Ponto de inflexão

a escola entre o presente e o futuro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n3p721-740

Palavras-chave:

Cotidiano escolar, Contemporaneidade, Modernidade líquida, Pandemia.

Resumo

Produto de uma pesquisa de pós-doutorado e de discussões promovidas em eventos internacionais da Rede Acadêmica Verano TIC, este artigo foi criado a partir da inquietude de três pesquisadores (do Brasil, Chile e Bolívia) e parte do pressuposto de que a escola é, ou deveria ser, um espaço dinâmico de transformação. Assim, buscamos discutir os possíveis desdobramentos e caminhos que surgem na construção de um novo desenho da sociedade e, porque não dizer, de escola. De um modo geral, a pandemia de Covid-19 revelou narrativas, respostas, incertezas e desencontros, em um estado geral de crises dentro da crise. A partir do depoimento de três professores experientes da educação básica, os quais são convidados a refletir sobre as mudanças da escola ao longo dos anos, este artigo traz uma discussão a partir de diferentes autores da educação e áreas afins. Vale ressaltar que este se baseia na abordagem qualitativa, adotando a análise dos depoimentos a partir de oito questões que norteiam o diálogo com os professores. Tendo em vista as reflexões promovidas, que abre uma janela para profundos debates sobre a escola e seu futuro pós Covid-19, se faz urgente um trabalho coletivo para pensar o modelo de escola e de formação que queremos e necessitamos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Henrique Barnabé Corrêa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Licenciado em Química e Mestre em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba; Especialista em Ciência e Tecnologia pela Universidade Federal do ABC; e, Doutor em Química pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professor do Departamento de Educação em Ciências, Matemática e Tecnologias da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). 

Juan Carvajal Fernández , Escola Primária Villa Las Peñas

Mestre em Inovação Curricular e Avaliação Educacional pela Universidad del Desarrollo (Chile). Professor de matemática na Escola Primária Villa Las Peñas, Mulchén, Chile. Coordenador de verão de TIC no Chile.

Carlos Bravo Reyes, Universidade Autônoma "Gabriel René Moreno"

Doutor em Ciências Pedagógicas pela Comissão de Graus Científicos de Cuba. Professor da Universidade Autônoma "Gabriel René Moreno". Santa Cruz de la Sierra, Bolívia. Coordenador de verão de TIC na Bolívia.

Referências

ARANGUREN, Luis. El paradigma del cuidado como desafío educativo. Espanha: Ediciones SM, 2020.

ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite. O sentido da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

BAUMAN, Zygmunt. Sobre la educación en un mundo líquido: conversaciones con Ricardo Mazzeo. Barcelona: Paidós, 2013.

BIESTA, Gert. Aprendiz, estudiante, hablante.¿ Por qué importa cómo llamamos a aquellos a quienes enseñamos? In: SIMONS, Maarten; MASSCHELEIN, Jan; LARROSA, Jorge. (ed.). J. Rancière: la educación pública y la domesticación de la democracia. Buenos Aires: Miño y Dávila Editores, 2011. p. 149-173.

BUCCI, Eugênio. Aquilo de que o humano é instrumento descartável: sensações teóricas. In: NOVAES, A. (org.). A condição humana: as aventuras do homem em tempos de mutações. São Paulo: Sesc, 2009. p. 375-394.

CASTELLS, Manuel. A obsolescência da educação. Fronteiras do Pensamento. San Bruno, Califórnia, 7 abr. 2014. 1 vídeo (4:14 min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=eb0cNrE3I5g. Acesso em: 5 jan. 2021.

CANIVEZ, Patrice. Educar o cidadão? Campinas: Papirus, 1991.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CORRÊA, Thiago Henrique Barnabé; BARBOSA, Néstor Adolfo Pachón. Educação ambiental e consciência planetária: uma necessidade formativa. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 35, n. 2, p. 125-136, maio/ago. 2018. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/7692/5378. Acesso em: 1 jan. 2021.

CHASSOT, Attico. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 5. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2010.

D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Etnomatemática: uma proposta pedagógica para a civilização em mudança. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 1. 2000, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: USP, 2000. Memória da palestra de encerramento do I Congresso Brasileiro de Etnomatemática. Disponível em: http://www2.fe.usp.br/~etnomat/site-antigo/anais/UbiPalesEncerramento.html. Acesso em: 1 jan. 2021.

