O papel performativo dos memoriais na construção de projetos de pesquisa

Autores

  • Adriana Varani

Resumo

O presente trabalho é uma reflexão da experiência de orientação de escrita de memoriais para a construção das temáticas de Trabalhos de Conclusão de Curso dos estudantes de Pedagogia, em seus processos de introdução à pesquisa e de introdução ao campo profissional da docência. Da experiência emergiram algumas temáticas, dentre elas como as memórias são potencializadoras da pesquisa e que assumem, em vezes, um papel performativo pela linguagem produzida. Como memórias narradas elas estão sempre se reorganizando pelos discursos que espaço/temporalmente são construídos, constituindo-se numa tentativa de dar sentido a si mesmo e de materializar um continuum, um “estar sendo”. Outra reflexão tal recuperação configura-se como mecanismo que historiciza o objeto a ser investigado, que o coloca num campo de inserção pessoal, profissional e consequentemente, nos dá a ver o 'vinculo entre sujeito e algo a ser pesquisado, demonstrando a não neutralidade do campo da formação de professores. Por último há uma questão que complementa as anteriores que é a ideia de que produzir o conhecimento passa pela dimensão pessoal, passa pelo sujeito que fala, passa pelas vozes que nos perpassam e também pela ideia que conhecer é produzir um novo em nós. Para desenvolvimento deste estudo, algumas referências teóricas estão sendo necessárias como Boaventura de Souza Santos e a idéia de que todo conhecimento é autoconhecimento, Michel Lowy e a discussão das ideologias na construção das ciências humanas, Maria da Conceição Passeggi e Guilherme do Val Toledo Prado para ajudar-nos a compreender o papel da recuperação das memórias e narrativas na formação docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-09

Como Citar

VARANI, A. O papel performativo dos memoriais na construção de projetos de pesquisa. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 17, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/2225. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos