Mil saúdes por vir

arte e escritura na docência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p133-151

Palavras-chave:

Acontecimento, Processo saúde-doença, Educação superior

Resumo

Tomado da provocação nietzschiana para que se note a existência de mil saúdes, e em reflexão sobre os processos de ensinar e aprender neste contexto, este ensaio propõe, como objetivo, abordar o conceito de saúde a partir da noção derridiana de acontecimentos, como forma de contribuir para suscitar novas composições deste nas práticas docentes e profissionais. Para tanto, o estudo aborda quatro textos literários, tendo em vista observar o acontecimento da saúde a partir de elementos do vivido nos escritos. Observam-se, assim, dimensões tão íntimas quanto públicas do processo de saúde e doença. O encontro com os limites desses conceitos afirma a importância de abordá-los de forma mais ampla. O professor, ao abrir caminhos à arte na educação, especialmente pela leitura que provoca a escritura, cria possibilidades de dizer da saúde, na operação de sua impossibilidade, e convoca ao inusitado no pensamento sobre ela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emília Carvalho Leitão Biato, Universidade de Brasília - UnB

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso. Professora Adjunta da Universidade de Brasília (UnB), docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação / Modalidade Profissional e do Departamento de Odontologia. 

Referências

AQUINO, Julio Groppa; CORAZZA, Sandra Mara; ADO, Máximo Daniel Lamela. Por alguma poética na docência: a didática como criação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, p. 1-18, jan. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982018000100108&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 16 maio 2020.

BENEDETTO, Maria Auxiliadora Craice de; GALLIAN, Dante Marcello Claramonte. Narrativas de estudantes de Medicina e Enfermagem: currículo oculto e desumanização em saúde. Interface, Botucatu, v. 22, n. 67, p. 1197-1207, dez. 2018 .

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CAMUS, Albert. A peste. 10. ed. Rio de Janeiro: Record. 1997.

CAMUS, Albert. Discurso proferido por ocasião da entrega do Prêmio Nobel de Literatura, 10 de dezembro de 1957, Estocolmo, Suécia. Puente@Europa, Argentina, v. 7, n. 2, p. 72-73, dez. 2013.

CANGUILHEM, Georges. O normal e o patológico. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

CAPONI, Sandra. A saúde como abertura ao risco. In: CZERESNIA, Dina; FREITAS, Carlos Machado de. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2009. p. 80 -112.

CECCIM, Ricardo; FEUERWERKER, Laura C. Macruz. Mudança na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 20, n. 5, p. 1400-1410, 2004.

CORAZZA, Sandra Mara. Didaticário de criação: aula cheia. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

CORAZZA, Sandra Mara. Didática da tradução, transcriação do currículo (uma escrileitura da diferença). Pro-Posições, Campinas, v. 26, n. 1, p. 105-122, jan. /abr. 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8642420. Acesso em: 3 mar. 2016.

CORAZZA, Sandra Mara. A- traduzir o arquivo da docência em aula: sonho didático e poesia curricular. Educação em revista, Belo Horizonte, v. 35, p. 1-25, jul. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982019000100416&tlng=pt. Acesso em: 31 ago. 2019.

CORTÁZAR, Julio. Bestiário. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

COSTA, Luciano Bedin. Biografema como estratégia biográfica: escrever uma vida com Nietzsche, Deleuze, Barthes e Henry Miller. 2010. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

DERRIDA, Jacques. Aporias: morrer - esperar-se nos “limites da verdade”. Vinhedo: Horizonte, 2018.

DERRIDA, Jacques. Uma certa possibilidade impossível de dizer o acontecimento. Revista Cerrados, v. 21, n. 33, p. 229-251, jan. /jun. 2012. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/cerrados/article/view/26148. Acesso em: 23 fev. 2020.

DERRIDA, Jacques. Otobiografías. La enseñanza de Nietzsche y la política del nombre propio. Buenos Aires: Amorrortu, 2009a.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009b.

DERRIDA, Jacques. A farmácia de Platão. São Paulo: Iluminuras, 2005.

DERRIDA, Jacques. Da hospitalidade. São Paulo: Escuta, 2003.

DERRIDA, Jacques. La voix et le phénomène. Introduction au problème du signe dans la phénoménologie de Husserl. Paris: PUF/Quadrige, 1967.

DERRIDA, Jacques. Margens da filosofia. Campinas: Papirus, 1991.

DERRIDA, Jacques. A melancolia de Abraão. In: EYBEN, Piero; RODRIGUES, Fabricia Walace. Cada vez o impossível: Derrida. Vinhedo: Editora Horizonte, 2015. p. 12 -39.

DERRIDA, Jacques. Mémoires: for Paul de Man. New York: Columbia University Press, 1989.

DERRIDA, Jacques. Posições. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

DERRIDA, Jacques. Torres de Babel. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

EYBEN, Piero. Rastros do impensado: a desconstrução, a literatura. Vinhedo: Editora Horizonte, 2020.

FOUCAULT, Michel. O nascimento da clínica. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

HADDOCK-LOBO, Rafael. Considerações sobre “Posições” de Derrida. O que nos faz pensar, Rio de Janeiro, v. 16, n. 21, p. 66-77, jul. 2007.

HEUSER, Ester; AQUINO, Julio Groppa; CORAZZA, Sandra Mara. Aula com… em vias de uma didática de invenção. Cascavel: EDUNIOESTE, 2018.

KAHLO, Frida. El diario de Frida Kahlo: un íntimo autorretrato. México: La Vaca Independiente, 2012.

LANGDON, Esther Jean; WIIK, Flávio Braune. Antropologia, saúde e doença: uma introdução ao conceito de cultura aplicado às ciências da saúde. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Artigo Original v. 18, n. 3, p. 459-466, maio/jun. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692010000300023&lng=en&tlng=en. Acesso em: 16 maio 2020.

MARTON, Scarlett. Das forças cósmicas aos valores humanos. São Paulo: Brasiliense, 1990.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Ecce homo: como alguém se torna o que é. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Aurora. São Paulo: Companhia das letras, 2004.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

PORTER, Roy. História da medicina. Rio de Janeiro: REVINTER, 2008.

SACKS, Oliver. Com uma perna só. São Paulo: Companhia das letras, 2003.

SANTIAGO, Silviano. Glossário de Derrida. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1976.

SILVA, Marcelo José de Souza e; SCHRAIBER, Lilia Blima; MOTA, André. O conceito de saúde na Saúde Coletiva: contribuições a partir da crítica social e histórica da produção científica. Physis, Rio de Janeiro, v. 29, n. 1, p. 1-19, abr. 2019.

WORTHAM, Simon Morgan. The Derrida dictionary. London: Continuum International Publishing Group, 2010.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

BIATO, E. C. L. Mil saúdes por vir : arte e escritura na docência. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 133–151, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n1p133-151. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/4041. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê - Investigações poéticas e cocriação entre pensamento e vida