Qual o lugar da diferença numa escola sem partido?

Palavras-chave: Currículo., Diferença Cultural., Escola Sem Partido., Conservadorismo.

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as concepções sobre as relações entre escola e diferenças veiculadas pelo Movimento Escola Sem Partido. Para isso, examinamos o conteúdo de dois dos PLs que restringem a autonomia docente em sala de aula: o PL 1411/2015 e o PL 867/2015; uma fala do coordenador do Movimento Escola Sem Partido, Miguel Nagib, na audiência pública do PL 7.180; e três textos contidos no Blog De olho no livro Didático de Orley José da Silva, listado na página inicial do site do Movimento Escola Sem Partido. Entendemos que o tema das diferenças e identidades culturais é objeto privilegiado de elaborações dentro do movimento e que isso é feito em diálogo com a produção acadêmica sobre o tema. Esse diálogo, no entanto, acontece de maneira enviesada e em direta contradição com a produção científica sobre o assunto. Ao questionarmos o lugar da diferença na escola a partir de uma perspectiva conceitual que dá centralidade à dimensão cultural dos currículos, percebemos o Escola Sem Partido como um discurso que busca ser uma política cultural com forte impacto sobre as práticas curriculares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Pereira de Moura, Secretaria Municipal de Educação - SMERJ

Mestre em Ensino de História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016), especialização em Gênero e Sexualidade pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2014) e graduação em História também pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2008), É professora da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

Cinthia Monteiro de Araujo, UFRJ

Doutora em Educação pela PUC-Rio, onde também adquiriu o título de mestre em Educação. Possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem realizado atividades de ensino, pesquisa e extensão na área de Educação, com ênfase em Ensino de História, Educação em Direitos Humanos e Educação Intercultural. Atualmente atua também como vice-coordenadora do PPGEH - núcleo UFRJ do ProfHistória Nacional.

Publicado
2018-12-18
Como Citar
DE MOURA, F.; ARAUJO, C. Qual o lugar da diferença numa escola sem partido?. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 3, p. 617-635, 18 dez. 2018.
Seção
Dossiê - Escola sem Partido