Rev. Bras. Educ. Camp., Tocantinópolis, v. 4, p. 1-26, out. 2019. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/5813/15911. Acesso em: 15 out. 2019.

FARIAS, Francy Rennia Aguiar de; RUBIO, Juliana de Alcântara Silveira. Literatura infantil: a contribuição dos contos de fadas para a construção do imaginário infantil. Revista Saberes da Educação, São Roque, v. 3, n. 1, p. 1-13, 2012.

GARUTTI , Selson; FERREIRA, Vera Lúcia. Uso das tecnologias de informação e comunicação na educação. Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Maringá, v. 20, n. 2, p. 355-372, jul./dez. 2015.

GERHARDT, T. Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo (org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2012.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Lisboa: Instituto Piaget, 2000.

MACIEL, Francisca Izabel Pereira; BAPTISTA, Mônica Correia; MOURÃO, Sara Monteiro (org.). A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos: orientações para o trabalho com a linguagem escrita em turmas de crianças de seis anos de idade. Belo Horizonte: UFMG/FaE/CEALE, 2009.

MORAN, José Manuel. Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias. In: ROMANOWSKI, Joana Paulin et al. (org.). Conhecimento local e conhecimento universal: diversidade, mídias e tecnologias na educação. Curitiba: Champagnat, 2004. v. 2. p. 245-253.

PERROTTI, Edmir. Confinamento cultural, infância e leitura. São Paulo: Summus, 2009.

RESSUREIÇÃO, Juliana Boeira da. A importância dos contos de fadas no desenvolvimento da imaginação. Rio Grande do Sul: Facos, 2010. p. 1-16. Disponível em: http://espacoviverzen.com.br/wp-content/uploads/2017/09/A_importancia_dos_contos_de_fadas_no_desenvolvimento_da_imaginacao.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

RONCATO, Caroline Cominetti; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. Possibilidades de desenvolvimento de linguagem no espaço da Educação Infantil. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 215-223, ago. 2005.

SILVA, Ana Maria. A importância da leitura dos contos de fada na educação infantil. São Paulo: Portal Educação, 2013. Disponível em: https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/a-importancia-da-leitura-dos-contos-de-fadas-na-educacao-infantil/30151. Acesso em: 30 mar. 2019

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 2007.

Downloads

Publicado

2021-11-05

Como Citar

CUSTÓDIO, E. S.; REIS, M. M. dos . . As tecnologias como mediadoras no ensino e aprendizagem da linguagem oral utilizando os contos de fadas: a prática na Escola Caetano Dias em Macapá/AP. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 677–697, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n3p677-697. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3889. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê - Práticas pedagógicas