Da avaliação em larga escala ao furor avaliativo

a degradação do ato educativo

Palavras-chave: Avaliação em larga escala, Nova gestão pública, Psicanálise e educação.

Resumo

Este artigo aporta uma reflexão acerca dos efeitos das políticas educacionais de avaliação da educação básica associadas às políticas de responsabilização escolar, enquanto dispositivo da nova gestão pública. A partir do aporte teórico dos estudos de politicas públicas de educação e de fundamentos do campo de pesquisa em psicanálise e educação, apresentam-se os resultados de uma investigação de pós-doutoramento, de cunho qualitativo e exploratório, que investigou as práticas discursivas em relação ao uso dos resultados das avaliações externas como meio de gestão e responsabilização escolar. Por meio de pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo foram entrevistados dez profissionais, entre diretores, coordenadores pedagógicos e professores, da rede estadual de São Paulo. A análise de tais discursos revela o furor avaliativo como uma saída perversa à educação escolar, o qual conduz à paixão instrumental e tende à degradação do ato educativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eric Ferdinando Kanai Passone, Universidade da Cidade de São Paulo

Formado em Psicologia pela Universidade Metodista de Piracicaba; Mestre e Doutor em Educação pela Unicamp. Atualmente é professor do Programa de Pós-Graduação em Educação e Vice Coordenador do Programa de Mestrado Profissional em Gestão Educacional da Universidade da Cidade de São Paulo, além de Pesquisador Associado ao Núcleo de Estudos de Políticas Públicas da Universidade de Campinas.

Referências

AFONSO, Almerindo Janela. Nem tudo o que conta em educação é mensurável ou comparável. Crítica à accountability baseada em testes estandartizados e rankings escolares. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, v. 13, n.1, p. 13-29, 2009.

AFONSO, Almerindo Janela. Escola pública, gerencialismo e accountability. A página da educação, Porto, Portugal, v. 12, n. 126, ago./set. 2003.

AGUILAR, Luis Enrique. A política pública educacional: sob a ótica da análise satisfatória. Campinas: Leitura Crítica, 2013.

ALAVARSE, Ocimar M. Desafios da avaliação educacional: ensino e aprendizagem como objetos de avaliação para a igualdade de resultados. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 3, n. 1, p. 135-153, jun. 2013.

ANGELUCCI, Carla Biancha et al. O estado da arte da pesquisa sobre o fracasso escolar (1991-2002): um estudo introdutório. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 51-72, abr. 2004 .

ARAÚJO, Karlane Holanda; LEITE, Raimundo Hélio; SILVA, Lucas Melgaço. Política de responsabilização no Ceará: avaliação, rankings e premiação. In: LEITE, R. H.; ARAÚJO, K. H.; SILVA, L. M. (orgs.). Avaliação educacional: estudos e práticas institucionais de políticas de eficácia. Fortaleza: UECE, 2017. p. 15-34.

BALL, Stephen J. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 126, p. 539-564, set./dez. 2005.

BALL, Stephen J. Performatividade, privatização e o Pós-Estado do bem-estar. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1105-1126, set./dez. 2004.

BAUER, Adriana et al. Iniciativas de avaliação do ensino fundamental em municípios brasileiros: mapeamento e tendências. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 71, p. 1-19, out. 2017.

BONAMINO, Alicia; SOUSA, Sandra Maria Zakia Lian. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 373-388, jun. 2012 .

CALLIGARIS, Contardo. A sedução autoritária. In: CALLIGARIS, Contardo. Clínica do social. Ensaios. São Paulo: Escuta, 1991. p. 107-118.

CAMARGO, Paula. Vale o quanto ensina: rechaçada por professores e aplaudida por economistas a remuneração baseada no desempenho é uma das principais polêmicas no cenário da educação brasileira atual. Pátio, São Paulo, v. 12, n. 47, 2008.

CASASSUS, Juan. El precio de la avaluación: la perdida de calidad y la segmentación social. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 71-79, jan./abr. 2007.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio século XXI: o dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 129, p. 1085-1114, out./dez. 2014.

GAULEJAC, Vicent de. Gestão como doença social. Ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Aparecida: Idéias & Letras, 2007.

GORI, Roland. La fabrique des imposteurs. Paris: Les Liens Qui Liberent, 2013.

