Designações versus conceções da infância portuguesa nos dicionários e discursos (séc. XIX e parte do XX)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p247-269

Palavras-chave:

Conceções da infância, Designações outra infância, História social

Resumo

Trata-se de um estudo histórico-descritivo, de teor hermenêutico, construído na base da literatura e escritos da época sobre a conceção social da criança e da sua infância, com recurso a designações, nomenclaturas ou adjetivações nos dicionários e discursos científicos (médico-higienistas, jurídico-legais, pedagógicos) e político-ideológicos, no período do séc. XIX até 1930. Em especial, abordaremos a ‘Outra’ infância, a qual a classificamos como infância diferenciada da dita normal por estar à margem da normalização e escolarização imposta pela sociedade. Norteamo-nos por uma tríade de objetivos, que correspondem aos pontos de abordagem: compreender a designação referencial etimológica dos termos criança-infância (dicionários) articulada com a linguagem discursiva científica da época; explicar as diversas conceções e termos afins que integra a ‘Outra Infância’ por nós utilizada; conhecer o significado das categorias de menor estabelecidas na Lei de Proteção à Infância, de 1911 em sintonia com as medidas tutelares de proteção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Candeias Martins , Instituto Politécnico de Castelo Branco - Escola Superior de Educação

Doutor em Ciências da Educação, Mestre em Educação, desde 1987 no ensino superior politécnico, Departamento UCT-HSH da Escola Superior de Educação de Castelo Branco - Área Teoria e História da Educação - Pedagogia Social

Referências

ARCHARD, D. Children, rights and childhood. London: Routledge, 1993.

AULETE, Francisco Júlio Caldas. Diccionario contemporaneo da língua portuguesa. Lisboa: Parceria Antônio Maria Pereira, 1881. 4v.

AULETE, Francisco Júlio Caldas. Diccionario contemporaneo da língua portuguesa. 2. ed. Lisboa: Parceria Antônio Maria Pereira, 1925.

AULETE, Francisco Júlio Caldas. Diccionario contemporaneo da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora S.A., 1958.

BASTOS, José Timóteo da Silva. Diccionário etymológico, prosódico e orthográfico da língua portugueza. 2. ed. Lisboa: Parceria António Maria Pereira, 1913.

BORRAS LLOP, J. M. (dir.) Historia de la infancia en la edad contemporánea 1834-1936. Madrid: Ministerio de Asuntos Sociales, 1996.

CHARTIER, R. El mundo como representación. Barcelona: Gedisa, 2002.

CONSTÂNCIO, Francisco S. Novo diccionário crítico e etymologico da línguaportugueza. Paris: Angelo Francisco Carneiro, 1844.

COSTA, A. Bruto. Exclusões sociais. Lisboa: Gradiva, 1998.

CUNNINGHAM, H. Histories of childhood. American Historical Review, Oxford, Reino Unido, v. 103, n. 4, p. 1195-1208, out. 1998.

D’OLIVEIRA, Antonio. Deixemos os pais e cuidemos dos filhos. Lisboa: Edição Autor, 1923.

DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Dicionário etimológico e ortográfico. 16. ed. Rio Janeiro: Liv. Francisco Alves; Paris/Lisboa: Livrarias Aillaund e Bertrand, 1918.

DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Dicionário etimológico, prosódico e ortográfico. 17. ed. Rio Janeiro: Liv. Francisco Alves; Paris/Lisboa: Livrarias Aillaund e Bertrand, 1927.

DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Lisboa: Texto Editores, 2005.

DONZELOT, J. A polícia das famílias. Rio de Janeiro: Graal, 1977.

FALCÃO, Agostinho de M. Diccionário da língua portugueza. 6. ed. Lisboa: Typographia de António José da Rocha, 1858. v. 1

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio século XXI: O dicionário da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

FIGUEIREDO, C. Novo dicionário da língua portuguesa. 4. ed. Lisboa: Arthur Brandão, 1926.

FONSECA, José da. Diccionário da língua portugueza. Paris: J. Marques Nogueira, 1874.

HENDRICK, H. Constructions and reconstructions of british childhood: an interpretative survey, 1800 to the present. In: JAMES, A.; PROUT, A. (org.). Constructing and reconstructing childhood: contemporary issues in the study of childhood. London: The Falmer Press, 1990. p. 35-96.

HEYWOOD, C. Uma história da infância: da idade Média à época contemporânea no Ocidente. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HOUAISS, A.; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Lisboa: Círculo de Leitores (2002). 6v.

LOPES, Maria Antónia. Proteção social em Portugal na Idade Moderna: guia de estudo e investigação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2010.

MARTINS, Ernesto C. A infância desprotegida portuguesa na primeira metade do séc. XX. Infância & Juventude, Portugual, n. 4, p. 93-130, out./dez. 2006.

MARTINS, Ernesto C. Proteção social e (R)Educação de menores: o Padre António d’Oliveira (1867-1923). Lisboa: Cáritas Portuguesa, 2012.

MARTINS, Ernesto C. Infância marginalizada e delinquente na 1ª República (1910-1926). De Perdidos a Protegidos... e educados. Lisboa: Palimage/Terra Ocre, 2015.

MICHAELIS. Dicionário da língua portuguesa michaelis. São Paulo: Melhoramentos, 2002.

OLIVEIRA, Augusto de. Proteção moral e jurídica à infância. Lisboa: Typ. do Reformatório Central de Lisboa ‘Padre António D’Oliveira’, 1929.

PINTO, Maria de Fátima. Os indigentes, entre a assistência e a repressão: a outra Lisboa no 1º terço do Século. Lisboa: Livros Horizonte, 1999.

PORTUGAL. LPI - Lei de Proteção à Infância, de 27 de maio de 1911 (D.G. nº 137, 14 de junho, 1911). Portugal: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1911.

PORTUGAL. D. G. nº 10.767, de 15 de maio de 1925 (alteração à LPI de 1911). Portugal: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1925.

RELVAS, E. Esmola e degredo: mendigos e vadios em Lisboa (1835-1910). Lisboa: Livros Horizonte, 2002.

STEARNS, P. N. A infância. São Paulo: Contexto, 2006.

TORRINHA, Francisco. Moderno dicionário da língua portuguesa para os estudantes e para o povo: ortográfico, prosódico e morfológico. Porto: Livraria Simões Lopes de Domingos Barreira, 1931.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

MARTINS , E. C. Designações versus conceções da infância portuguesa nos dicionários e discursos (séc. XIX e parte do XX). Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 247–269, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n1p247-269. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3895. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos de Demanda