Debaixo d’água

o Quilombo “Mata Cavalo” mergulha no imaginário de Bachelard

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2020v22n2p589-607

Palavras-chave:

Gaston Bachelard, Água, Justiça climática, Quilombo Mata Cavalo.

Resumo

Este artigo é fruto das investigações que o Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte (Gpea) realizou junto à comunidade quilombola Mata Cavalo. Tendo como metodologia a fenomenologia de Gaston Bachelard, propusemo-nos à realização de uma cartografia do imaginário de Michèle Sato, que desse conta do imaginário quilombola sobre o elemento “água”. A “cartografia da água” reuniu estudantes, professoras(es) e moradoras(es) da comunidade, no intuito de entendermos qual o pensamento das(os) participantes sobre a substância tão importante à vida. Por meio de dinâmicas de grupo, identificamos que a água, para os quilombolas, tem valor inestimável, uma vez que apresenta distribuição desigual ao longo da comunidade, além da sua escassez, especialmente no período de seca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Cury Luiz, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso. É membro do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte (Gpea) e integra a Rede Internacional de Pesquisadores em Educação Ambiental e Justiça Climática (Reaja), projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat). É mestre em Comunicação e bacharel em Comunicação Social/Jornalismo, ambos pela Universidade de Marília. Atualmente, é professor-adjunto do Departamento de Comunicação Social e coordenador de Ensino de Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Cuiabá.

Michèle Sato, Universidade Federal de Mato Grosso

Mestre em Filosofia (Norwich), doutora em ciências (São Carlos), pós-doutorado em Educação (Canadá), pós-doutorado em educação (Espanha). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso. É pesquisadora do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte, coordenando diversas frentes da formação, vivência comunitária e pesquisa.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. O homem; as viagens. 1973. Disponível em: https://tspasunb.com/wp-content/uploads/2018/07/O-Homem-as-viagens-Carlos-Drummond-PAS-Terceira-Etapa.pdf. Acesso em: 20 mar. 2018.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaio sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios da vontade: ensaio sobre a imaginação das forças. 4. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2013.

BARROS, Manoel de. Águas. 2004. Disponível em: http://www.douradosnews.com.br/noticias/veja-a-integra-do-poema-aguas-de-manoel-de-barros-91b9bb42e67f510c5129/190586/. Acesso em: 20 mar. 2018.

CHAUI, Marilena. Convite à filosofia. 6. ed. São Paulo: Ática, 1997.

A FORMA da água. Direção de Guillermo del Toro. Estados Unidos: Fox Filmes, 2017. 1 DVD (123 min.).

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 16. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 58. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida Severina. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2007.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 4. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

QUEIRÓS, Eça de. Os Maias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014.

RAMMÈ, Rogério S. A política da justiça climática: conjugando riscos, vulnerabilidades e injustiças decorrentes das mudanças climáticas. Revista de Direito Ambiental, São Paulo, v. 65, jan. 2012.

ROSA, Guimarães. A terceira margem do rio. 1994. Disponível em: http://files.obrasdopas.webnode.com/200000026-aea01af98c/Guimaraes%20Rosa%20-%20A_Terceira_Margem_ do_Rio.pdf. Acesso em: 20 mar. 2018.

SATO, Michèle. Cartografia do imaginário no mundo da pesquisa. In: ABÍLIO, Francisco. (org.). Educação ambiental para o semiárido. João Pessoa: EdUFPB, 2011. p. 539-569.

SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e como representação. São Paulo: Unesp, 2005. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=tVTHZt0guKIC&oi=fnd&pg= PA19&dq=o+mundo+como+vontade+e+representa%C3%A7%C3%A3o&ots=xE5nHpZSq_&sig=SR_Py7j5AwS77e-C4QpRHAdY1W4#v=onepage&q=o%20mundo%20como%20vontade% 20e%20representa%C3%A7%C3%A3o&f=false. Acesso em: 20 mar. 2018.

VELOSO, Caetano. Sampa. 1978. Disponível em: https://www.letras.mus.br/caetano-veloso/41670/. Acesso em: 21 mar. 2018.

Publicado

2020-08-14

Como Citar

LUIZ, T. C.; SATO, M. Debaixo d’água: o Quilombo “Mata Cavalo” mergulha no imaginário de Bachelard. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 22, n. 2, p. 589-607, 14 ago. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Demanda