LACAN, Jacques. Lacan in Itália 1953-1978. Milão: La Salamandra, 1978.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Infância e ilusão (psico)pedagógica: escritos de psicanálise e educação. São Paulo: Vozes, 1999.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Figuras do infantil: a psicanálise na vida cotidiana com as crianças. Petrópolis: Vozes, 2010.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. A infância e a educação nos tempos sombrios do narcisismo. In: COLÓQUIO FRANCO-BRASILEIRO, 2001. Anais [...]. Universidade de Paris XIII, 2001.

LARROSA, Jorge. Elogia da escola. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira de; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2012.

MANNONI, Maud. Educação impossível. Lisboa: Moraes, 1973.

MANNONI, Maud. Les exclus. Les temps modernes, Paris, n. 340, p. 307-315, 1974.

MILLER, Jacques-Alain; MILNER, Jean Claude. Você quer mesmo ser avaliado? Barueri: Manole, 2006.

OLIVEIRA, Romualdo Portela de. A transformação da educação em mercadoria no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 108, p. 739-760, out. 2009.

OLIVEIRA, Dalila Andrade et al. A nova gestão pública no contexto escolar e os dilemas dos(as) diretores(as). Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Goiânia, v. 33, n. 3, p. 707-726, 2017.

PASSONE, Eric Ferdinando Kanai. Notas psicanalíticas: os discursos contemporâneos acerca da avaliação educacional no Brasil. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 185-201, 2015a.

PASSONE, Eric Ferdinando Kanai. Produção do fracasso escolar e o furor avaliativo: o sujeito resiste?. Estilos da Clínica, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 400-420, set./dez. 2015b.

PASSONE, Eric Ferdinando Kanai. Incentivos monetários para professores: avaliação, gestão e responsabilização na educação básica. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 44, n. 152, p. 424-448, jun. 2014.

PASSONE, Eric Ferdinando Kanai. Psicanálise e educação: o discurso capitalista no campo educacional. ETD. Educação Temática Digital, Campinas, v. 15, n. 3, p. 407-424, set./dez. 2013.

PERRENOUD, Philippe. Os ciclos de aprendizagem: um caminho para combater o fracasso escolar. Porto Alegre: Artmed, 2004.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

RAVITCH, Daine. Vida e morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Porto Alegre: Sulina, 2010.

SILVA, Assis Leão; FERREIRA, Wilma dos Santos; ANDRADE, Cristiano Dornelas. Modelos de avaliação educacional: uma análise das práticas avaliativas na educação básica. In: CIASCA, M. I. F. L.; SILVA, L. M.; ARAÚJO, K. H. (orgs.). Avaliação da aprendizagem: a pluralidade de práticas e suas implicações na educação. Fortaleza: UECE, 2017. p. 43-61.

SOUSA, Sandra Maria Zákia Lian; KOSLINSKI, Mariane Campelo. Avaliação em larga escala, índices e premiação: iniciativas de estados brasileiros e seus efeitos. In: SETTON, M. G. J. Mérito, desigualdade e diferença: cenários da (in)justiça escolar Brasil e Portugal. São Paulo: Annablume, 2017. p. 77-100.

SOUSA, Sandra Maria Zákia Lian. Avaliação e gestão da educação básica no Brasil: da competição aos incentivos. In: DOURADO, Luiz Fernandes. Políticas e gestão da educação no Brasil: novos marcos regulatórios? São Paulo: Xamã, 2009. p. 31-45.

SOUSA, Sandra Maria Zákia Lian; OLIVEIRA, Romualdo Portela de. Políticas de avaliação da educação e quase mercado no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 24, n. 4, p. 873-895. 2003

TENÓRIO, Fernando Guilherme. (Neo)tecnocratas ou (Neo)Bobos? Eis a Questão. Organização e Sociedade, Salvador, v. 10, n. 26, p.107-117, abr. 2003.

VOLTOLINI, Rinaldo. Miséria ética na educação inclusiva: por uma inclusão política mais do que social. Educação, Porto Alegre, v. 38, n. 2, p. 222-229, 2015.

Publicado
2019-12-10
Como Citar
PASSONE, E. F. K. Da avaliação em larga escala ao furor avaliativo: a degradação do ato educativo. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 21, n. 3, p. 945-964, 10 dez. 2019.
Seção
Artigos de Demanda