FARRELL, Joseph P.; MANION, Caroline; RINCÓN-GALLARDO, Santiago. Reinventar la escuela: alternativas radicales exitosas del sur global. Revista Latinoamericana de Estudios Educativos, México, v. 47, n. 2, p. 9-40, maio/set. 2017.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Petrópolis: Vozes, 2015.

HENRIQUES, Cláudio Maierovitch Pessanha; VASCONCELOS, Wagner. Crises dentro da crise: respostas, incertezas e desencontros no combate à pandemia da Covid-19 no Brasil. Estudos Avançados, São Paulo, v. 34, n. 99, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/BWWTW6DL7CsVWyrqcMQYVkB/?lang=pt. Acesso em: 1 jan. 2021.

MATURANA, Humberto. Emociones y lenguaje en educación y política. Santiago: Dolmen, 1997.

MELLO, Irene Cristina de. O ensino de química em ambientes virtuais. Cuiabá: EDUFMT, 2009.

NARANJO, Claudio. Cambiar la educación para cambiar el mundo. Chile: Cuarto Propio, 2007.

PAIVA, José Maria de. Educação. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 25, n. 49, p. 269-288, jan./jun. 2011.

PORCHEDDU, Alba. Zygmunt Bauman. Entrevista sobre la educación. Desafíos pedagógicos y modernidad líquida. Propuesta educativa, v. 14, n. 28, p. 7-18, nov. 2007. Disponível em: http://propuestaeducativa.flacso.org.ar/wp-content/uploads/2019/12/dossier_Porcheddu_PE28.pdf. Acesso em: 1 jan. 2021.

PRENSKY, Marc. Nativos Digitales. Desafió de la educación actual. Paradígma, Venezuela, v. 31, n. 2, Editorial, dez. 2010.

PRENSKY, Marc. Por qué los defensores del “aprendizaje a lo largo la vida” están en lo cierto solo a medias. Revista Interuniversitaria de Investigación en Tecnología Educativa, Espanha, n. 9, p. 1-4, dez. 2020.

REIGOTA, Marcos Antonio dos Santos. Environmental education in Brazil and the influence of Paulo Freire. Oxford Research Encyclopedia of Education, Reino Unido, p. 1-13, abr. 2020.

REIGOTA, Marcos Antônio dos Santos. A educação ambiental para além dela mesma. Ambiente & Educação, Rio Grande, v. 13, n. 1, p. 11-22, 2008.

RINCÓN-GALLARDO, Santiago. Liberar el aprendizaje: el cambio educativo como movimiento social. México: Grano de sal, 2019.

ROBINSON, Ken; ARONICA, Lou. Escuelas creativas: la revolucin que est transformando la educacin. Barcelona: Editorial Grijalbo, 2015.

SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos Santos; SCHNETZLER, Roseli Pacheco. Educação em química: compromisso com a cidadania. 4. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2010.

SETZER, Valdemar Waingort. A obsolescência do ensino. São Paulo: USP, 2014. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~vwsetzer/obsolesc.html. Acesso em: 4 jan. 2021.

SCHMIDT, Benito Bisso. Quando o historiador espia pelo buraco da fechadura: biografia e ética. História, São Paulo, v. 33, n. 1, p. 124-144, jan./jun. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/his/a/GkSkGgjBGzFYRHj8xCckbkG/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 1 jan. 2021.

SILVA, Ana Carolina Araújo da. O ensino de Química via Internet: uma experiência com a metodologia da webquest. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso - MT, Mato Grosso, 2010.

TORI, Romero. Tecnologias interativas para uma educação sem distância. In: ENCONTRO DOS ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA INFORMÁTICA - ENAPO - LINF, 1. 2001, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: FFLCH-USP, 2001.

UNESCO. La educación en un mundo tras la COVID: nueve ideas para la acción pública. Buenos Aires: Comisión internacional sobre Los futuros de la educación, 2020.

YOUNG, Michael. Para que servem as escolas? Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 101, p. 1287-1302, set./dez., 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/GshnGtmcY9NPBfsPR5HbfjG/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 5 jan. 2021.

Publicado

2021-11-05

Como Citar

CORRÊA, T. H. B.; FERNÁNDEZ , J. C. .; REYES, C. B. . Ponto de inflexão: a escola entre o presente e o futuro . Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 721–740, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n3p721-740. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/4790. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos de Demanda

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)