História da implantação da educação infantil no Município de Astorga/PR:

em destaque a turma do pré-escolar da Escola de Aplicação Monsenhor Celso

Palavras-chave: História e historiografia da educação., Educação infantil., Escola de aplicação Monsenhor Celso., Pré-escolar e currículo.

Resumo

O objetivo da pesquisa que resultou neste artigo é escrever uma história e memória para a Escola de Aplicação Monsenhor Celso, primeira instituição oficial de educação infantil do Município de Astorga/Pr, com destaque para a implantação da turma do pré-escolar, no ano de 1972. Trata-se de um estudo histórico que manteve diálogo com a história e historiografia da educação.  A metodologia primou pela análise de documentos e estrevistas semiestruturadas com atores que vivenciaram a implementação desse nível de ensino no Município de Astorga/PR.

 

Biografia do Autor

Elaine Rodrigues, Universidade Estadual de Maringá – UEM

Doutora em História e Sociedade

Referências

ASTORGA (Cidade). Estatuto para Associação “Círculo de Pais e Mestres”. Astorga: Escola de Aplicação Monsenhor Celso, 1972.
ASTORGA (Cidade). Ata nº 1 da Associação dos Pais e Professores da Escola de Aplicação Monsenhor Celso. Astorga: Escola de Aplicação Monsenhor Celso, 1973.
BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.
BURKE, Peter. (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992.
BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei nº. 5.692/71. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 11 de agosto de 1971. Brasília, DF: MEC, 1971. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2014.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006. v. 1 e 2.
BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. v. 1.
CATHOLICUS: notícia, cultura e serviço. “Santo Anjo do Senhor”: mais do que uma oração infantil. Aparecida, SP: PROMOCAT, 2017. Disponível em: . Acesso em: 26 fev. 2018.
CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estudos Avançados, São Paulo, v. 5, n. 11, p. 173-190, 1991.
GOODSON, Ivor F. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 1995.
JULIA, Dominique. A cultura como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 1, p. 9-44, 2001.
KUHLMANN JUNIOR, Moysés. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. 4. ed. Porto Alegre: Mediação, 2007.
LE GOFF, Jacques. Memória. In: LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: UNICAMP, 1990. p. 149-473.
LOPES, Eliane Marta Teixeira; GALVÃO, Ana Maria de Oliveira. História da educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.
MARTINS, Cláudia Regina Kawka. O ensino de história no Paraná, na década de setenta: as legislações e o pioneirismo do estado nas reformas educacionais. História & Ensino, Londrina, v. 8, p. 7-28, out. 2002.
MATOS, Júlia Silveira; SENNA, Adriana Kivanski de. História oral como fonte: problemas e métodos. Historiae, Rio Grande, v. 2, n. 1, p. 95-108, 2011.
MENDES, M. M.; MORATO, E. P. Os municípios sua história & sua gente. Maringá: Cendí Editora, 1980.
MONTESSORI, M. Pedagogia científica: a descoberta da criança. São Paulo: Flamboyant, 1965.
MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1995. p. 7-11.
NEIVERTH, Thaisa; GARTNER, Giselle Martins. Infância e Educação na Obra de Friedrich Froebel. In: OLIVEIRA, Magda Sarat. (Org.). Fundamentos filosóficos da educação infantil. Maringá: EDUEM, 2005. p. 95-108.
OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação infantil: fundamentos e métodos. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2007.
PARANÁ (Estado). Conselho Estadual de Educação. Deliberação nº. 02/14 de 3 de dezembro de 2014. Curitiba: CEE, 2014.
PARANÁ (Estado). Secretaria de Estado da Educação. Decreto-lei n.455, de 13 de abril de 1983. Diário Oficial do Estado do Paraná. Curitiba, n.1518, p.1, de 19 de abril de 1983.
PARANÁ (Estado). Sistema Estadual de Ensino. Lei Estadual nº. 4978, de 5 de dezembro de 1964. Curitiba: Diário Oficial do Estado do Paraná, nº. 242, de 26 de dezembro de 1964.
PARANÁ (Estado). CEE/PR. Parecer nº 03/72 E Deliberação 027/72. Dispõe sobre Regimento Escolar. In: Coletânea da Legislação Estadual de Ensino. Curitiba, PR: de 1969 a 1997.
PIAGET, Jean. A epistemologia genética. São Paulo: Abril Cultural, 1983.
POUBEL E SILVA, Elisabeth Figueiredo de Sá. De criança a aluno: as representações da escolarização da infância em Mato Grosso (1910-1927). 2006. 220 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
RIO GRANDE DO SUL (Estado). Assembleia Legislativa do Estado. Lei nº 5.227 de 04 de julho de 1966. Institui a obrigatoriedade de funcionamento de Círculo de Pais e Mestres nos estabelecimentos de ensino público do Estado e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Diário Oficial do Estado - Assembleia Legislativa do Estado, n. 293, 12 julho 1966.
RODRIGUES, Elaine. A (re) invenção da educação no Paraná: apropriações do discurso democrático (1980-1990). Maringá: EDUEM, 2012.
SAVELI, Esméria; ALTHAUS Maiza Taques Margraf; TENREIRO, Maria Odete. Infãncia e Educação na Obra de Freinet. In: OLIVEIRA, Magda Sarat. (Org.). Fundamentos filosóficos da educação infantil. Maringá: EDUEM, 2005. p. 109-118.
SILVA, Elisangela Alves dos Reis. A Revista Nova Escola e o ensino de história: em circulação uma proposta de currículo não formal (1997 a 2006). 2014. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2014.
SOUZA, Rosa Fátima de. História da organização do trabalho escolar e do currículo no século XX: ensino primário e secundário no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.
Publicado
2018-04-23
Como Citar
WANISHI, M.; RODRIGUES, E. História da implantação da educação infantil no Município de Astorga/PR:. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 1, p. 49-71, 23 abr. 2018.
Seção
Artigos