Os homens viviam no círculo de Deus

a religiosidade portuguesa no século XVI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n3p775-793

Palavras-chave:

Religiosidade portuguesa, Fundamentos da Coroa, Propagação do Cristianismo

Resumo

O objetivo do trabalho é refletir sobre a cultura religiosa cristã portuguesa do século XVI. Intencionamos entender seus fundamentos e ideais de propagação pelo Império lusitano do qual o Brasil fez parte. Com base no enfoque cultural queremos entender o papel da religiosidade cristã nas relações estabelecidas entre homens naquele período. Enfatizamos a análise da teologia política do Estado Monárquico regido pelo sistema de Padroado, para entender como a expansão portuguesa esteve atrelada a expansão do Cristianismo. Além disso, apresentamos os vínculos entre a cultura religiosa cristã portuguesa e as origens da História da Educação brasileira, no sentido de compreender as especificidades de formação humana requeridas no período. Do trabalho podemos depreender que o Estado Monárquico português esteve a serviço do cristianismo; a cultura se fundamentava na religiosidade cristã. Eram outros os valores, sentimentos e conceitos que moldavam a vida dos homens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana de Aráujo Nascimento Guaraldo, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá (2009), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (2012). Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá (2018). Participa do grupo de pesquisa interinstitucional Educação, Cultura e História: Brasil, séculos XVI, XVII e XVIII (DEHSCUBRA). Integrante do Laboratório de Estudos do Império Português (LEIP-UEM). Atualmente é Professora Pedagoga da rede pública de ensino do Estado do Paraná.

Célio Juvenal Costa, Universidade Estadual de Maringá

Prof. Doutor do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Maringá. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá (PPE-UEM). Coordenador do Laboratório de Estudos do Império Português (LEIP-UEM).

Sezinando Luiz Menzes, Universidade Estadual de Maringá

Prof. Doutor do Curso de História da Universidade Estadual de Maringá. Professor do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Maringá (PPH-UEM). Coordenador do Laboratório de Estudos do Império Português (LEIP-UEM).

Referências

BLOCH, Marc. Reis Taumaturgos: o caráter sobrenatural do poder régio: França e Inglaterra. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

BLOCH, Marc. Apologia da história, ou o ofício de historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BOXER, Charles R. O império marítimo português (1415-1825). São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

CASTANHEDA, Fernão Lopes de. História do descobrimento e conquista da Índia pelos Portugueses. Disponível em: https://archive.org/details/historiadodescob01castuoft/page/n8/mode/2up. Acesso em: 25 abr. 2017.

CHAUÍ, Marilena. Maluf ou no novo corpo do rei. Lua Nova, São Paulo, v. 1, n. 3, dez.1984. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64451984000300010. Acesso em: 15. fev. 2016.

CLIFF, Nigel. Guerra santa: como as viagens de Vasco da Gama transformaram o mundo. São Paulo: Globo, 2012.

CRUZ, Maria Leonor García da. A governação de D. João III: a fazenda rela e seus vedores. Centro de História da Universidade de Lisboa. Lisboa: Coleção textos universitários, 2001.

HANSEN, João Adolfo. Ler e ver: pressupostos representação colonial. Veredas, Coimbra, Portugal, n. 3, 2000a. Disponível em: https://digitalis.uc.pt/pt-pt/artigo/ler_ver_pressupostos_da_representa%C3%A7%C3%A3o_colonial. Acesso: 25 maio 2016.

HANSEN, João Adolfo. A civilização pela palavra. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes de; VEIGA, Cynthia Greive (orgs.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000b. p. 19-41.

KANTOROWICZ, Ernest H. Os dois corpos do rei: um estudo sobre a teologia política medieval. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MALTEZ, José Adelino. O Estado e as instituições. In: DIAS, João José Alves (Org.). Portugal do Renascimento a crise dinástica. Lisboa: Editorial Presença, 1998. p. 337-412.

MARCOCCI, Giuseppe. A consciência de um Império Portugal e seu mundo (sécs. XV-XVI). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012. Disponível em: https://www.uc.pt/imprensa_uc/catalogo/investigacao/consciencia. Acesso em: 20 out. 2016.

MONTAGNOLI, Gilmar Alves. Justiça e configuração social: as ordenações Filipinas como elemento educativo na América portuguesa (século XVII). 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2017. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/teses/2017/2017%20-%20Gilmar%20Alves%20Montagnoli.pdf. Acesso em: 08 fev. 2017.

PAES, Maria Paula Dias Couto. A sociedade do corpo místico: a formação do império e a fundação da América Portuguesa. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/VGRO-6Y8LVF/1/tese_final_revisada_maria_paula.pdf. Acesso em: 20 out. 2016.

PAIVA, José Maria. Religiosidade e cultura brasileira século XVI. In: ASSUNÇÃO, P.; BITTAR, M.; PAIVA, J. (orgs.). Educação, história e cultura no Brasil Colônia. São Paulo: Arké, 2007. p. 7- 28.

PAIVA, José Maria. Religiosidade e cultura brasileira séculos XVI-XVII. Maringá: Eduem, 2012.

PEREIRA, João Cordeiro. A estrutura social e o seu devir. In: DIAS, João José Alves. (org.). Portugal do Renascimento a crise dinástica. Lisboa: Editorial Presença, 1998. p. 227-336.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Laboratório de Ensino e Material Didático. Regimento que levou Tomé de Sousa governador do Brasil. Almerim, 17 dez. 1548. Lisboa, AHU, códice 112, fls. 1-9. Disponível em: http://lemad.fflch.usp.br/sites/lemad.fflch.usp.br/files/2018-04/Regimento_que_levou_Tome_de_Souza_governador_do_Brasil.pdf. Acesso: 18 dez. 2018.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

GUARALDO, L. de A. N. .; COSTA, C. J.; MENZES, S. L. Os homens viviam no círculo de Deus: a religiosidade portuguesa no século XVI. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 775–793, 2020. DOI: 10.22483/2177-5796.2020v22n3p775-793. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3546. Acesso em: 16 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos de Demanda