Desafios para educação de qualidade e o direito à aprendizagem de jovens, adultos e idosos no tempo presente

o que pensam os professores?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n1p271-291

Palavras-chave:

Educação de jovens e adultos, Qualidade da educação, Concepções docentes.

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar, com base na concepção dos professores, as mediações que dificultam a educação de qualidade e a plena garantia do direito à aprendizagem de jovens, adultos e idosos no tempo presente. Trata-se de resultados parciais da pesquisa exploratória, em andamento, que fez uso, até o momento, de entrevistas de roteiros semiestruturados realizadas com 16 professores do Ensino Fundamental e Médio das redes municipal/estadual do Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Piraí. Os resultados sinalizam que os desafios para a qualidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e para as aprendizagens dos sujeitos referem-se aos aspectos das políticas públicas e do cotidiano escolar: a quase ausência de formação docente para atuar na modalidade, currículo pouco apropriado, permanência de práticas pedagógicas pautadas no paradigma da suplência, dificuldade dos professores em trabalhar com a diversidade, intensificada com a juvenilização e com o aumento de estudantes com necessidades educacionais especiais na modalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Soares Barbosa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutor em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
Coordenador do PIBID - Pedagogia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Raquel Lopes Pires, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na linha de pesquisa “história, sujeitos e processos educacionais”. Graduada em Pedagogia  pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Referências

BARBOSA, Carlos Soares. Limites e possibilidades da contribuição do PIBID na inicial e continuada de professores da educação de jovens e adultos. Educere et Educare Revista de Educação, Cascavel, v. 11, n. 22, p. 340-352, jul./dez. 2016.

BARBOSA, Carlos Soares. Juventudes e produção de subjetividades no contexto de acumulação flexível do capital. Interfaces da Educação, Parnaíba, v. 9, n. 27, p. 274-293, set./dez. 2018.

BARBOSA, Carlos Soares, SOUZA; José Carlos Lima, LINO, Lucília Augusto. Formação de professores para a educação de jovens e adultos: desafios, propostas curriculares e considerações sobre o direito à educação. Revista Educação e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 15, n. 41, p. 343-362, 2018.

BRASIL. Conferência Nacional de Educação (CONAE): documento – referência/[elaborado pelo] Fórum Nacional de Educação. Brasília: MEC, 2014.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC, jan. 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 25 nov. 2017.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Parecer 11/2000. Brasília: CBE, 2000. Disponível em: http://confinteabrasilmais6.mec.gov.br/images/documentos/parecer_CNE_CEB_11_2000.pdf. Acesso em: 21 out. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 21 out. 2018.

CARDOSO, Marcélia Amorim; PASSOS, Gisele de Andrade Louvem dos. Reflexões sobre a educação de jovens e adultos e a formação docente. Revista Educação Pública, Rio de Janeiro, v. 16, n. 25, p. 1-7, dez. 2016. Disponível em: http://educacaopublica.cederj.edu.br/revista/artigos/reflexoes-sobre-a-educacao-de-jovens-e-adultos-e-a-formacao-docente. Acesso em: 17 out. 2018.

COLAVITTO, Nathalia Bedran; ARRUDA, Aparecida Luvizotto Medina Martins. Educação de jovens e adultos (EJA): a importância da alfabetização. Revista Eletrônica Saberes da Educação, São Roque v. 5, n. 1, p. 1-28, 2014. Disponível em: http://docs.uninove.br/arte/fac/publicacoes_pdf/educacao/v5_n1_2014/Nathalia.pdf. Acesso em: 21 out. 2018.

DI PIERRO, Maria Clara. Notas sobre a redefinição da identidade e das políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 1115-1139, 2005.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à pratica educativa. 31. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GENTILI, Pablo. O direito à educação e as dinâmicas de exclusão na América Latina. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 109, p. 1059-1079, set./dez. 2009.

GRAMSCI, A. Os Intelectuais orgânicos e a organização da cultura. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101576_informativo.pdf Acesso em: 12 dez. 2018.

MACHADO, Maria Margarida. Formação de professores para a EJA: uma perspectiva de mudanças. Revista. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n.2-3, jan./ dez., 2008.

MACHADO, Maria Margarida; RODRIGUES, Maria Emília de Castro. A EJA na próxima década e a prática pedagógica docente. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 8, n. 15, jul./ dez., 2014.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Organização curricular e práticas pedagógicas na EJA: algumas reflexões. In: PAIVA, J.; OLIVEIRA, I. B. (orgs.). Educação de jovens e adultos. Pe trópolis, RJ: DP et Alii, 2009. p. 96-107.

PAIVA, Jane. Os desafios da educação no tempo presente. O lugar da EJA: de que lugar estamos falando? In: COSTA, R. P.; VIANNA, V. M. Entrelaçando olhares por uma educação planetária. Rio de Janeiro: Caetés, 2014. p. 77-106.

SOARES, Andrea. Alunos PNEEs na EJA: sujeitos de direitos e complexidade. In: COSTA, R. P.; VIANNA, V. M. Entrelaçando olhares por uma educação planetária. 1. ed. Rio de Janeiro: Caetés, p. 153-165, 2014.

SOARES, Leôncio. O educador de jovens e sua formação. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 47, p. 83-100, jun. 2008.

UNESCO, CONFINTEA V. Declaração de Hamburgo. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DE ADULTOS, 5., 1997, Hamburgo. Alemanha: Hamburgo. Anais [...]. Alemanha: Hamburgo 1997. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000116114_por. Acesso em: 12 dez. 2018.

VENTURA, Jaqueline; RUMMERT, Sônia. Considerações político-pedagógicas sobre as especificidades da educação de jovens e adultos trabalhadores. In: SOUZA, J. dos S.; SALES, S. R. (orgs.). Educação de jovens e adultos: políticas e práticas educativas, Rio de janeiro: Nau Editora, EDUE-UFRRJ, 2011. p. 67-86.

Publicado

2020-04-15

Como Citar

BARBOSA, C. S.; PIRES, R. L. Desafios para educação de qualidade e o direito à aprendizagem de jovens, adultos e idosos no tempo presente: o que pensam os professores?. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 1, p. 271-291, 15 abr. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Demanda