Ensino de química e projetos interdisciplinares

o que dizem os professores

Autores

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Ensino de química, Aprendizagem.

Resumo

A pesquisa pretendeu investigar a presença da abordagem interdisciplinar no ensino de Química junto a cinco professores de escolas públicas estaduais da cidade de Santa Luzia (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte.  Os instrumentos para produção dos dados foram observação da prática, entrevista semiestruturada, aplicação de questionário e três grupos de discussão sobre a temática. A cultura escolar arraigada emergiu como principal barreira a uma cultura interdisciplinar. O grupo preferia, a princípio, a abordagem interdisciplinar a partir da integração dos conteúdos realizados pelo professor. Ao fim da pesquisa, reconhecem que os projetos interdisciplinares requerem a integração curricular e o trabalho conjunto de planejamento, constituindo-se uma estratégia para a concretização de uma abordagem interdisciplinar no ensino de Química.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmem Lucia Eiterer, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Mestre em Educação pela FE-USP (Área Didática, sub área Linguagem e Educação e Doutora em Educação pela FE-USP (Área Didática sub área Linguagem e Educação). Professora Titular em Didática atua no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino (DMTE) da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FaE-UFMG). Leciona Didática junto a diferentes cursos de Licenciatura na Graduação. Pesquisadora do NEJA - Núcleo de Educação de Jovens e Adultos desde 2002. 

Gabrielle Cristina Moreira Barbosa, Governo do Estado de Minas Gerais - Secretaria de Educação

Mestre em Educação (Didática e Docência). Licenciatura em Química. 

Referências

BERTI, V. Interdisciplinaridade: um conceito polissêmico. 2007. Dissertação (Mestrado em Ensino de Química) - Ensino de Ciências (Física, Química e Biologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em: 24 abr. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Casa Civil, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 24 abr. 2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCN+ ensino médio: orientações educacionais complementares aos parâmetros curriculares nacionais. Ciências da natureza, Matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC, SEMTEC, 2002.

CARLOS, J. G. Interdisciplinaridade no ensino médio: desafios e potencialidades. 2007. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Ensino de Ciências) - Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

FAZENDA, I. C. A. Desafios e perspectivas do trabalho interdisciplinar no ensino fundamental: contribuições das pesquisas sobre interdisciplinaridade no Brasil: o reconhecimento de um percurso. Interdisciplinaridade, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 10-23, out. 2011.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 1979.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 18. ed. Campinas: Papirus, 2012.

FAZENDA, I. C. A. (org.). A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. 6. ed. Campinas: Papirus, 1995.

FAZENDA, I. C. A. (org.). Didática e interdisciplinaridade. 8. ed. São Paulo: Papirus, 1994.

JAPIASSÚ, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

MOURA, D. G. de. Trabalhando com projetos: planejamento e gestão de projetos educacionais. Petrópolis: Vozes, 2006.

PEREIRA, A. S. Análise de um processo de inovação educativa numa escola gaúcha: a interdisciplinaridade como princípio inovador. 2007. Tese (Doutorado em Reformas e Processos de Inovação em Educação) - Universidade de Santiago de Compostela, Espanha (USC), 2007.

POMBO, Olga. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 3-15, mar. 2005.

SAMPAIO, C. F. Projetos interdisciplinares: concepções e práticas de docentes do ensino médio. 2015. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Centro Universitário Univates, Lajeado, 2015.

SANTOMÉ, J. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

YIN, R. Pesquisa de estudo de caso: design e métodos. Série de métodos de pesquisa social aplicada. Thousand Oaks, Londres: Sage Publications. 2006.

Downloads

Publicado

2021-11-05

Como Citar

EITERER, C. L.; BARBOSA, G. C. M. . Ensino de química e projetos interdisciplinares: o que dizem os professores. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 645–661, 2021. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3954. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê - Práticas pedagógicas