Licenciatura em História:

as implicações do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – ENADE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2018v20n1p169-189

Resumo

O presente estudo se propôs a analisar as contribuições, os limites e os desafios postos aos professores de um curso de licenciatura em História, de um grande Centro Universitário da cidade de São Paulo, estado de São Paulo, frente ao Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – ENADE. Em função dos objetivos deste estudo, optou-se pela pesquisa qualitativa, com a realização de entrevistas com professores do curso. Pela análise dos dados coletados, constatamos que o ENADE é um instrumento regulatório que vem contribuindo para o desenvolvimento desse curso, na medida em que os professores têm consciência de que ele não está a serviço do ENADE e que o desenvolvimento profissional envolve diversos fatores, que não se resumem ao conceito estabelecido pelo Ministério da Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Maria Espinosa, Faculdades Metropolitanas Unidas

Atualmente estou na direção da Escola de Educação, Comunicação, Artes, Design e Moda da FMU.

Maria de Fátima Ramos de Andrade, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutora em Comunicação e Semiótica.

Publicado

2018-04-24

Como Citar

ESPINOSA, S. M.; ANDRADE, M. DE F. R. DE. Licenciatura em História:: as implicações do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – ENADE. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 1, 24 abr. 2018.

Edição

Seção

Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##