Da racionalidade à subjetividade

educação estética e sensibilidades nas cartas de Friedrich Schiller

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2019v21n3p693-707

Resumo

Neste artigo refletimos sobre a formação estética do homem a partir do diálogo estabelecido entre Friedrich Schiller e o Duque de Augustenburg, o que conhecemos hoje como as cartas de Schiller. Busca-se problematizar alguns pressupostos teóricos presentes nestas cartas a respeito da pessoa e de como este constrói sua subjetividade a partir de sensações estéticas. É assumido, na presente investigação, o objetivo de compreender a (des)valorização do sensível e o (des)equilíbrio entre natureza humana, sensibilidade e educação estética do homem, tendo as cartas de Schiller como universo de reflexão. Trata-se de uma pesquisa de natureza bibliográfica, de caráter exploratório-descritivo. As premissas apresentadas no presente estudo apontam que as questões suscitadas pelo filósofo continuam atuais à compreensão sobre como a formação estética dialoga com a constituição das subjetividades, da moral e, principalmente, com a valorização das sensibilidades enquanto mobilizadoras da existência humana.

   

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário de Faria Carvalho, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Sciences Sociales - Université René Descartes - Paris V . Diplôme détudes Approfondies (DEA) em Sciences Sociales - Université de Caen Basse Normandie. Graduação em Design - Ecole dArchitecture de Grenoble e pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor Associado Nível I do Núcleo de Design e Comunicação e Professor Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação Contemporânea, ambos da Universidade Federal de Pernambuco / Centro Acadêmico do Agreste. Orienta estudos sobre: Artes, Estética, Educação e Interculturalidades. Interessa-se por pesquisas que reflitam sobre Expressões Artísticas, Cultura Popular, Estética(s), Sensibilidades, Teoria do Imaginário, Barroco, Estudos Pós-Estruturalistas e Gênero.

Graciele Maria Coelho de Andrade Gomes, Universidade Federal de Pernambuco

Mestranda em Educação Contemporânea, Especialista em Educação em Diretos Humanos, Licenciada em Desenho e Plástica, Universidade Federal de Pernambuco. Licenciada em Pedagogia - Centro Universitário Internacional. Integrante do O Imaginário - Grupo de Pesquisas Transdisciplinares sobre Estética, Educação e Cultura (UFPE-CAA/CNPq). 

Publicado

2019-12-09

Como Citar

CARVALHO, M. DE F.; GOMES, G. M. C. DE A. Da racionalidade à subjetividade: educação estética e sensibilidades nas cartas de Friedrich Schiller. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 21, n. 3, 9 dez. 2019.

Edição

Seção

Dossiê - Formação Humana e Educação: perspectivas contemporâneas

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##