Neoliberalismo, neoconservadorismo e educação:

o movimento “Escola sem Partido” para além do projeto de lei

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2018v20n3p551-565

Resumo

No presente artigo, compreende-se o movimento “Escola sem Partido” dentro de um contexto mais amplo de determinação e reprodução da sociabilidade capitalista. Inicialmente, é discutida a aliança entre neoliberais e neoconservadores, passando à discussão da educação sob a égide desses ideários e, por fim, apresenta-se o movimento “Escola sem Partido” como suporte desse ideário no campo educacional. Conclui-se pela defesa de uma luta contra-hegemônica que supere a falsa separação entre educação, técnica e política, possibilitando aos professores o cumprimento de seu compromisso ao lado da classe trabalhadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jeferson Anibal Gonzalez, IFSP/Campus Jacareí

Mestre em Educação.

Michele Cristine da Cruz Costa, IFSP/Campus Sertãozinho

Pedagoga (FFCLRP/USP); Mestre em Educação Escolar (FCLAr/UNESP); Doutora em Educação (FE/UNICAMP); Atualmente é Professora EBTT (Educação/Pedagogia) no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP/Campus Sertãozinho).

Publicado

2018-12-17

Como Citar

GONZALEZ, J. A.; COSTA, M. C. DA C. Neoliberalismo, neoconservadorismo e educação:: o movimento “Escola sem Partido” para além do projeto de lei. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 3, 17 dez. 2018.

Edição

Seção

Dossiê - Escola sem Partido